Respiração Branquial

Lana Magalhães
Escrito por Lana Magalhães
Professora de Biologia

A respiração branquial é o tipo de respiração em que as trocas gasosas ocorrem nas brânquias. Ela é relacionada ao ambiente aquático.

A respiração branquial é realizada por peixes, crustáceos, diversos anelídeos e moluscos.

As brânquias, também chamadas de guelras, são as estruturas fundamentais para o processo da respiração branquial. Elas se situam em ambos os lados da cabeça e consistem de dobras externas presentes na superfície epitelial, altamente vascularizadas.

As brânquias estão associadas à respiração aquática. É através delas que o oxigênio da água é transferido para o interior do corpo e o gás carbônico faz o trajeto contrário.

Como ocorre a respiração branquial?

Os organismos aquáticos obtêm o oxigênio dissolvido na água. A água ao entrar pela boca, passa pela faringe e banha as brânquias. Assim, as brânquias estão constantemente sendo banhadas por água e recebendo oxigênio.

O fluxo da água atinge as brânquias de forma unidirecional e passa por pequenos cílios que filtram as impurezas. Nas brânquias, ricas em capilares sanguíneos, o sangue circula no sentido contrário ao da água.

Pelo fato da água ser rica em oxigênio e o sangue em gás carbônico, ocorre a difusão, pois a concentração dos dois gases tende a se equilibrar. Assim, o oxigênio entra na corrente sanguínea do animal e o gás carbônico passa para a água. Essa situação permite as trocas gasosas.

Saiba mais, leia também:

Respiração Pulmonar
Respiração Cutânea
Respiração Traqueal
Hematose

Curiosidades

Uma das formas de verificar se um peixe está próprio para o consumo é observando as suas brânquias. Quando bem conservado, as brânquias apresentam coloração vermelho intensa.

Conheça mais sobre os Peixes.

Atualizado em
Lana Magalhães
Escrito por Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.