Refugiados


O número de refugiados pelo mundo tem aumentado ao longo dos anos.

Segundo o Alto Comissariado de Refugiados (ACNUR) para a ONU, em 1950, dois milhões de pessoas se deslocaram pelo mundo. Já em 2015 foram 53 milhões.

Atualmente, de acordo com o mesmo organismo, 65,6 milhões de pessoas são consideradas refugiadas, o que possui um impacto em todo planeta.

Quem são os Refugiados?

Refugiado é aquele que deixa seu país de origem e teme voltar ali por causa de suas opiniões políticas, religiosas ou por pertencer a um grupo social perseguido.

Neste sentido, o refugiado é diferente do imigrante que, geralmente, abandona seu país natal por motivos econômicos ou desastres naturais. Por isso, dizemos que todo refugiado é um imigrante, mas nem todo imigrante é refugiado.

Deslocamento de sírios pela Europa
Sírios fogem da guerra no seu país

Em 1951, uma convenção das Nações Unidas sobre o tema determinou que os refugiados não poderiam ser devolvidos ao seu lugar de origem.

Então, para garantir este direito, os Estados que recebessem refugiados, deviam assegurar a possibilidade do refugiado solicitar o direito de asilo. Por isso, deve providenciar condições de comida, assistência médica e escola para as crianças.

No entanto, esta mesma convenção não determinou nenhuma sanção caso o país de acolhida não cumprisse estas normas.

A realidade é bem diferente e os refugiados muitas vezes são confinados em centros de detenção que se assemelham à prisões. Alguns têm a sorte de serem atendidos por ONGs ou ordens religiosas que tentam integrá-los ao novo país.

Origem dos Refugiados

Os refugiados vêm, sobretudo, de regiões que estão em guerra ou em situação de pobreza extrema. Contudo podem pertencer a um grupo populacional que seja perseguido especificamente como é o caso dos curdos.

No infográfico abaixo, vemos assinalados os conflitos que provocaram o deslocamento de pessoas entre 2013-2018:

Origem dos deslocamentos forçados

Percebemos que a Guerra da Síria é a responsável pelo maior deslocamento de contingente populacional.

No entanto, as nações da África subsaariana também inspiram cuidados, especialmente o Sudão do Sul.

Considerada a mais nova nação do mundo, o país enfrenta uma guerra civil que deixa milhares de pessoas sem lar.

Destino dos Refugiados

Ao contrário do que muitas vezes se pensa, a maior parte dos refugiados realiza deslocamentos dentro do seu próprio país ou para nações vizinhas.

Apesar dos países desenvolvidos serem o grande chamariz para quem deseja mudar de vida, a maioria acaba permanecendo em países próximos ao seu continente.

Deste modo, segundo o ACNUR, os países que mais acolhem refugiados são:

Turquia3,5 milhões
Uganda1,4 milhões
Líbia1 milhão
Irã979 000

Refugiados na Europa

A União Europeia vem se mostrando cada vez menos generosa na hora de acolher os refugiados. Em 2017 foram concedidos 538 000 solicitações de asilo, 25% menos se comparado ao ano de 2016.

Os países que mais acolhem são Alemanha, França, Suécia e Itália. No entanto, devido a mudanças no governo italiano, o país tem rejeitado um número cada vez maior de solicitações de asilo.

O bloco europeu propôs que os países dividissem os refugiados entre si, de acordo com a população e a capacidade de cada um.

Contudo, a sugestão foi duramente criticada pela Polônia e República Checa que simplesmente não aceitam mais de 15 refugiados por milhão de habitantes.

Estatísticas da crise migratória na Europa

Refugiados no Brasil

O Brasil é um país tradicionalmente aberto aos refugiados e projeta uma imagem de país tolerante no mundo.

Por isso, tem se tornado um destino de acolhida para vários refugiados que veem obrigados a deixar seu país. Apesar disso, esses novos habitantes só representam 0,05% da população.

Segundo dados do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), publicada em 2017, os maiores contingentes de solicitantes de asilo no Brasil são:

Sírios22,7%
Angolanos14%
Colombianos10,9%
Congoleses10,4%
Libaneses5,1%

O país já acolheu cerca de 2.500 sírios desde o começo da guerra naquele país em 2010.

refugiados no Brasil

Venezuelanos no Brasil

A crise econômica e social na Venezuela fez a população daquele país buscar a vida nos países vizinhos.

Dados da Organização Internacional para Migrações (OIM) - Agência das Nações Unidas para Migrações - revelam que o Brasil recebeu cerca de 30 mil venezuelanos nos anos de 2015 a 2018.

Grande parte dos venezuelanos, porém, não são considerados refugiados e sim imigrantes. Aproximadamente 8.231 venezuelanos pediram asilo no ano de 2017, conforme o Ministério da Justiça.

Como o Brasil atravessa sua própria crise política e econômica, teme-se que a xenofobia cresça no País.

Leia mais: