Sujeito composto: o que é e como se faz a concordância (com exemplos)

Márcia Fernandes

O que é sujeito composto?

Sujeito composto é aquele que apresenta mais do que um núcleo do sujeito, que é o termo mais importante.

Exemplos:

  • A Ana e a Bia vão à festa (sujeitos: “a Ana” e “a Bia”, cujos núcleos são “Ana” e “Bia”).
  • O arroz e o feijão são os alimentos mais consumidos pelos brasileiros (sujeitos: “o arroz” e “o feijão”, cujos núcleos são “arroz” e “feijão”).

Sujeito composto e simples: qual a diferença?

A diferença entre sujeito simples e composto está no NÚCLEO. Enquanto o sujeito composto apresenta mais do que um núcleo, o sujeito simples apresenta somente um.

Exemplos de sujeito simples:

  • A Ana vai à festa sozinha (sujeito: “a Ana”, cujo núcleo é “Ana”).
  • As amigas vão à festa (sujeito: “as amigas”, cujo núcleo é “amigas”).

O fato de estar no plural, não quer dizer que o sujeito seja composto. O que importa é o núcleo, ou seja, o número de palavras, e não o número de pessoas que a palavra subentende.

Apesar de “amigas” indicar mais do que uma menina, não quer dizer que o sujeito seja composto.

Exemplos de frases com sujeito composto

A goiaba e o maracujá caíram da árvore.

Passeios, festas e brincadeiras ao ar livre estavam no programa de férias.

João ou Maria podem te ajudar nessa tarefa.

A professora e os alunos chegaram.

Ler e escrever é o que mais gosta de fazer.

O irmão e a irmã fizeram as pazes.

Você e eu faremos o melhor bolo da festa.

Agrediram-se réu e testemunha.

Prosa e poesia tocavam seu coração.

Marido e mulher precisam partilhar as tarefas domésticas.

Concordância verbal com sujeito composto

Há diferentes regras para concordar o verbo com o sujeito composto. Elas dependem se o verbo vem antes ou depois do sujeito:

Sujeito antes do verbo

Quando o sujeito vem antes do verbo, o verbo deve ir para o plural (Eu e ele trabalhamos juntos).

Atenção para as seguintes situações:

  1. Quando os núcleos do sujeito são palavras sinônimas, o verbo pode ficar no singular ou no plural: Cansaço e fraqueza é/são a origem do seu desempenho.
  2. Quando os núcleos do sujeito são palavras em gradação, o verbo pode ficar no plural ou concordar com o último núcleo do sujeito: Calma, paciência são necessários para enfrentar esta situação./Calma, paciência é necessária para enfrentar esta situação.
  3. Quando o sujeito é formado por pessoas gramaticais diferentes, a concordância deve respeitar a seguinte ordem: primeira pessoa, segunda pessoa e terceira pessoa: Tu, ele e eu vamos ao cinema./ Tu e ele vão ao cinema.

Sujeito depois do verbo

Quando o sujeito vem depois do verbo, existem duas possibilidades:

  1. Verbo pode ir para o plural: Nada disseram patrão e empregado.
  2. Verbo pode concordar com o núcleo do sujeito mais próximo: Nada disse patrão e empregado.

Para você entender melhor:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.