Texto Jornalístico

Os textos jornalísticos são os textos veiculados pelos jornais, revistas, rádio e televisão, os quais possuem o intuito de comunicar e informar sobre algo.

Nos dias atuais, o texto jornalístico é provavelmente o gênero textual mais lido, uma vez que possui o maior alcance nos diversos setores da sociedade.

Uma característica importante dos textos jornalísticos é sua efemeridade, posto que favorecem o conhecimento de informações atuais de forma que possuem o propósito de difundir o que acontece de novo.

Estrutura do Texto Jornalístico

A composição de um texto jornalístico é dividida em:

  1. Pauta: escolha do tema ou assunto
  2. Apuração: recolha das informações, dados e verificação da veracidade dos fatos
  3. Redação: transformação das informações num texto
  4. Edição: correção e revisão dos textos

Linguagem Jornalística

Importante destacar que a linguagem jornalística, em prosa, deve ser clara, simples, imparcial e objetiva de modo a expor para o emissor as informações mais relevantes sobre o tema.

Destarte, o jornalista possui a função de “traduzir” e transmitir as informações para o público em geral, de forma que utiliza um método de desenvolvimento textual baseado no critério básico ao responder as perguntas: “O quê?” (acontecimento, evento, fato ocorrido); “Quem?” (qual ou quais personagem estão envolvidos no acontecimento); “Quando?” (horário em que ocorreu o fato); “Onde?” (local que aconteceu o episódio); “Como?” (modo que ocorreu o evento); “Por quê?” (qual a causa do evento).

No tocante à sua estrutura gramatical, normalmente, o texto jornalístico apresenta frases curtas e ideias sucintas, as quais favorecem a objetividade do texto; além disso, trabalham com o recurso das repetições que auxiliam na memorização e assimilação das informações, sendo mais comum a utilização da ordem direta nas construções frasais, ou seja, sujeito + verbo + complementos e adjuntos adverbiais.

A despeito de possuir um a linguagem denotativa, ou seja, isenta de ambiguidades, na qual possui um único sentido, o jornal é um veículo portador de diferentes gêneros textuais e, portanto, pode apresentar uma linguagem conotativa (figurada), na medida em que desenvolve os diversos tipos de textos: narrativo, descritivo, dissertativo-opinativo, injuntivo e expositivo.

Para saber mais: Tipos de Textos e Gêneros Textuais.

Lide

Não obstante, um recurso jornalístico muito utilizado é o “lide” (forma aportuguesada) ou “lead”, expressão inglesa que significa “guia”, “principal”, “liderança” ou “o que vem à frente”.

Para tanto, o “lide” representa a primeira parte do texto jornalístico que se encarrega de apresentar as principais informações da matéria, essencial para destacar “aos olhos do leitor” o acesso à informação.

Portanto, o “lide” é um recurso jornalístico essencial, o qual deve ser bem elaborado, objetivo e coerente, visto que favorece o interesse do leitor por meio de sua leitura, sendo comum, que muitos dos leitores leiam apenas o lide de cada matéria jornalística.

Pirâmide Invertida

A Pirâmide Invertida corresponde a um dos recursos jornalísticos utilizados a fim de hierarquizar as informações no espaço do jornal, donde prevalece a ordem decrescente de importância. Sendo assim, o conteúdo mais importante localizado na base da pirâmide (parte mais larga), permanece na parte de cima da folha, enquanto o conteúdo mais superficial ou menos relevante, chamado de “ápice” ou “vértice”, está situado embaixo do texto.

Texto Informativo

O gênero dos textos informativos é um dos gêneros mais presentes nos textos jornalísticos de forma que representam as produções textuais objetivas em prosa, baseadas na linguagem clara e direta (linguagem denotativa).

São textos os quais seu objetivo principal é o de transmitir informação sobre algo, isento de duplas interpretações. Assim, o emissor (escritor) dos textos informativos preocupa-se em expor brevemente um tema, fatos ou circunstâncias a um ou vários receptor (leitor).

Para saber mais: Texto Informativo.

Exemplos

O jornal abriga diversos textos jornalísticos, vulgarmente chamados de “matérias”, sendo divididos em seções, compostas pelos mais variados gêneros textuais: editorial, notícia, reportagens, entrevistas, textos publicitários, classificados, artigos, crônicas, resenhas, charges, cartas do leitor, notas, dentre outros. Segue alguns exemplos:

Medicamentos Genéricos e Medicamentos de Marca

Diz-se que os medicamentos genéricos têm a mesma qualidade, eficácia e segurança do medicamento original que lhe serviu de referência. Uma das vantagens dos medicamentos genéricos encontra-se no preço inferior ao preço praticado pela venda do medicamento de marca.

Medicamentos Genéricos

Os medicamentos genéricos estão identificados com a sigla MG nas embalagens. Eles são aprovados pela INFARMED, que disponibiliza uma lista de medicamentos genéricos online. A cada medicamento é atribuída uma A.I.M. (Autorização de Introdução no Mercado) com um respetivo número de registo. Segundo a lei, estes medicamentos podem unicamente ser comercializados depois do período de proteção de patente do medicamento de referência ter expirado (um período aproximado de 20 anos).

Medicamentos de Marca

Os medicamentos genéricos podem ter no entanto substâncias não ativas diferentes dos medicamentos originais, como corantes, açúcares e amidos, podendo diferir em tamanho, sabor ou forma destes. Apesar das substâncias ativas (os chamados excipientes) distinguirem-se entre medicamentos de marca e medicamentos genéricos, as diferenças não acusam normalmente no efeito terapêutico

Nem toda a medicação de marca tem um medicamento genérico equivalente.

Medicamentos Genéricos ou Medicamentos de Marca?

Ao adquirir medicamentos genéricos mais baratos, os utentes desfrutam de uma comparticipação igual ou superior à que já tinham. Os utentes que comprarem medicamentos mais caros, veem a sua comparticipação ser reduzida.

Pode simular na página da DECO os medicamentos mais baratos entre medicamentos de marca e medicamentos genéricos.

Saiba mais sobre o Texto Editorial e o Artigo de Opinião.