Pré-história Brasileira

Juliana Bezerra

Chama-se pré-história brasileira ou período pré-cabralino, o momento para a história do Brasil antes da chegada do navegador português Pedro Álvares Cabral, em 1500.

Esta visão, no entanto, está mudando, pois vários povos habitavam este território antes da colonização portuguesa.

Primeiros Humanos no Brasil

Pré historia brasileira
Pinturas rupestres na Serra da Capivara, no Piauí

A presença humana no território hoje ocupado pelo Brasil data de 12 mil anos, conforme evidências arqueológicas.

Ao menos duas diferentes rotas migratórias contribuíram para o deslocamento na América pré-colombiana (antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1492).

Os primeiros humanos surgiram na África há 3,2 milhões de anos. Assim, é correto afirmar que os seres humanos vieram daquele continente através de ondas migratórias.

A corrente mais aceita é a migração através da passagem do Estreito de Bering em diferentes períodos. Desta maneira, os seres humanos chegaram ao Alasca e, de lá, partiram ao restante do continente.

Outra rota de deslocamento seria a do Pacífico. Como a altura do mar era mais baixa e havia mais ilhas ao longo do oceano, os seres humanos puderam vir navegando à Patagônia e à região que hoje corresponde ao Brasil.

Características dos Primeiros Habitantes do Brasil

Os habitantes da pré-história brasileira são divididos em três grupos: caçadores-coletores, povos agricultores e povos do litoral.

Caçadores-coletores

Viviam em quase todo o território nacional entre 50 mil e 2,5 mil anos. Ocupavam do Sul ao Nordeste, habitavam cavernas e a floresta, usavam arcos e flechas, boleadeiras e bumerangues feitos de pedra.

Alimentavam-se de carne de caça de pequenos animais, peixes, moluscos e frutos. No Nordeste é possível encontrar exemplos da arte rupestre destas pessoas que retratavam o cotidiano, a guerra, a dança e a caça.

No Sul, destaca-se os "homens de Umbu" que viveram nos pampas gaúchos. Estes foram os responsáveis pelo uso de arco e flecha que foi herdado pelos indígenas brasileiros.

Povos do Litoral ou Sambaquis

Sambaquis
Recriação dos povos sambaquis em seu habitat

Os povos do litoral ocupavam a costa brasileira desde o Espírito Santo até o Rio Grande do Sul há 6 mil anos. Alimentavam-se, basicamente, de frutos do mar, mas também eram coletores.

Os "homens dos sambaquis" eram sedentários, pois não tinham necessidade de deslocar-se para buscar alimentos.

As conchas descartadas com as quais obtinham os moluscos foram se amontoando e assim, foram aproveitados para construção de casas. Estes são os principais vestígios para estudar este povo.

Também foram localizadas sepulturas nas quais os corpos eram enterrados com vários objetos e pintados de vermelhos. Isto significa que os "homens sambaquis" realizavam ritos funerários e acreditavam numa outra vida.

Povos Agricultores

Viveram de 3,5 mil a 1,5 mil anos atrás. Habitavam cabanas ou casas subterrâneas e eram conhecedores da técnica da cerâmica.

No Rio Grande do Sul foram chamados de Itararés e no Sudeste e Nordeste de Tupis. Esses povos deram origem às tribos indígenas do Brasil.

Os tupis conheciam a agricultura e por isso, eram sedentários. A cerâmica eram usada para armazenar alimentos e como urnas funerárias quando alguém falecia.

Sítios Arqueológicos Brasileiros

Sítio Arqueológico no Brasil
Pinturas rupestres no Parque Nacional do Catimbau, em Pernambuco

Os sítios arqueológicos são locais onde foram detectados a presença de seres humanos na pré-história.

No Boqueirão da Pedra Furada (PE), um grupo de arqueólogos notificou a presença de facas, machados e fogueiras com aproximadamente 48 mil anos.

Na região da Lagoa Santa, em Minas Gerais, foi encontrado o fóssil Luzia, de 12500 a 13000 anos. Ali, também foi achado o Homem de Lagoa Santa, que teria vivido há 12 mil anos.

Outros importantes sítios arqueológicos no Brasil são Santana do Riacho (MG), Caatinga de Moura (BA) e o Parque Nacional da Serra da Capivara (PI).

Complemente sua pesquisa lendo os textos:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.