Sociedade da Informação

Daniela Diana

Sociedade da Informação é um termo que surgiu no século XX, no momento em que a tecnologia teve grandes avanços. A importância que conquistou fez com que a tecnologia se tornasse essencial na determinação do sistema social e econômico.

Após o “boom” das telecomunicações e informática na década de 1970, a sociedade apresentou novas condições para o processamento de informação.

Este momento foi marcante, motivo que levou vários estudiosos, como o precursor do termo Daniel Bell (1919-2011), a debaterem acerca da sociedade pós-industrial.

Bell advertiu que nesta nova etapa, os serviços e a estrutura central da nova economia seriam baseados na informação e no conhecimento.

Sociedade da Informação vs Sociedade do Conhecimento

Na década de 1990, os debates se aprofundam e surge o termo “sociedade do conhecimento” como uma alternativa ao termo “sociedade da informação”.

De toda forma, os tomadores de decisões em todo o mundo notaram que a informação estava desempenhando um papel cada vez mais central na vida social, cultural e política. Por esse motivo, o termo foi incorporado pelas forças da globalização neoliberal.

O termo “Sociedade da Informação” é um dos vários conceitos que tentam explicar o mundo contemporâneo. Outros termos como “Sociedade do Conhecimento” (Unesco) ou “Nova Economia” são, em alguns aspectos, mais precisos para discorrer sobre a sociedade pós-industrial.

O fundamental nesta discussão não é a “informação”, mas a “sociedade” que toma proveito dessa informação. Assim, falar em “sociedade” no singular, leva a crer numa tendência a uma sociedade unilateral.

Ademais, a palavra “informar” também é unidirecional, tendo em vista que se dirigem a um receptor passivo com vista a mudar-lhe o comportamento.

Vantagens e Desvantagens

Surgida no contexto da pós-modernidade, a Sociedade da Informação é essencialmente informática e comunicacional, constituída principalmente pelos avanços da microeletrônica, optoeletrônica e multimídia.

Adquirir, armazenar, processar e disseminar informações são as metas básicas do novo sistema.

A televisão, a telefonia e a Internet são as grandes responsáveis pelo advento dessa nova sociedade, cuja a grande consequência é a desmaterialização dos espaços produtivos.

A grande vantagem é que os processos decisórios e empresariais são facilitados pois podem ser realizados a distância por meio de videoconferência.

Além desse aspecto econômico do trabalho a distância, ferramentas digitais como bibliotecas digitais, correio eletrônico, banco on-line e redes sociais são marcantes na contemporaneidade.

A desvantagem é que as pessoas podem se tornar cada vez mais distantes tendo em conta essa facilidade comunicativa, que é na verdade, uma barreira.

Além disso, as crianças e jovens vivem cada vez mais dependentes dos jogos e dos atrativos tecnológicos. Isso sem falar da exposição da vida pessoal propiciada pelas redes sociais, o que resulta num sério problema de segurança.

Leia também:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.