Células Procariontes


As células procariontes, também conhecidas como protocélulas ou células procarióticas, pertencentes ao grupo Prokaryota do Reino Monera.

De partida, devemos tem em vista que existem dois tipos de células: procariontes ou eucariontes. Elas se diferenciam pelo seu funcionamento e pela complexidade de sua estrutura celular.

Células ProcariontesCélula Procarionte

São organismos de tamanho relativamente pequeno e com composição e funcionamento bem simplificado, o que faz destes seres os primeiros organismos vivos no Planeta.

Eles surgiram há bilhões de anos como um grupo de criaturas unicelulares. Eram capazes de sobreviver em todos os ambientes, incluindo aqueles inóspitos, onde as condições de temperatura e pH seriam consideradas inadequados para o desenvolvimento de outros seres vivos.

Para saber mais, leia os artigos:

Classificação

As células procariontes podem ser bactérias ou Archaea. Estas protobactérias ou protocélulas (Bactérias, Cianofitas e Micoplasmas) podem assumir a forma:

  • espirilos (seres alongados e helicoidais);
  • cocos, coccus e cocci (organismos relativamente esféricos);
  • bacilos, bacillus e bacilli (levemente alongados);
  • vibriões (dobrados em forma de arco ou de vírgula).

Principais Características

Exceto pelos micoplasmas, as bactérias possuem uma parede celular e sua característica mais peculiar é a falta de carioteca para subdividir o núcleo celular.

Dizemos que elas não possuem um núcleo verdadeiro, pois este é formado por algumas membranas que constituem o “nucleoide”, ou seja, um núcleo não separado.

A membrana plasmática possui permeabilidade, moléculas antigênicas. Ela é capaz de permutar substâncias com o ambiente exterior, bem como realizar a função de uma parede celular protetora.

Estas células se nutrem por meio de fontes de carbono e energia obtidas pelas ações:

  • ação fototrófica (empregam a luz solar como fonte de energia)
  • ação quimiotrófica (aproveitam energia de compostos químicos)

Apesar de exibirem a mesma estrutura molecular que os eucariontes, os seres procariontes não possuem algumas organelas, como:

Mesmo assim, os procariontes possuem DNA, o qual pode ser observado como um anel sem proteínas (são destituídos de proteínas).

Este material genético é formado apenas por um filamento de DNA circular. Uma vez que o seu núcleo está separado do resto do organismo por uma fina camada protetora, aquele filamento encontra-se completamente misturado ao hialoplasma celular.

Assim, como o seu núcleo (envoltório nuclear) carece de membrana nuclear, todo o DNA se dispersa no citoplasma na forma de ribossomos, os quais realizam a síntese proteica. Vale lembrar que somente o ribossomo pode ser encontrado no citoplasma.

As células procariontes não se reproduzem por mitose. A fissão binária assexuada recombina o material genético por transdução ou transformação. Ele permite, inclusive, que uma espécie crie resistência antibiótica a partir daquela obtida por outro organismo de espécie diferente.

Nesta reprodução, não ocorre a condensação dos cromossomos em função da ausência de processos de mitose. Assim, por meio da fissão, septos são formados e se dirigem da superfície para o núcleo celular, onde a célula é dividida em duas.

Ademais, as células procarióticas não formam organismos pluricelulares e podem viver isoladamente ou constituir colonias anaeróbicas ou aeróbicas. Apesar da grande diferença, estas células preservam entre si uma unidade anatômica.

Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.