Invertebrados Aquáticos

Juliana Diana

Os invertebrados aquáticos são representados por diversos filos de animais que não possuem coluna vertebral e vivem tanto em águas doces como salgadas.

Todavia, a maioria desses animais são marinhos, como as esponjas, as águas-vivas, os caranguejos, dentre tantos outros.

Os animais invertebrados aquáticos podem ser encontrados em todo o planeta, principalmente por sua variedade de espécies e habitat.

caranguejo
O caranguejo é um exemplo de animais invertebrado aquático

Invertebrados Marinhos

No ambiente marinho, as comunidades de animais pode ser dividido em três grupos, de acordo com sua capacidade de locomoção. São eles: plâncton, nécton e bentos.

Conheça a seguir sobre cada um desses grupos e alguns exemplos de animais.

Plâncton

Copépodos com bolsas de ovos
Copépodos com bolsas de ovos são exemplos micro crustáceos planctônicos

O plâncton é composto pelos animais que flutuam na massa d'água de forma passiva, sendo levados pelas correntes marinhas de um lado a outro. São seres pelágicos, ou seja, ficam flutuando sem ter contato com o substrato. São divididos em zooplâncton e fitoplâncton.

O zooplâncton são seres heterotróficos representados por pequenos crustáceos e larvas de animais, sendo que a maior parte deles flutua nas plataformas continentais em busca de alimento.

O fitoplâncton são seres autotróficos, ou seja, são os plânctons vegetais, servindo assim de alimento para outros animais.

Os exemplos mais comuns são os copépodos, grupo de crustáceos muito abundante no plâncton, além de medusas e larvas de diversos animais. Também fazem parte dos invertebrados do grupo do plâncton as algas microscópicas que vivem na superfície da água.

Nécton

invertebrado marinho necton polvo
O polvo é um exemplo de invertebrado marinho do grupo de néctons

O nécton é composto pelos animais que se movem livremente na coluna d'água, usando seus apêndices próprios de locomoção. Ele também podem ficar mais associados ao substrato ou passar a maior parte do tempo flutuando.

As lulas, polvos e águas-vivas são animais, que tanto flutuam na coluna d'água como se movimentam junto ao fundo, são predadores que se alimentam de peixes e outros invertebrados.

Algumas espécies de águas-vivas podem ser gigantes com tentáculos que alcançam até 50 metros, e há ainda as que vivem no fundo do mar e brilham!

Bentos

Poliquetas
Poliquetas sobre recife de corais

Os bentos são os animais que vivem associados ao substrato, sendo fixos ou não. Alguns vivem enterrados no sedimento, dentro de estruturas que constroem ou livres.

No fundo marinho próximo das orlas é onde se encontra a maior variedade de invertebrados marinhos, sendo um verdadeiro espetáculo de cores e formas.

São exemplos de bentos as esponjas, os corais, as anêmonas, as estrelas-do-mar, os poliquetas, os siris e lagostas, entre tantos outros.

Muitos desses animais bentônicos se movem pelo fundo à procura de alimento, outros vivem fixos e são por isso chamados sésseis, como é o exemplo das esponjas e dos corais.

Os poliquetas são outro exemplo de animais bentônicos, eles são anelídeos (do mesmo filo das minhocas) que constroem tubos que podem ser parcialmente enterrados no sedimento ou presos à superfície, servindo assim como toca onde vivem e a partir do qual capturam suas presas.

Invertebrados de Água Doce

Ainda se sabe pouco sobre os organismos que habitam as águas doces, isto porque muitos deles são extremamente pequenos e alguns até microscópicos, o que dificulta a sua observação e estudo.

Além disso, poucos são os especialistas em taxonomia que estudam esses seres no Brasil, sendo que a maior parte dos estudos existentes, estão nas regiões Amazônica, Sul e Sudeste.

Nas águas de rios, lagoas e lagos vivem principalmente vermes, rotíferos, briozoários, moluscos, crustáceos, aracnídeos e insetos. Muitos insetos passam parte do seu ciclo de vida na água e outra parte no ambiente terrestre.

libélula
A libélula é um exemplo de artrópode que vive em regiões aquáticas

O grupo mais conhecido é dos artrópodes, possuindo mais de 28 mil espécies, especialmente o grupo dos insetos como libélulas e moscas-de-água, que são as espécies de mariposas aquáticas.

Os moluscos gastrópodes também são temas de estudos, pois possuem cerca de 5 mil espécies conhecidas. Os exemplos mais comuns são as lapas e caracóis, sendo que alguns caracóis são hospedeiros intermediários de parasitas, como é o caso dos platelmintos do gênero Schistosoma que transmitem a esquistossomose.

Outro grupo muito estudado é dos rotíferos, seres microscópicos que possuem a boca rodeada de cílios que se movem rapidamente. Estão presentes em quase todos os lagos, lagoas e rios e até mesmo em poças de chuva. São animais de vida livre, presentes no plâncton dulcícola, mas alguns são sésseis (fixos a um substrato).

rotíferos
Imagem de rotíferos no microscópio

Conheça também:

Juliana Diana
Juliana Diana
Licenciada em Ciências Biológicas pelas Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) em 2007. Pós-graduada em Informática na Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 2010. Doutora em Gestão do Conhecimento pela UFSC em 2019.