Trabalho Informal


Trabalho Informal é aquele que não requer registro. Isso porque é o tipo de modelo laboral em que não existe vínculo empregatício. Pode ser considerado “bico” e chamado por alguns de subemprego ou desemprego disfarçado.

Uma porcentagem significativa da população brasileira vive na informalidade. Trata-se de um setor em crescimento, cuja atividade é desenvolvida principalmente nas grandes cidades, visto que elas propiciam essa dinâmica.

O desemprego é dos principais fatores responsáveis pelo surgimento dessa opção de trabalho. Além disso, acresce que os descontos no salário de um trabalhador formal é tão grande que as pessoas começaram a perceber que poderiam ter muitos mais rendimentos optando pela informalidade.

Exemplos

Presente no setor terciário da economia, o mercado de trabalho informal conta com as seguintes atividades:

  • venda ambulante
  • lavagem de carros
  • construção civil
  • consertos de aparelhos eletrônicos
  • catadores de papelão
  • empregadas domésticas
  • músicos
  • programadores

Características

No trabalho informal não há carteira de trabalho assinada, tal como não há obviamente contrato de trabalho e nem emissão de notas fiscais.

As contribuições e os impostos também não são pagos nessas situações.

O perfil dos trabalhadores informais não é constante. As pessoas tanto podem ter menos como mais escolaridade.

Pessoalmente elas não são valorizadas e podem sofrer preconceito. No entanto, há quem as qualifique como empreendedoras, pelo fato de encontrarem, em algumas situações, oportunidade de idealizar projetos de forma mais ou menos autônoma.

Leia mais em Mercado de Trabalho

Vantagens e Desvantagens

A principal vantagem do trabalho informal é o fato de o mesmo ser uma forma que as pessoas têm de obter rendimentos.

Ao mesmo tempo, a possibilidade de obter uma renda melhor e o fato de poder gerir o tempo são outros proveitos tirados desse tipo de trabalho.

Dentre as desvantagens, o maior prejuízo é a inexistência de renda fixa, sendo esse o principal fator que resulta na falta de acesso a créditos e financiamentos.

Acresce que não há recebimento de ajudas para refeição ou transporte, bem como não há férias pagas ou décimo terceiro e qualquer tipo de licença não é abrangido pelo trabalho informal.

No caso da construção civil, em caso de acidentes, as pessoas podem continuar a trabalhar, mesmo sem condições ou exigindo muito da sua resistência física para garantir a sua renda. Outras, ainda, regressam ao trabalho sem estar completamente capazes de desempenhar suas funções.

Seguros-desempregos também não entram nos benefícios da informalidade, bem como, o pagamento de horas extras.

Como não são feitos descontos, os trabalhadores não podem contar futuramente com a sua aposentadoria.

Considerando o Estado, a grande desvantagem é que há menos arrecadações para os cofres públicos.

Leia: