Confúcio


K'ung Ch'iu, K'ung Chung-ni ou Confúcio para os ocidentais foi um mestre chinês nascido, provavelmente, em 552 a.C.

Sua filosofia, baseada na bondade humana e na benevolência, influenciaram a cultura chinesa e asiática.

Biografia

Confucio
Confúcio

Nasceu em 551 a.C e ficou órfão de pai aos três anos de idade. Sua família era nobre, mas se encontrava empobrecida.

Desde muito cedo trabalhou para ajudar no sustento da casa e se emprega como pastor, guarda-livros, etc. Na adolescência decide aprofundar seus estudos e tornar-se um sábio.

Confúcio não fazia distinção entre seus discípulos e se propunha a ensinar a todos, algo inédito na sociedade chinesa da época.

Ele considerava que pessoas diferentes necessitam métodos de ensino e obras diferenciados, mas não rejeitava um discípulo por conta da sua condição social.

Como era costume, os discípulos acompanhavam o mestre em suas andanças.

Por isso, escutavam e questionavam o mestre sobre diversos temas. Nesses diálogos é que acontecia a aprendizagem. O objetivo dos seguidores era adquirir sabedoria para se empregarem como funcionários ou mestres.

Apesar de muitos considerarem o confucionismo como religião, na verdade, não podemos considerá-lo como tal. Afinal, Confúcio não pregava a adoração de um deus ou instituiu dogmaticamente uma crença. Seu pensamento estava destinado a servir como orientação para uma vida melhor.

Morre aos 72 (ou aos 73) anos na sua cidade natal, entristecido porque nenhum príncipe se interessou por seus ensinamentos.

Leia mais sobre China Antiga.

Contexto Histórico

A partir do século VII a.C, ocorrem guerras e profundas mudanças sociais que desmoronam a sistema feudal. Muitos funcionários percorreram o território chinês sem ocupação e ofereceram seus conhecimentos para aqueles que desejavam adquirir sabedoria.

Desta maneira, os funcionários se transformam em mestres particulares e nesta época surgem as duas correntes de pensamento chinês: o Taoísmo e o Confucionismo.

Confúcio também vai de principado em principado oferecendo seus serviços e é considerado o primeiro professor particular da China.

Para Confúcio a única desigualdade entre os homens deveria ser entre aqueles que queriam adquirir conhecimentos ou não.

Filosofia

A filosofia de Confúcio se baseia na bondade humana e pode ser resumida na célebre frase "não faça aos outros aquilo que não gostaria que fizessem a ti." A seguir, confira uma síntese das ideias de Confúcio sobre alguns temas:

Natureza Humana

Segundo Confúcio, o ser humano é bom por natureza.

O pensador chinês rompe com a concepção aristocrática de homens superiores e inferiores. Ele dá um sentido moral e independente de sua condição de nascimento uma pessoa deve procurar se aperfeiçoar moralmente.

Que virtudes o ser humano deve cultivar? Sabedoria, sentido de responsabilidade, benevolência (sentido de humanidade) e a capacidade de se colocar no lugar do outro.

Por que devemos nos preocupar com os demais? É nosso dever. O homem verdadeiramente moral, não faz esta pergunta. A segunda resposta seria o pacto social: eu me comporto bem e espero que os outros se comportem bem comigo e assim podemos viver em sociedade.

Governo

Segundo Confúcio, um bom governo se baseava na preocupação do bem-estar, na felicidade dos indivíduos, no bom exemplo do uso do poder e na confiança na bondade humana.

Confúcio também alertava que os governantes deveriam estar atentos ao que chamamos hoje de “bem comum”. Igualmente, o povo teria direito de se rebelar, caso visse que seus interesses não estavam bem defendidos.

Religião

O confucionismo rompe com a religião tradicional da época. Na China acreditava-se numa vida pós-morte onde a hierarquia social na terra se repetiria no outro mundo. Assim, um nobre continuaria sendo nobre e um servo continuaria a servir este mesmo nobre.

Confúcio chama atenção dos discípulos que não deveriam se preocupar com o mundo após a morte, porque não era possível conhecê-lo nesta vida. Assim era melhor cultivar virtudes que nos ajudassem a ser melhores pessoas e ainda auxiliar a outras a serem felizes.

Neste ponto, as ideias de Confúcio se parecem com as dos agnósticos.

Obras

Apesar de ser um filósofo renomado é pouco provável que Confúcio tenha escrito algo em vida. Seus livros, provavelmente, são coletâneas recolhidas por seus discípulos. Em seus aforismos é preciso ser um leitor muito ativo, pois aquelas frases são ditas para provocar e deixar que o leitor tire suas próprias conclusões.

Suas ideias se encontram reunidas nos Quatro Livros:

  • Lun Yu - Diálogos, Analectos
  • Dà Xué - Grande Ensinamento
  • Zhong Young - A Doutrina do Meio.
  • Mêncio - Mèng Zi

Frases

  • Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo.
  • Se queres prever o futuro, estuda o passado.
  • O homem superior atribui a culpa a si próprio; o homem comum aos outros.
  • O silêncio é um amigo que nunca trai.
  • Para quê preocuparmo-nos com a morte? A vida tem tantos problemas que temos de resolver primeiro.
  • Não são as ervas más que afogam a boa semente, e sim a negligência do lavrador.

Leia mais sobre a Cultura Chinesa.