Crustáceos


Os crustáceos são animais invertebrados pertencentes ao filo dos artrópodes. Exemplos são os camarões, as lagostas, as cracas, os caranguejos e siris, que vivem em ambiente aquático (água doce ou salgada). Algumas espécies podem viver em ambiente terrestre como os tatuzinhos-de-jardim ou bichos-de-conta.

São muito apreciados na alimentação em todo mundo, mas também têm grande importância ecológica. São os organismos mais abundantes no plâncton, que constitui a base da cadeia alimentar nos ecossistemas marinhos.

Nas fotos a seguir, a partir de cima à esquerda: caranguejo da Indonésia, lagosta, siri e copépodos (animais microscópicos do plâncton).

CrustáceosCrustáceosCrustáceosCrustáceos

Que são os Crustáceos?

São animais invertebrados, ou seja, não possuem coluna vertebral ou crânio, mas sim um exoesqueleto, que é uma espécie de armadura constituída de proteínas e um polissacarídeo nitrogenado, a quitina. Nos crustáceos, o exoesqueleto é ainda mais rígido pois contém substâncias calcárias.

Como outros artrópodes possuem o corpo segmentado e apêndices articulados. Por outro lado, o que diferencia os crustáceos de outros artrópodes é a quantidade de apêndices: geralmente são cinco pares de patas e dois pares de antenas.

Características Gerais

  • Corpo segmentado e dividido em cefalotórax (cabeça fundida ao toráx) e abdome;
  • Presença de dois pares de antenas com função sensorial (tato e paladar) e de equilíbrio;
  • Presença de apêndices locomotores, além de mandíbulas e maxilas;
  • Hábitos alimentares diversos: há os herbívoros, os carnívoros, os detritívoros e os filtradores, como as cracas;
  • A maioria dos crustáceos é dióica (sexos separados) e a reprodução é sexuada com fecundação externa;
  • O desenvolvimento dos jovens pode ser direto (nascem iguais aos adultos) ou indireto (passam por vários estágios larvais);
  • Há crustáceos que são sésseis, como as cracas que vivem presas a um substrato, outros são bentônicos, caminham no fundo do mar, ou ainda vivem em tocas ou enterrados na areia ou lodo.

CrustáceosCracas presas a um galho na praia.

Classificação

A classificação é uma forma de facilitar a identificação e estudo dos seres vivos. A forma de classificar tem mudado muito ao longo do tempo, sendo considerado principalmente o parentesco evolutivo.

Saiba mais sobre a Classificação Biológica.

Atualmente os crustáceos compreendem um subfilo dentro do filo Arthropoda, que por sua vez agrupa muitas classes, como se vê a seguir:

- Reino Animalia

  • Filo Arthropoda

    • Subfilo Crustacea

      • Classe Branchiopoda - dáfnias e artêmias
      • SuperClasse Multicrustacea
        • SubClasse Copepoda - copépodos
        • Subclasse Thecostraca - cracas
        • Classe Malacostraca - lagosta, camarão, caranguejo, tatuí, krill, paguros ou caranguejos-eremitas, tatuzinhos-de-jardim, etc.

CrustáceosO Krill serve de alimento para as baleias.

Conheça mais sobre:

Como funciona o corpo dos crustáceos?

O corpo é composto por sistemas simples com órgãos que realizam as funções vitais. Veja a seguir:

  • O sistema digestório é completo: começa na boca, segue pelo tubo digestório onde há uma espécie de estômago com enzimas digestivas que auxiliam na digestão (que ocorre fora das células). Os restos não aproveitados saem pelo ânus.
  • O sistema respiratório dos animais aquáticos é composto de brânquias filamentosas localizadas na base dos apêndices locomotores.
  • O sistema nervoso é composto de gânglios cerebrais que se conectam através de um tubo nervoso na região ventral do corpo.
  • O sistema sensorial é desenvolvido, alguns possuem olhos compostos como os insetos. Possuem órgãos de equilíbrio, chamados estatocistos que ajudam o animal a se localizar.
  • O sistema circulatório é aberto, no qual a hemolinfa (líquido sanguíneo) é bombeada por um coração tubular através dos vasos até os tecidos e depois retorna. A hemolinfa contém pigmentos respiratórios para o transporte do oxigênio, também transporta nutrientes e excreções.

Importância Ecológica

CrustáceosAs dáfnias ou pulgas d'água são organismos microscópicos que fazem parte do plâncton.

Os microcrustáceos são os organismos mais abundantes no plâncton. São as dáfnias ou pulgas d'água , os copépodos e estágios larvais de espécies de camarão, siris, entre outros, que são pelágicos, ou seja, vivem flutuando livremente na massa d'água.

Algumas espécies de crustáceos, como Cyamus ovalis, C. erraticus e C. gracilis são encontrados nas calosidades da baleia franca, no qual se alimentam de sua pele.

Eles se alimentam de fitoplâncton e servem de alimento para muitas espécies de animais, sendo portanto a base da cadeia alimentar nos ecossistemas aquáticos.