Aracnídeos


Aracnídeos são um grupo de animais invertebrados representado pelas aranhas, escorpiões, opiliões, ácaros e carrapatos. São agrupados na classe Arachnida, pertencente ao filo Arthropoda, diferindo das outras classes de artrópodes (insetos, crustáceos e etc) por não apresentarem antenas e mandíbulas e sim quelíceras, sendo assim chamados quelicerados.

AracnídeosAracnídeosAracnídeosAracnídeosAracnídeos

Saiba mais no artigo sobre os artrópodes.

Aracnídeos

As aranhas têm o abdome não segmentado e globuloso. As quelíceras podem ser formadas por dois artículos paralelos entre si ou formando um ângulo, e associadas a glândulas de veneno ou não. Apresentam fiandeiras que são apêndices abdominais modificados que segregam a seda para formar a teia.

Aracnídeos

Os escorpiões são o grupo mais primitivo, tem o abdome segmentado, com estruturas sensoriais no terceiro segmento, denominadas pentes. Os pedipalpos apresentam grandes pinças. Possuem pós-abdome articulado, com um ferrão no último articulo que inocula o veneno nas presas.

Características Gerais do Corpo dos Aracnídeos

Aracnídeos /

Características

Aranhas

Escorpiões

Ácaros e carrapatos

Quelíceras

Ferrões inoculadores de veneno

Pequenas pinças preensoras

Pinças ou estiletes perfurantes

Pedipalpos ou palpos

Órgãos sensoriais. Nos machos tem função copuladora

Grandes pinças preensoras

Filamentares, simples

Patas

Quatro pares

Quatro pares

Quatro pares

Abdome

Fiandeiras

Pentes

Sem apêndices

Pós-abdome

Ausente

Com seis artículos, o último é o ferrão

Ausente

Respiração

Os aracnídeos respiram por meio de filotraqueias (pulmões foliáceos) que são estruturas laminares, cuja parte externa está em contato direto com o ar. Através das paredes das lâminas ocorre a troca dos gases, sendo o oxigênio transportado pelo sangue no interior de lacunas (isso não ocorre com os insetos que não apresentam o pigmento responsável pelo transporte de gases no sangue). Aranhas respiram tanto por filotraqueias como por traqueias como os insetos.

Sistema Nervoso e Órgãos Sensoriais

É um sistema simples com um gânglio maior acima do esôfago, considerado como o cérebro e outros gânglios ou feixes de nervos emparelhados. Há pelos táteis espalhados pelo corpo, mas especialmente nas patas que são importantes órgãos sensoriais, detectando as vibrações do ambiente.

AracnídeosDetalhe da Tarântula mostrando os pares de olhos e pelos táteis

As aranhas possuem até 8 pares de olhos simples, enquanto os escorpiões têm até 5 pares nas laterais do exoesqueleto, essas estruturas podem perceber movimentos.

Reprodução

Ocorre fecundação interna e o desenvolvimento é direto (sem presença de larva e metamorfose). Logo que nascem os aracnídeos são pequenos e têm o exoesqueleto menos endurecido, eles passam por diversas mudas para poderem crescer. Há dimorfismo sexual (sexos diferenciados) e eles podem ser ovíparos ou vivíparos.

Na maioria das espécies de aranha, o macho faz a corte para a fêmea, depois a coloca a seu lado e transfere para o seu corpo o espermatóforo, que é uma cápsula gelatinosa onde ficam os espermatozoides. Isso acontece geralmente através dos pedipalpos (já que o macho não tem pênis) que introduzem o espermatóforo no orifício genital feminino no momento da cópula. Depois de fertilizados no corpo da fêmea, ela faz a postura dos ovos que ao eclodir liberam filhotes imaturos.

Nos escorpiões a fêmea é vivípara, ou seja, carrega os ovos fertilizados dentro do seu corpo. Quando nascem, em alguns casos, os pequenos escorpiões imaturos são carregados nas costas da mãe até passarem pela primeira muda.

Hábitos Alimentares e Digestão

Aranhas e escorpiões são animais carnívoros e excelentes predadores que capturam desde insetos até pequenos anfíbios. Já os carrapatos são parasitas e sugam o sangue de suas vítimas. Os ácaros se alimentam de restos de alimentos, de pele morta (proveniente de descamação), de pelos, entre outros resíduos.

A digestão é extracorpórea, isto é, acontece fora do corpo. Isso porque muitas aranhas e escorpiões possuem venenos poderosos que paralisam suas presas, em seguida injetam sucos digestivos nos seus corpos e sugam o conteúdo. O tubo digestivo inicia na boca, abaixo das quelíceras que atuam como mandíbulas agarrando e destroçando as presas. O alimento segue pela faringe e esôfago até chegar em um estômago com fortes músculos. Tal musculatura ajuda a bombear o alimento, já parcialmente digerido por enzimas até o intestino grosso onde se acumulam os restos não aproveitados, seguindo depois caminho até o ânus onde os restos serão eliminados.

Excreção

Há duas formas de excreção nos aracnídeos. A mais comum é através dos túbulos de Malpighi, como ocorre nos insetos, que são finos e longos tubos que enviam os resíduos ao intestino para serem eliminados junto com as fezes.

A outra forma é por meio das glândulas coxais que têm uma abertura na base das patas. Em ambos os casos são eliminados excretas nitrogenados como guanina e ácido úrico que evita desperdício de água.

Habitat e Comportamento

Os escorpiões gostam de viver debaixo de cascas de árvores e pedras e perto de domicílios, gostando de ficar dentro de sapatos. Têm hábitos noturnos e durante o dia se escondem nos seus locais preferidos. Picam usando a cauda, que inocula o veneno através do ferrão. No Brasil, há duas espécies do gênero Tityus, o escorpião amarelo e o preto ou marrom, que podem provocar acidentes principalmente com crianças e pessoas debilitadas. A picada provoca dor intensa no local e se espalha pelo corpo, provocando formigamentos, suor, vômitos e em casos mais graves pode haver paralisias.

As aranhas são frequentemente encontradas nas residências, em telhados, cantos de paredes ou próximo delas, em lugares onde há lixos, entulhos, restos de construção. O veneno é inoculado pelo ferrão das quelíceras, que é o último artículo recurvado.

Aranhas Venenosas do Brasil

AracnídeosAracnídeos

A aranha marrom e a viúva-negra (destacadas nas imagens acima) são duas espécies de aranhas venenosas que temos em território brasileiro. No Brasil são encontradas 5 espécies venenosas:

  • Armadeira (Phoneutria): aranha grande atinge até 17cm e extremamente agressiva, arma o “bote” e por isso tem esse nome. Muito encontrada próximo de bananais, tem hábitos noturnos, quando sai para caçar. Seu veneno pode ser perigoso em crianças e idosos, sendo necessário nesses casos o soro antiaracnídico.
  • Aranha-marrom (Loxoceles): aranhas pequenas com 2 a 4 cm e hábitos noturnos. Não são agressivas e os acidentes são menos comuns, mas graves. É usado soro específico.
  • Viúva-negra (Latrodectus): são pequenas com 3 a 5 cm e de hábito diurno, vive em vegetação rasteira, arbustos e barrancos. Acidentes não são comuns no Brasil.
  • Aranha de grama, de jardim ou tarantulas (Lycosa): não são agressivas e até correm quando são perturbadas. Os acidentes são comuns, mas sem gravidade.
  • Caranguejeiras: são grandes com até 25 cm e temidas, mas não são agressivas, nem representam risco para as pessoas. Quando ameaçadas lançam cerdas que irritam a pele, causando reação alérgica.

Leia também sobre Animais Peçonhentos.