Confucionismo


O Confucionismo, ao contrário do que se acredita, não é propriamente uma religião, mas uma doutrina baseada no sistema filosófico do chinês Confúcio (Kung-Fu-Tzu), durante o século VI a.C.

Nesse período foi estabelecido um elaborado sistema de moral, social, político, religioso e de ensino, baseado nas antigas tradições chinesas e, ao mesmo tempo, inovadores em termos de racionalismo.

Portanto, enquanto religião, o Confucionismo é, no máximo, uma doutrina dogmática, especialmente em sua reverência aos ancestrais.

Este sistema filosófico constitui um conjunto de ensinamentos sobre ética social. Estabeleceu um tratado sobre ideologia política, segundo o qual todo ser humano teria a inteligência necessária para modificar meios e os fins de sua existência ao transformar as condições arbitrárias surgidas na vida.

Esta filosofia moral causou um grande impacto na estrutura social chinesa e asiática como um todo. Isso porque está na gênese de valores tão presentes nas culturas orientais, como a disciplina, a ordem, a consciência política, o trabalho e a valorização do estudo enquanto formação intelectual.

No Confucionismo, a família é base social em que todos os seres humanos estão assentados e da qual o sistema de governo é um aspecto mais amplo.

Os governantes são considerados os “pais do povo”, sendo este não apenas súditos, mas filhos obedientes e humildes que respeitam a autoridade política baseada no mandato do céu.

Assim, não é espantoso o respeito pelos superiores hierárquicos nas culturas influenciadas pelo Confucionismo, onde esta Escola serviu de gabarito para aqueles que almejaram cargos do governo.

Vale destacar que a humanidade é o pilar central do Confucionismo. Nela, se acredita que todos os humanos somos naturalmente bons, sendo a educação o fator primordial que irá determinar a condição humana.

Portanto, enquanto doutrina, o Confucionismo irá conciliar a natureza humana com teorias políticas e sociais, o que o torna uma doutrina prescritiva do bem viver.

Por fim, vale ressaltar que o Confucionismo sofreu a concorrência de outras correntes de pensamento na China durante os anos 400 a.C. - 200 a.C., como o Budismo e Taoismo.

Todavia, o Confucionismo prevaleceu como doutrina oficial do Estado Chinês por dezenas de séculos.

Para saber mais: Budismo e Taoismo.

Principais Atributos do Confucionismo

Humanidade, justiça, rituais, conhecimento, integridade, lealdade, piedade filial, continência, honestidade, bondade e perdão, juízo e senso de certo e errado, bravura, amabilidade e gentileza, respeito, frugalidade, modéstia e discrição.

Kung-Fu-Tzu e o Confucionismo

Confúcio, forma latina do nome chinês Kung Fu Tsé, foi um pensador que reestruturou a sociedade chinesa com seus ensinamentos essencialmente éticos durante o século VI a.C..

Nascido em berço pobre, porém nobre, Kung Fu Tsé pode tornar-se um sábio e ganhou grande reputação como professor ainda jovem, quando abriu sua primeira escola, aos 22 anos.

A partir desse renome, conquistou cargos no governo, até chegar a Ministro do Estado de Lu, sua província natal, hoje província de Shan-tung.

Confúcio fora contemporâneo de Buda (criador do Budismo) e de Lao-Tsé (fundador do Taoismo). Faleceu aos 80 anos de idade, deixando mais de 3000 discípulos formados.

Curiosidades

  • No Confucionismo, “ritual” significa todo comportamento cerimonial realizado no dia a dia.
  • O Confucionismo influenciou na formação cultural de outros países além da China, como o Japão e a Coreia.
  • O Confucionismo não possui igrejas ou uma ordem clerical.

Leia mais: Religião