Neoliberalismo

Juliana Bezerra

Neoliberalismo é um novo conceito do liberalismo clássico. Sua principal característica é a defesa de maior autonomia dos cidadãos nos setores político e econômico e, logo, pouca intervenção estatal.

O Liberalismo surgiu no século XVIII em oposição ao Mercantilismo e às imposições aos trabalhadores em consequência da Revolução Industrial.

Seus ideais, entretanto, foram interrompidos pelo surgimento do keynesianismo, que surgiu após a Segunda Guerra Mundial e pregava ideias opostas.

Anos depois, o modelo do keynesianismo foi criticado, dando oportunidade para o regresso dos ideais do liberalismo econômico. Dado o contexto histórico, ele regressa no século XX com o nome de neoliberalismo.

Neoliberalismo Econômico

O neoliberalismo econômico teve lugar a partir da década de 70. Substituiu as medidas do modelo keynesiano, apoiando os princípios capitalistas.

Com o objetivo de estimular o desenvolvimento econômico, a ênfase principal é a não interferência do Estado na economia.

Os neoliberais defendem que a economia deve ser baseada no livre jogo das forças do mercado. Segundo eles, isso garantiria o crescimento econômico e o desenvolvimento social de um país.

As características do Neoliberalismo são:

  • Privatização de empresas estatais
  • Livre circulação de capitais internacionais
  • Abertura econômica para a entrada de empresas multinacionais
  • Adoção de medidas contra o protecionismo econômico
  • Redução de impostos e tributos cobrados indiscriminadamente

O neoliberalismo propiciou as relações econômicas internacionais. Saiba mais em Globalização.

Neoliberalismo no Brasil

No Brasil, o liberalismo foi adotado nos governos do presidente Fernando Henrique Cardoso (1995 a 1998 e 1999 a 2002). Nessa época forma implantadas reformas consideradas essenciais para modernizar o país e garantir a estabilidade econômica.

O neoliberalismo ganhou ampla aceitação nas décadas de 1980 e 1990, principalmente após o fim do socialismo no Leste europeu. Os pontos básicos do projeto neoliberal para os países americanos foram sintetizados no chamado "Consenso de Washington", em 1989.

Integrantes do FMI (Fundo Monetário Internacional) e do Banco Mundial reuniram-se para analisar as economias do continente. Além dessas organizações, também se reuniram os representantes dos Estados Unidos e de diversos países latinos americanos.

Dessa reunião resultou um conjunto de medidas para controlar a inflação e modernizar o Estado. São elas:

  • Ajuste fiscal – limitação dos gastos do Estado de acordo com a arrecadação, eliminando o déficit público.
  • Redução do tamanho do Estado – limitação da intervenção do Estado na economia e redefinição do seu papel, com o enxugamento da máquina pública.
  • Privatização – venda das empresas estatais que não se relacionam com as atividades específicas do Estado.
  • Abertura comercial – redução das alíquotas de importação e estímulo ao intercâmbio comercial, de forma a ampliar as exportações e impulsionar o processo de globalização da economia.
  • Abertura financeira – fim das restrições à entrada de capital externo e permissão para que instituições financeiras internacionais possam atuar em igualdade de condições com as do país.
  • Fiscalização dos gastos públicos e fim das obras faraônicas.
  • Investimento em infra-estrutura básica.
  • Terceirização.

No Brasil, uma das críticas às medidas neoliberais implantadas é que apesar de estabilizar a economia, o neoliberalismo não resolveu os graves problemas sociais do país.

Além do Brasil, o neoliberalismo foi adotado nos seguintes países: Argentina, Chile, Estados Unidos, Grã-Bretanha (Escócia, Inglaterra e País de Gales), México, Peru e Venezuela.

O Chile foi o primeiro país neoliberal, com o ditador Augusto Pinochet.

Neoliberalismo e Educação

As aspirações neoliberais surtiram efeito na educação. Isso porque a escola é vista como um mercado e também o ensino começa a ser privatizado.

Surgem os cursos profissionalizantes, os quais preparam o aluno para o mercado de trabalho, mas limitam a sua capacidade crítica.

Além disso, outro fato que corrobora o pensamento neoliberal é o maior número de aprovações de alunos, apesar de baixa qualidade de aprendizagem.

Neoliberalismo vs Liberalismo

O neoliberalismo reforçou as bases liberais, tendo ambos os mesmos fundamentos.

A teoria do liberalismo reúne princípios que surgem em defesa à liberdade dos cidadãos, em oposição ao absolutismo.

O mesmo acontece com o neoliberalismo (novo liberalismo), cujo nome distingue ambos principalmente em função da época em que aconteceram.

Continue sua pesquisa:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.