Anelídeos

Lana Magalhães

Os anelídeos são animais invertebrados de corpo mole, alongado, cilíndrico e dividido em anéis, apresentando uma nítida segmentação.

O filo Annelida apresenta 15 mil espécies, encontradas na água doce ou salgada e em solo úmido.

Os principais representantes dos anelídeos são as minhocas e as sanguessugas.

Características Gerais

Os anelídeos são animais triblásticos, celomados e com simetria bilateral.

Estrutura Corporal

O corpo dos anelídeos é composto por anéis (metâmeros) e revestido por celoma.

O celoma é uma cavidade corporal que se localiza no interior da mesoderme. É preenchido por um líquido chamado de fluido celômico, onde se alojam as vísceras do animal.

Na ausência de esqueleto, o celoma fornece a sustentação do corpo e auxilia na locomoção.

Sistema Digestório

Os anelídeos apresentam sistema digestório completo. Os órgãos digestivos em sequência são: a boca, o papo, a moela, o intestino e o ânus.

O alimento fica armazenado no papo, segue para a moela onde é triturado e no intestino ocorre a absorção dos nutrientes.

O modo de alimentação varia conforme a espécie, mas podem ser herbívoros, carnívoros e hematófagos.

Sistema Circulatório e Excretor

Os anelídeos possuem sistema circulatório fechado. Isso quer dizer que o sangue corre dentro de vasos. No sangue encontra-se a proteína hemoglobina, porém sem hemáceas.

O sistema circulatório é composto por dois vasos, um dorsal e outro ventral, além de um conjunto de vasos contráteis, que podem ser comparados aos corações.

Esses animais apresentam um par de nefrídios por segmento, os quais são responsáveis por retirar as excretas do sangue e do celoma.

Respiração

A pele fina e úmida dos anelídeos permite as trocas gasosas com o ambiente, o que caracteriza a respiração cutânea.

Os anelídeos aquáticos realizam a respiração branquial.

Sistema Nervoso

O sistema nervoso é do tipo ganglionar. É composto por um par de gânglios cerebrais, de onde partem dois cordões nervosos ventrais.

Ao longo dos cordões, há um par de gânglios em cada anel.

Reprodução

A reprodução dos anelídeos pode ser de forma assexuada ou sexuada.

Com exceção dos poliquetos que são dióicos, os demais anelídeos são monóicos (hermafroditas).

No caso dos monóicos, como a minhoca, existe uma porção do corpo que auxilia na reprodução, o clitelo.

O clitelo é um anel mais claro que libera um muco que ajuda na fixação de duas minhocas no momento da fecundação.

Saiba como ocorre a reprodução:

  1. As minhocas se colocam lado a lado e se unem, com as extremidades opostas, ou seja, orifício genital masculino com receptáculos seminais de cada uma;
  2. Nessa posição, os espermatozoides são liberados diretamente no receptáculo seminal;
  3. As minhocas se separam, cada uma carregando os espermatozoides da outra;
  4. Enquanto isso, os óvulos amadurecem e são eliminados no casulo, formado pelo muco secretado pelo clitelo;
  5. O casulo recobre a região do clitelo e conforme o movimento do animal, começa a se deslocar para a extremidade anterior;
  6. Ao passar pelo receptáculo seminal, os espermatozoides que estavam armazenados são eliminados sobre os óvulos, ocorrendo a fecundação;
  7. Após isso, o casulo termina de se deslocar e desprende-se do corpo da minhoca e fecha-se;
  8. No casulo que foi liberado os ovos desenvolvem-se dando origem as novas minhocas.

Classificação

Os anelídeos são classificados em três grupos, conforme a presença e ausência de cerdas.

  • Oligoquetas: Apresentam cerdas curtas e em pouca quantidade. São hermafroditas, encontrados meio terrestre úmido ou aquático. Exemplos: minhocas, tubifex e minhocuçu.
  • Hirudíneos ou Aquetas: Não apresentam cerdas. Vivem em meio aquático ou terrestre úmido. São hermafroditas. Exemplo: sanguessuga.
  • Poliquetas: Apresentam cerdas evidentes. Vivem em meio aquático. Exemplos: nereis e tubícolas.

Saiba mais sobre o Reino Animal.

Representantes

Conheça os principais representantes dos anelídeos:

Minhoca

As minhocas apresentam pele fina e úmida. Alguns anéis mais próximos da boca apresentam coloração mais clara e constitui o clitelo, utilizado na reprodução.

AnelídeosAs minhocas vivem em solo úmido

A respiração das minhocas é cutânea. Na parte ventral, percebe-se certa aspereza pela presença de cerdas minúsculas, que servem de ponto de apoio quando o animal se desloca no solo.

As minhocas são hermafroditas e apresentam fecundação cruzada. Na época da reprodução, saem da terra à noite e, emparelhando seus corpos em sentido contrário, prendem-se com o auxílio de cerdas e do clitelo, realizando a troca simultânea do espermatozoide.

Importância ecológica da minhoca

As minhocas vivem no solo, especialmente em áreas com cobertura vegetal, matéria orgânica abundante e muita umidade.

Elas são reconhecidas pela sua importância no solo, pois cavam túneis e galerias que permitem a penetração do ar e da água no terra. Isso facilita o desenvolvimento das raízes das plantas.

Além de ingerirem material orgânico do solo, também eliminam as fezes, contribuindo para a fertilidade com a produção do húmus.

Conheça também os Invertebrados Aquáticos e Invertebrados Terrestres.

Minhocuçu

O minhocuçu é uma espécie de minhoca que pode alcançar até dois metros de comprimento. Pode-se dizer que é uma minhoca gigante.

MinhocuçuMinhocuçu conhecido por minhoca gigante

Apresenta coloração que varia de preto a vermelho. Na reprodução, cada ovo pode gerar de dois a três filhotes.

Tubifex

O tubifex é um gênero de anelídeos de água doce, também encontrados em águas poluídas e pouco oxigenadas. Eles medem em torno de 1 cm e podem formar colônias.

TubifexTubifex vivendo em colônias

Alimentam-se de detritos que se depositam no fundo dessas águas. Eles são utilizados como alimento para peixes ornamentais.

Sanguessuga

A sanguessuga vive no meio aquático e se alimenta do sangue de outros animais. Pode alimentar-se por bastante tempo sem ser notada, pois produz uma substância de ação anestésica.

Possui duas ventosas, uma na região da boca e outra na região anal, que garantem fixação enquanto se alimenta.

AnelídeosA sanguessuga pode ser usada em tratamentos médicos

Importância medicinal da sanguessuga

As sanguessugas já foram utilizadas para realizar sangrias. Elas costumavam ser aplicadas durante um tempo na pele dos pacientes, a fim de que sugassem uma quantidade suficiente de sangue e depois eram retiradas. Usava-se para o tratamento de hipertensão arterial e do enfisema pulmonar.

Nereis

O nereis é um predador que se desloca no fundo do mar, por movimentos laterais, a procura de pequenos animais.

Têm na cabeça várias estruturas sensoriais e um par de mandíbulas, localizadas próximo à faringe.

Anelídeos

Conheça também sobre os Moluscos, outro grupo de animais invertebrados e com corpo mole.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.