Respiração Cutânea

Lana Magalhães

A respiração cutânea ou tegumentar é definida como o processo em que os animais realizam trocas gasosas diretamente entre sua superfície corporal e o ambiente.

A respiração cutânea ocorre em animais que vivem em ambientes aquáticos ou úmidos.

Os animais que apresentam respiração cutânea são os poríferos, cnidários, platelmintos, nematódeos, alguns anelídeos e anfíbios.

Nos anfíbios, a respiração cutânea complementa a respiração pulmonar. Isto porque na fase adulta apresentam pulmões.

A respiração cutânea é eficiente para animais pequenos e com pele altamente vascularizada.

O processo de respiração cutânea acontece através de difusão.

O gás oxigênio, em maior concentração no ambiente externo, tende a entrar para o interior do corpo do animal, onde encontra-se em baixa concentração. Enquanto, o gás carbônico faz o caminho inverso.

Saiba mais sobre a Hematose, o processo de trocas gasosas.

Tipos de Respiração Cutânea

Respiração Cutânea Direta

Ocorre sem a participação do sistema circulatório. Assim, as células abaixo do epitélio de revestimento trocam gases diretamente e atingem camadas de células mais profundas.

Exemplo: Planárias

Respiração Cutânea Indireta

Ocorre com a participação do sistema circulatório. Logo abaixo da superfície do epitélio de revestimento, encontram-se vasos sanguíneos que capturam e transportam os gases para todo o corpo.

Exemplo: Anelídeos e anfíbios.

Saiba mais, leia também:

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.