Esgrima

Esgrima é um esporte olímpico disputado com espada, florete e sabre, que tem como objetivo tocar o adversário com uma dessas armas brancas - de acordo com a modalidade da disputa - sem que haja contato corporal.

Sua origem remonta à pré-história, uma vez que a arte da caça dá indícios do que viriam a se tornar as práticas esportivas.

A esgrima começou a ser disputada nas olimpíadas em 1896, em Atenas, na primeira edição dos jogos olímpicos da era moderna.

Disputa de esgrima

História da esgrima

De acordo com os registros históricos, a esgrima terá surgido como esporte na Europa no século XVI.

Mas a sua prática é muito antiga, afinal a humanidade a utilizou como um meio de sobrevivência - para caçar, para combater e se defender do inimigo.

Existem indícios de que a esgrima era praticada há milhares de anos, tanto no Egito como na Grécia. Em muitos países, antes de se tornar esporte, era uma forma de combate muito comum. Os gladiadores, por exemplo, a usavam em combates, mas também como entretenimento para o povo.

A história da evolução da esgrima se confunde com a da evolução das armas e com as formas de combater. Um pedaço de madeira era uma arma, a qual foi substituído por pedaços de metal, dando lugar aos arqueiros a cavalo, depois homens a cavalo munidos com as suas espadas, e armas de fogo.

Na época do feudalismo, a forma de guerrear começou a mudar e, com isso, as espadas também sofreram alterações, tornando-se mais fortes e também mais finas nas pontas, que passaram a ser mais utilizadas.

Cavaleiros dirigiam-se para outras vilas a fim de disputar torneios, uma prática que era muito comum até o Papa proibi-la. A proibição aconteceu na sequência da morte do rei Henrique II da França, num torneio de justa, que é um esporte em que dois cavaleiros montados a cavalo desafiam-se utilizando armas como espadas, lanças e machados.

Apesar de o estudo da esgrima ter iniciado na Itália, as primeiras escolas de esgrima são francesas. Nessa altura, em que as pistas eram desenhadas no chão, tentaram averiguar - entre a espada e o sabre - qual era a melhor arma para a prática da esgrima, mas não se chegou a nenhuma conclusão.

Com o passar do tempo, os equipamentos utilizados na prática da esgrima evoluíram, sendo acrescentados coletes, luvas e máscaras. No século XVIII tem início a esgrima moderna e as máscaras cobrem os olhos protegendo-os. Assim, a esgrima assume-se como esportiva, com benefícios mentais e físicos para os seus praticantes, dentre os quais: aumento da acuidade visual, auditiva e tátil, desenvolvimento da agilidade, concentração, desenvolvimento de reflexos e aumento da auto-confiança.

Em 1913 é fundada a Federação Internacional de Esgrima, responsável por organizar a prática e gestão do esporte a nível internacional.

Esgrima no Brasil

No Brasil, a prática da esgrima data do período imperial, graças a Dom Pedro II. As tropas faziam uso dela, motivo pelo qual foi introduzida nos cursos da Escola Militar em 1858.

Depois disso, em 1906 surge o Curso de Formação em Ginástica e, com a criação do Centro Militar de Educação Física, o mestre d’arma francês Lucien de Merignac é incentivado a vir para o Brasil. O Mestre Gauthier é outro francês contratado pelo exército Brasileiro para ensinar esgrima aos seus militares.

Com o apoio do Exército e da Marinha, em 1927, surge a União Brasileira de Esgrima.

A primeira participação do Brasil com esgrima nos jogos olímpicos ocorreu em 1936.

Regras da esgrima

A esgrima é disputada em uma pista que mede 14 x 2 m e tem duas fases: classificatória e eliminatória.

Na classificatória, os combates são feitos entre todos os atletas até que alguém consiga marcar cinco pontos.

Na fase seguinte, a disputa é feita num intervalo de três saltos de três minutos cada. A cada salto, há uma pausa de 1 minuto.

Ganha a disputa o esgrimista que tiver mais pontos, num total de 15.

Os pontos são computados de forma eletrônica. Isso acontece porque a roupa dos esgrimistas têm sensores. Antes de ser adotada essa forma, as armas traziam vestígios de giz que marcavam a roupa do adversário, o que dificultava a votação feita pelos juízes.

O objetivo é atingir o tronco do esgrimista adversário com a ponta do florete. No caso da espada, a sua ponta pode atingir qualquer parte do corpo. Enquanto isso, a ponta do sabre e mais ⅓ da arma (medida a partir da ponta), pode atingir a cintura ou a região em torno dela.

Equipamentos de esgrima

Armas: espada, florete e sabre

São as armas que determinam as modalidades da esgrima.

Na prática do esporte são utilizadas as seguintes armas brancas, as quais, além do formato, diferenciam-se pelo papel que desempenham na disputa (zona de pontuação):

Espada: com 0,90 m e 770 g, é a arma mais pesada. Na esgrima de espada, a espada pode tocar qualquer parte do corpo e, ao contrário das outras modalidades, os toques simultâneos dos adversários são permitidos.

Era a arma utilizada entre o fim do século XIX e início do século XX.

Florete: Com 0,90 e 500 g é uma arma sem ponta, considerada a mais difícil da esgrima. Leve, ela exige movimentos elegantes. Com o florete, apenas o tronco pode ser tocado com a ponta da espada.

Era a arma utilizada no século XVIII.

Sabre: com 0,88 e 500 g, é a arma mais pequena utilizada na esgrima. Com ela, é permitido tocar o adversário com a ponta ou com a lateral da lâmina - a espada e o florete tocam apenas com a ponta. No sabre de esgrima, a arma pode tocar cabeça, tronco, ombros, braços e antebraços.

Roupas

Além das armas, a roupa dos praticantes desse esporte são muito importantes, afinal, elas garantem a segurança dos esgrimistas.

O vestuário do esgrimista é geralmente todo branco e obrigatoriamente são usados os seguintes acessórios: colete protetor, luvas e máscara de metal.

Conheça outras modalidades olímpicas:

Referências Bibliográficas

CBE - Confederação Brasileira de Esgrima