Capitalismo Informacional

Juliana Bezerra

O capitalismo informacional, cognitivo ou do conhecimento corresponde a quarta fase de desenvolvimento do capitalismo.

Esse termo foi utilizado primeiramente pelo sociólogo espanhol Manuel Castells, em sua obra “A Sociedade em Rede”, escrita em 1996 e publicada em 2006.

O capitalismo informacional teve início com a quebra da bolsa de valores de nova York (1929), ganhando força na virada do século.

No entanto, há controvérsias sobre a data de origem do capitalismo informacional. Para alguns estudiosos, ele começou no período do pós-guerra e, para outros, a partir da década de 80.

Resumo

O capitalismo informacional corresponde ao período econômico e social em que estamos vivendo. É marcado pelo avanço da Globalização, dos computadores, dos telefones digitais, da robótica e da internet.

Recebe esse nome pois está intimamente relacionado com a Sociedade da Informação ou Era da Informação.

Suas principais características englobam a expansão e o desenvolvimento das tecnologias de informação (TI); aceleração e aumento dos fluxos de capitais, mercadorias, informações, pessoas; e ainda, a difusão do conhecimento.

No campo social, destacam-se o aumento do fluxo de informações via net e a dependência tecnológica, as quais foram intensificadas pelo uso das redes sociais, que permitem receber muitas informações rapidamente.

Assim, surgem novas práticas sociais e culturais com o uso intensivo da tecnologia figurando uma nova estrutura social.

Nesse sentido, devemos ressaltar que a desigualdade social foi tomando outras proporções, o que gerou a exclusão digital em muitas partes do mundo.

Posterior ao capitalismo financeiro, alguns pesquisadores preferem destacar que ele surge paralelo a este. Ou seja, a terceira fase capitalista (financeira ou monopolista) ainda não está terminada, sendo, portanto, complementar ao novo capitalismo informacional.

Características

As principais características do Capitalismo Informacional são:

  • Terceira Revolução Industrial (Revolução Técnico-científica)
  • Desenvolvimento acelerado do capitalismo financeiro
  • Especialização e qualificação da mão-de-obra
  • Otimização dos processos produtivos
  • Aumento da produtividade econômica
  • Mercantilização da informação
  • Tecnologias de informação
  • Sociedade da informação
  • Inovações e revolução tecnológica
  • Desenvolvimento de softwares e aplicativos
  • Valorização da criatividade e da mão-de-obra jovem
  • Acúmulo de riqueza por meio do conhecimento
  • Marcada pelo sistema neoliberal
  • Avanço da globalização e do imperialismo
  • Aumento das transações comerciais via internet

Fases do Capitalismo

Para facilitar o entendimento sobre o conceito de capitalismo, devemos lembrar que ele teve início no século XV e foi se modificando com o passar do tempo.

Veja abaixo as três fases do capitalismo, (anteriores ao capitalismo informacional), e suas principais características:

  • Capitalismo Comercial ou Mercantil(do século XV ao XVIII) – essa fase é denominada de pré-capitalismo e apresenta como principais características: monopólio comercial, sistema mercantilista, surgimento da moeda e expansão das relações comerciais.
  • Capitalismo Industrial ou Industrialismo (séculos XVIII e XIX) – Marcado pela Revolução Industrial, essa fase tem como principais características: o avanço do sistema fabril, aumento da produtividade e do mercado consumidos e ainda, a ampliação das relações comerciais.
  • Capitalismo Financeiro ou Monopolista (a partir do século XX) – nessa fase, o sistema financeiro comanda as relações econômicas, marcado pela fusão entre capital bancário e capital industrial, o monopólio e oligopólio comercial e expansão das empresas globais (multinacionais).

Quer saber mais? Confira outros textos do Toda Matéria:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.