Relevo


O relevo corresponde às formas das paisagens físicas do planeta Terra, de maneira que com o passar dos anos, foram constituídos por agentes internos (endógenos) e externos (exógenos) à natureza.

Agentes do Relevo

Os agentes do relevo modificam o planeta terra, tal qual os fenômenos que agem de dentro pra fora da crosta terrestre, os denominados agentes endógenos, por exemplo os abalos sísmicos, movimento das placas tectônicas, vulcões, dentre outros.

Por outro lado, há os agentes exógenos do relevo, ou seja, aqueles que agem de fora para dentre da crosta terrestre, modificando a superfície da terra, a saber: as ações humanas e as ações naturais, (o vento, a chuva, as geleiras, o clima, os animais, etc).

Em resumo, conclui-se que o relevo compõe o conjunto de elevações e depressões do solo da crosta terrestre, classificados de acordo com sua estrutura, composição e processos geológicos.

Tipos de Relevo e suas Características

No geral, as quatro principais formas de relevo são: planícies, planaltos, montanhas, depressões.

Planícies

As planícies designam as superfícies planas de baixas altitudes (até 100 metros), formados por rochas sedimentares. As chamadas “planícies litorâneas” correspondem aos terrenos planos próximos à região litorânea. De acordo com seus agentes formadores, as planícies são classificadas em: costeira (mar), fluvial (rio) e lacustre (lago).

Planaltos

Os planaltos ou platôs, designam as superfícies planas com elevadas altitudes (acima de 300 metros), característica marcante que os diferem das planícies. Há três tipos principais de planaltos: sedimentares (formados por rochas sedimentares), cristalinos (formados por rochas cristalinas) e basálticos (formados por rochas vulcânicas).

Montanhas

As montanhas são grandes elevações constituídas ao longo dos anos por atividades vulcânicas, terremotos e outras manifestações naturais. Dessa maneira, de acordo com os fenômenos naturais sofrido ao longo dos anos, as montanhas são classificadas em: “vulcânicas” (formadas a partir de vulcões), “dobradas” (formadas pelo tectonismo, ou os dobramentos da terra), “falhadas” (formadas pelas falhas da crosta terrestre) e de “erosão” (formadas a partir de erosão).

Depressões

As depressões caracterizam planos rebaixados, consideradas as menores altitudes encontradas no planeta (100 a 500 metros), formadas principalmente pelo fenômeno da erosão. Há duas classificações quanto esse tipo de relevo: a “depressão absoluta”, aquela que está situada abaixo do nível do mar e a “depressão relativa” que está localizada acima do nível do mar.

Entenda melhor sobre cada uma das formações de relevo:

Outros Tipos de Relevo

Entretanto, há outras formas de relevo que se distinguem por suas peculiaridades, sendo as mais comuns: cordilheiras (conjuntos de serras), morros (pequena elevação de terra), serras (conjunto de montanhas), chapadas (terreno plano no alto da serra), vales (grande depressão), dentre outros.

Relevo Brasileiro

A classificação mais utilizada para o relevo do Brasil é a metodologia estabelecida pelo geógrafo brasileiro Jurandyr Ross, em 1989. Segundo ele, o relevo brasileiro é dividido em planaltos, planícies e depressões.

Note que o Brasil está localizado numa grande placa tectônica, o que impede o choque com outras placas, evitando, dessa forma, a existência de fenômenos naturais tal qual os terremotos e os maremotos.

No geral, o relevo brasileiro é marcado por baixas altitudes, uma vez que o pico mais alto do país, está situado no estado do Amazonas, na Serra do Imeri, com 2994 metros de altitude.

Saiba mais sobre o tema com a leitura do artigo: