As 9 características principais dos vírus

Carolina Batista

Os vírus são organismos simples, formados por material genético envolvido em uma cápsula protetora.

Por dependerem de outros seres para desempenharem suas atividades e pela capacidade de infectar organismos vivos, os vírus são considerados parasitas intracelulares obrigatórios.

Confira a seguir 9 características gerais dos vírus.

Vírus não possuem células

Os vírus são seres acelulares, ou seja, não apresentam membrana plasmática, citoplasma e nem organelas.

Pelo fato de não possuírem organização celular, muitos autores dizem que os vírus não são seres vivos e, por isso, eles não estão inseridos na classificação dos domínios (Archaea, Bacteria e Eukarya) e reinos (Monera, Protista, Fungi, Plantae e Animalia) da natureza.

Entretanto, os que defendem que os vírus são seres vivos levam em consideração a presença de material genético, sua capacidade de se reproduzir, através de uma célula viva, e a ocorrência de mutações, que os fazem evoluir.

Vírus são seres microscópicos

O tamanho de um vírus varia de 20 a 300 nm. Eles são menores que as bactérias, que apresentam 0,2 a 1,5 μm de comprimento, e, por isso, existem vírus que são parasitas desses seres.

Por possuírem dimensões ultramicroscópicas, os microscópios eletrônicos, que ampliam em mais de 100 000 vezes uma imagem, são os aparelhos utilizados para visualizar a estrutura de um vírus.

Vírus possuem estrutura simples

O vírus é composto de material genético, a maioria possui DNA ou RNA, revestido por uma cápsula de proteínas protetora chamada de capsídeo.

Quimicamente, um vírus é formado basicamente por proteínas e ácido nucleico. Entretanto, outros componentes, como carboidratos e lipídios, podem estar presentes em um envoltório que envolve o capsídeo.

Embora possuam estrutura simples, os vírus possuem formas diversificadas. Veja na imagem a seguir duas formas de estrutura viral:

Estrutura dos vírus
Exemplo de estruturas dos vírus

Vírus são parasitas intracelulares

Como os vírus não possuem células e nem metabolismo próprio, esses seres desenvolvem suas atividades ao invadir uma célula viva para aproveitar seus recursos e se multiplicarem.

Durante uma infecção viral, o vírus incorpora o seu material genético no DNA da célula infectada.

A estrutura do vírus é formada por substâncias em sua superfície que reconhecem o tipo de célula que ele é capaz de penetrar e parasitar.

Vírus parasitam determinados tipos de células

Os vírus podem ser classificados de acordo com os tipos de organismos que infectam. Confira alguns exemplos:

  • Vírus de animais
  • Vírus de plantas
  • Bacteriófagos: vírus que infectam bactérias
  • Micófagos: vírus que infectam fungos
  • Virófagos: vírus que infectam outros vírus

Saiba mais sobre vírus: Bacteriófagos e Retrovírus

Vírus se reproduzem em células vivas

Os vírus necessitam de uma célula viva para se reproduzirem, pois eles não são capazes de se multiplicarem sozinhos.

Para invadir uma célula, os vírus fixam-se na parede celular e injetam seu material genético, que é replicado enquanto a célula desempenha suas funções.

Quando se multiplicam, os vírus rompem a célula hospedeira e liberam novas estruturas em um processo chamado de ciclo lítico. Os vírus também podem manter seu material genético na célula parasitada e transmitirem para células criadas em um mecanismo chamado de ciclo lisogênico.

Vírus provocam doenças chamadas de viroses

Embora existam vírus que não são agentes patogênicos, muitos vírus são causadores de doenças. Uma doença provocada por um vírus é chamada de virose.

São exemplos de doenças causadas por vírus:

  • COVID-19: causada pelo coronavírus SARS-CoV-2
  • AIDS: causada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV)
  • Gripe comum: causada pelo vírus Influenza
  • Catapora: causada pelo vírus varicela zoster (VZV)

As viroses são doenças prevenidas com a utilização de uma vacina e muitas delas ainda não possuem uma.

Vírus podem sofrer mudanças e evoluir

O material genético de um vírus pode mudar geneticamente, produzindo variabilidade genética, através de mutação ou recombinação.

Na mutação de um vírus ocorre a alteração de sua sequência de ácido nucleico, DNA ou RNA. Já a recombinação é resultado da troca de trechos do material genético.

Fora de uma célula os vírus são inertes

Quando um vírus não se encontra dentro de uma célula de um organismo vivo, a partícula viral recebe o nome de vírion.

O vírion é a forma completa e isolada de um vírus, que pode se cristalizar por tempo indeterminado.

Leia mais sobre os Vírus e teste seus conhecimentos com Exercícios sobre Vírus.

Carolina Batista
Carolina Batista
Técnica em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (2011) e Bacharelada em Química Tecnológica e Industrial pela Universidade Federal de Alagoas (2018).