Capitalismo Industrial


O Capitalismo Industrial ou Industrialismo corresponde a segunda fase do capitalismo que surge com a Revolução Industrial no século XVIII e se consolida com a Segunda Revolução Industrial em meados do século XIX e início do XX.

Fases do Capitalismo

Desde o surgimento do sistema econômico capitalista no século XV, ele sofreu algumas transformações que acompanharam o desenvolvimento da sociedade, o qual está dividido em três fases, a saber:

Características do Capitalismo Industrial

As principais características do Capitalismo Industrial são:

  • Industrialização e desenvolvimento dos transportes
  • Nova forma de divisão social do trabalho
  • Trabalho assalariado
  • Liberalismo e livre-concorrência
  • Intensificação das relações comerciais internacionais
  • Surgimento da classe operária (proletariado) e dos sindicatos
  • Supremacia da burguesia industrial
  • Crescimento urbano e o desenvolvimento tecnológico
  • Transformação das manufaturas em produtos industrializados
  • Produção em larga escala
  • Aumento da produção de mercadorias e diminuição dos preços
  • Imperialismo e Globalização
  • Aumento da desigualdade social

Revolução Industrial

A Revolução Industrial teve início na Inglaterra no século XVIII com o surgimento da mecanização e a expansão das indústrias. Embora tenha iniciado na Inglaterra, esse processo de grandes transformações econômicas, políticas e sociais se espalhou pelo mundo até o início do século XX. Ela está dividida em três fases, uma vez que acompanhou o desenvolvimento da sociedade industrial:

  • Primeira Revolução Industrial (século XVIII ao XIX): máquina de fiar, tear mecânico e máquina a vapor.
  • Segunda revolução Industrial (século XIX e início do XX): desenvolvimento da energia elétrica, invenção dos automóveis e aviões, invenção dos meios de comunicação (telégrafo, telefone, televisão e cinema), surgimento das vacinas e antibióticos e descoberta de novas substancias químicas.
  • Terceira Revolução Industrial (a partir do século XX): avanço da metalurgia, da tecnologia e da ciência, conquista espacial, progresso da eletrônica, uso de energia atômica, desenvolvimento da engenharia genética e biotecnologia.

Resumo

O capitalismo industrial surge com o novo panorama determinado pelo processo de industrialização. Assim, as máquinas começam a substituir o trabalho manual, e de um pré-capitalismo esse sistema econômico atinge outra configuração a partir de novas técnicas de produção de mercadorias.

Nesse momento, os produtos manufaturados da primeira fase capitalista (capitalismo comercial ou mercantil) tornam-se produtos industrializados por meio da mecanização que despontava na Inglaterra, aumentando cada vez mais a produtividade ao mesmo tempo que ampliava o mercado consumidor pelo mundo.

Uma das maiores invenções desse período foi a máquina a vapor gerada por meio da combustão do carvão. Ela foi essencial para aumentar a produção de mercadorias e consequentemente, o lucro dos produtores.

Observe que o capitalismo surgiu no século XV, denominado de capitalismo mercantil, fundamentado no sistema mercantilista (monopólio, balança comercial favorável e metalismo), pautado nos interesses de uma nova classe que surgia: a burguesia. Nesse período as grandes navegações, a exploração de novas terras e o comércio de especiarias movimentavam a economia.

A maior característica dessa primeira fase do capitalismo para atingir o lucro foi o comércio de manufaturas, enquanto no industrialismo o comércio era realizado através da produção de mercadorias industrializadas em larga escala.

Já no capitalismo industrial, a classe burguesa, detentora dos meios de produção, ou seja, os donos das indústrias, enriquecem cada vez mais, através da mão de obra assalariada que trabalhava e eram explorados nas fábricas.

No entanto, esses operários ou proletariados não estavam satisfeitos com as precárias condições de trabalho, visto a quantidade de horas de trabalho e os baixos salários que recebiam. O resultado foi o acúmulo de capital nas mãos dos burgueses e uma classe social trabalhadora descontente, o proletariado.

Durante esse período, as desigualdades sociais crescem exponencialmente, uma vez que a maior parte do dinheiro estava concentrado nas mãos dos burgueses, enquanto a classe trabalhadora era explorada e recebia salários insuficientes para terem uma vida digna.

O êxodo rural foi um fator determinante para o desenvolvimento do capitalismo industrial, de modo que as pessoas saiam do campo em busca de melhores condições de vida nas cidades, o que resultou numa explosão demográfica e o surgimento de uma nova divisão de trabalho nas fábricas.

Destarte, com o enriquecimento da classe burguesa e o investimento em novas descobertas, levou cada vez mais a expansão e o desenvolvimento do capitalismo pelo mundo.

Além disso, a expansão de mercados consumidores, as relações internacionais e o desenvolvimento da globalização foram essenciais para consolidar uma nova fase do sistema capitalista: o capitalismo financeiro ou monopolista.