Prometeu Acorrentado

Márcia Fernandes

Prometeu Acorrentado foi uma das principais tragédias gregas de Ésquilo, dramaturgo cujas peças teatrais foram bastante encenadas na Grécia Antiga.

Esta tragédia trata do castigo dado por Zeus a Prometeu, em decorrência de ele ter roubado o fogo, que pertencia aos deuses, e o ter concedido à humanidade.

Resumo

O titã Prometeu roubou o fogo de Zeus para o dar aos mortais. Para o punir, o deus dos deuses mandou acorrentar Prometeu a um rochedo e mandou-lhe uma águia para devorar o seu fígado, que tinha a capacidade de se regenerar a cada noite.

Anos e anos ser passaram em que a águia continuava comendo o fígado de Prometeu, que permanecia preso com correntes. Um dia, o centauro Quíron resolveu salvá-lo, libertando-o das correntes e matando a águia com um arremesso de flecha certeiro.

Prometeu Acorrentado
Escultura de Prometeu nas rochas de um parque situado na cidade Sochi, na Rússia

Após ser salvo, Prometeu se tornou um deus, uma vez que Quíron ofereceu-lhe a sua imortalidade. Quíron, que tinha sido acidentalmente ferido por uma flecha envenenada lançada por seu amigo Héracles, vivia em sofrimento e desejava morrer e descansar.

Leia a tragédia Prometeu Acorrentado na íntegra.

Prometeu na Mitologia Grega

Prometeu foi o responsável pela criação da espécie humana. Na Terra, havia apenas plantas e animais e, segundo a mitologia, Prometeu teria criado o homem a partir do barro, tendo como molde a forma física dos deuses.

Terminada a sua obra de modelagem, Prometeu criou seres humanos e deu-lhes a alma dos animais. Mais tarde, admirando o modelo criado pelo titã Prometeu, Atena - deusa da sabedoria - substituiu a alma dos animais pelo espírito soprando-lhes o sopro divino.

Assim, Prometeu ensinou aos homens vários ofícios, tal como o ofício da carpintaria, garantindo que eles tivessem tudo o que fosse necessário para sobreviver. Percebendo que lhes faltava algo, Prometeu ofereceu-lhes o fogo - símbolo do conhecimento intuitivo.

Zeus se irritou com a evolução da criação da humanidade, de modo que planejou se vingar tantos dos homens como de Prometeu, seu criador.

Aos homens, enviou Pandora - e com ela, todas as desgraças que existem no mundo - enquanto que Prometeu foi acorrentado.

Saiba mais em Caixa de Pandora.

Há outras versões que indicam que Prometeu não enganou Zeus roubando-lhe o fogo, que já era detido pela humanidade.

De acordo com a lenda, Prometeu teria levado Zeus a comer carne, no entanto, ofereceu-lhe ossos. Para vingar-se, Zeus teria retirado o fogo do mortais para que eles comessem a sua carne crua, o qual seria posteriormente roubado por Prometeu.

Análise

Esse mito trata do surgimento da intelectualidade, o que é representado pela busca pelo fogo, que ilumina as pessoas, no sentido de as tornar conscientes ou esclarecidas.

Quer mais? Leia:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.