Concentração Comum: exercícios com gabarito comentado

Carolina Batista

Concentração comum é a quantidade de soluto, em gramas, existente em 1 litro de solução.

Matematicamente, a concentração comum é expressa por: reto C espaço igual a numerador massa espaço de espaço soluto sobre denominador volume espaço de espaço solução fim da fração

1. (Mackenzie) Qual a concentração, em g/L, da solução obtida ao se dissolverem 4 g de cloreto de sódio em 50 cm3 de água?

a) 200 g/L
b) 20 g/L
c) 0,08 g/L
d) 12,5 g/L
e) 80 g/L

Alternativa correta: e) 80 g/L.

1º passo: Transformar a unidade do volume de cm3 para L.

Sabendo que 1 cm3 = 1 mL, temos então:

tabela linha com célula com 1000 espaço mL fim da célula menos célula com 1 espaço reto L fim da célula linha com célula com 50 espaço mL fim da célula menos reto V linha com blank blank blank linha com reto V igual a célula com numerador 50 espaço horizontal risco mL espaço. espaço 1 espaço reto L sobre denominador 1000 espaço horizontal risco mL fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 0 vírgula 05 espaço reto L fim da célula fim da tabela

2º passo: Aplicar os dados na fórmula de concentração comum:

reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito reto C espaço igual a numerador 4 espaço reto g sobre denominador 0 vírgula 05 espaço reto L fim da fração reto C espaço igual a 80 espaço reto g dividido por reto L

2. (Mackenzie) Têm-se cinco recipientes contendo soluções aquosas de cloreto de sódio.

soluções

É correto afirmar que:

a) o recipiente 5 contém a solução menos concentrada.
b) o recipiente 1 contém a solução mais concentrada.
c) somente os recipientes 3 e 4 contêm soluções de igual concentração.
d) as cinco soluções têm a mesma concentração.
e) o recipiente 5 contém a solução mais concentrada.

Alternativa correta: d) as cinco soluções têm a mesma concentração.

Aplicando a fórmula de concentração comum reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito para cada um dos recipientes, temos:

1 2 3 4 5
reto C espaço igual a numerador 0 vírgula 5 espaço reto g sobre denominador 2 espaço reto L fim da fração reto C espaço igual a 0 vírgula 25 espaço reto g dividido por reto L reto C espaço igual a numerador 0 vírgula 75 espaço reto g sobre denominador 3 espaço reto L fim da fração reto C espaço igual a 0 vírgula 25 espaço reto g dividido por reto L reto C espaço igual a numerador 1 vírgula 25 espaço reto g sobre denominador 5 espaço reto L fim da fração reto C espaço igual a 0 vírgula 25 espaço reto g dividido por reto L reto C espaço igual a numerador 2 vírgula 0 espaço reto g sobre denominador 8 espaço reto L fim da fração reto C espaço igual a 0 vírgula 25 espaço reto g dividido por reto L reto C espaço igual a numerador 2 vírgula 5 espaço reto g sobre denominador 10 espaço reto L fim da fração reto C espaço igual a 0 vírgula 25 espaço reto g dividido por reto L

Pelos cálculos realizados, percebemos que todas as soluções têm a mesma concentração.

3. (UFPI) A nova legislação de trânsito prevê um limite máximo de 6 decigramas de álcool, C2H5OH, por litro de sangue do motorista (0,6 g/L). Considerando que a porcentagem média de álcool ingerida que fica no sangue é de 15% em massa, identifique, para um adulto com peso médio de 70 kg cujo volume de sangue é de 5 litros, o número máximo de latas de cerveja (volume = 350 mL) ingeridas sem que o limite estabelecido seja ultrapassado. Dados complementares: a cerveja tem 5% de álcool em volume, e a densidade do álcool é 0,80 g/mL.

a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5

Alternativa correta: a) 1.

Dados da questão:

  • Limite máximo permitido de álcool no sangue: 0,6 g/L
  • Porcentagem de álcool ingerida que fica no sangue: 15%
  • Volume de sangue: 5 L
  • Volume de lata de cerveja: 350 mL
  • Porcentagem de álcool na cerveja: 5%
  • Densidade do álcool: 0,80 g/mL

1º passo: Calcular a massa de álcool em 5 L de sangue.

reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço seta dupla para a direita reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito

reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 0 vírgula 6 espaço reto g dividido por reto L espaço. espaço 5 espaço reto L reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 3 vírgula 0 espaço reto g espaço de espaço álcool

2º passo: Calcular a massa de álcool total, pois apenas 15% foi absorvido pela corrente sanguínea.

tabela linha com célula com reto m com 1 subscrito fim da célula menos célula com 100 sinal de percentagem fim da célula linha com célula com 3 vírgula 0 espaço reto g fim da célula menos célula com 15 sinal de percentagem fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com 1 subscrito fim da célula igual a célula com numerador 3 vírgula 0 espaço reto g espaço. espaço 100 sinal de percentagem sobre denominador 15 sinal de percentagem fim da fração espaço fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com 1 subscrito fim da célula igual a célula com 20 espaço reto g espaço de espaço álcool fim da célula fim da tabela

3º passo: Calcular o volume de álcool presente na cerveja.

reto d espaço igual a reto m sobre reto V espaço seta dupla para a direita espaço reto V espaço igual a reto m sobre reto d

reto V espaço igual a numerador 20 espaço reto g sobre denominador 0 vírgula 8 espaço reto g dividido por mL fim da fração reto V espaço igual a 25 espaço mL

4º passo: Calcular o volume máximo de cerveja que pode ser consumido.

tabela linha com célula com 25 espaço mL fim da célula menos célula com 5 sinal de percentagem fim da célula linha com célula com reto V com 2 subscrito fim da célula menos célula com 100 sinal de percentagem fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto V com 2 subscrito fim da célula igual a célula com numerador 25 espaço mL espaço. espaço 5 sinal de percentagem sobre denominador 100 sinal de percentagem fim da fração espaço fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto V com 2 subscrito fim da célula igual a célula com 500 espaço mL espaço de espaço cerveja fim da célula fim da tabela

5º passo: Interpretação dos resultados.

O volume máximo que uma pessoa pode ingerir de cerveja para que a concentração de álcool no sangue não ultrapasse 0,6 g/L é de 500 mL.

Cada cerveja contém 350 mL e ao consumir duas latas, o volume é de 700 mL, que ultrapassa o volume estabelecido. Sendo assim, o máximo que uma pessoa pode ingerir é uma lata.


4. (UNEB) O soro caseiro consiste em uma solução aquosa de cloreto de sódio (3,5 g/L) e de sacarose (11 g/L). As massas de cloreto de sódio e de sacarose necessárias para se preparar 500 mL de soro caseiro são, respectivamente:

a) 17,5 g e 55 g
b) 175 g e 550 g
c) 1 750 mg e 5 500 mg
d) 17,5 mg e 55 mg
e) 175 mg e 550 mg

Alternativa correta: c) 1 750 mg e 5 500 mg.

Calcular a massa de cloreto de sódio

1º passo: Transformar a unidade do volume de mL para L.

tabela linha com célula com 1000 espaço mL fim da célula menos célula com 1 espaço reto L fim da célula linha com célula com 500 espaço mL fim da célula menos reto V linha com blank blank blank linha com reto V igual a célula com numerador 500 espaço horizontal risco mL espaço. espaço 1 espaço reto L sobre denominador 1000 espaço horizontal risco mL fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 0 vírgula 5 espaço reto L fim da célula fim da tabela

2º passo: Calcular a massa em gramas.

reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço seta dupla para a direita reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito

reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 3 vírgula 5 espaço reto g dividido por reto L espaço. espaço 0 vírgula 5 espaço reto L reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 1 vírgula 75 espaço reto g espaço de espaço NaCl

3º passo: Transformar o valor encontrado para miligramas.

tabela linha com célula com 1 espaço reto g fim da célula menos célula com 1000 espaço mg fim da célula linha com célula com 1 vírgula 75 espaço reto g fim da célula menos célula com reto m com NaCl subscrito fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com NaCl subscrito fim da célula igual a célula com numerador 1 vírgula 75 espaço reto g espaço. espaço 1000 espaço mg sobre denominador 1 espaço reto g fim da fração espaço fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com NaCl subscrito fim da célula igual a célula com 1750 espaço mg espaço de espaço álcool fim da célula fim da tabela

Calcular a massa de sacarose

1º passo: Calcular a massa em gramas.

Sabendo que 500 mL = 0,5 L, temos então:

reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço seta dupla para a direita reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito

reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 11 espaço reto g dividido por reto L espaço. espaço 0 vírgula 5 espaço reto L reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 5 vírgula 5 espaço reto g espaço de espaço sacarose

2º passo: Transformar o valor encontrado para miligramas.

tabela linha com célula com 1 espaço reto g fim da célula menos célula com 1000 espaço mg fim da célula linha com célula com 5 vírgula 5 espaço reto g fim da célula menos célula com reto m com Sacarose subscrito fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com Sacarose subscrito fim da célula igual a célula com numerador 5 vírgula 5 espaço reto g espaço. espaço 1000 espaço mg sobre denominador 1 espaço reto g fim da fração espaço fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com Sacarose subscrito fim da célula igual a célula com 5500 espaço mg espaço de espaço sacarose fim da célula fim da tabela

5. (PUC-Campinas) Evapora-se totalmente o solvente de 250 mL de uma solução aquosa de MgCl2 de concentração 8,0 g/L. Quantos gramas de soluto são obtidos?

a) 8,0
b) 6,0
c) 4,0
d) 2,0
e) 1,0

Alternativa correta: d) 2,0.

1º passo: Transformar a unidade do volume de mL para L.

tabela linha com célula com 1000 espaço mL fim da célula menos célula com 1 espaço reto L fim da célula linha com célula com 250 espaço mL fim da célula menos reto V linha com blank blank blank linha com reto V igual a célula com numerador 250 espaço horizontal risco mL espaço. espaço 1 espaço reto L sobre denominador 1000 espaço horizontal risco mL fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 0 vírgula 250 espaço reto L fim da célula fim da tabela

2º passo: Calcular a massa de cloreto de magnésio (MgCl2).

reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço seta dupla para a direita reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito

reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a reto C espaço. espaço reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 8 vírgula 0 espaço reto g dividido por reto L espaço. espaço 0 vírgula 25 espaço reto L reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço igual a 2 espaço reto g espaço de espaço MgCl com 2 subscrito

6. (Mackenzie) A massa dos quatro principais sais que se encontram dissolvidos em 1 litro de água do mar é igual a 30 g. Num aquário marinho, contendo 2.106 cm3 dessa água, a quantidade de sais nela dissolvidos é:

a) 6,0 . 101 kg
b) 6,0 . 104 kg
c) 1,8 . 102 kg
d) 2,4 . 108 kg
e) 8,0 . 106 kg

Alternativa correta: a) 6,0 . 101 kg.

1º passo: Calcular a massa de sais dissolvidos no aquário.

Sabendo que 1 L = 1000 mL = 1000 cm3, temos:

tabela linha com célula com 1000 espaço cm ao cubo fim da célula menos célula com 30 espaço reto g fim da célula linha com célula com 2.10 à potência de 6 espaço cm ao cubo fim da célula menos reto m linha com blank blank blank linha com reto m igual a célula com numerador 2.10 à potência de 6 espaço riscado horizontal sobre cm ao cubo fim do riscado espaço. espaço 30 espaço reto g sobre denominador 1000 espaço riscado horizontal sobre cm ao cubo fim do riscado fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 60 espaço 000 espaço reto g fim da célula fim da tabela

2º passo: Transformar a unidade da massa de gramas para quilos.

tabela linha com célula com 1 espaço kg fim da célula menos célula com 1000 espaço reto g fim da célula linha com célula com reto m com 2 subscrito fim da célula menos célula com 60000 espaço reto g fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com 2 subscrito fim da célula igual a célula com numerador 60000 espaço reto g espaço. espaço 1 espaço kg sobre denominador 1000 espaço reto g fim da fração fim da célula linha com célula com reto m com 2 subscrito fim da célula igual a célula com 60 espaço kg fim da célula fim da tabela

3º passo: Transformar o resultado para notação científica.

Como um número em notação científica apresenta o formato N . 10n, para transformar 60 kg em notação científica "andamos" com a vírgula e a colocamos entre o 6 e o 0.

Temos que N = 6,0 e como andamos apenas uma casa decimal, o valor de n é 1 e a resposta correta é: 6,0 . 101 kg.

7. (UFPI) Um analgésico em gotas deve ser ministrado em quantidades de 3 mg por quilograma de massa corporal, não podendo, entretanto, exceder 200 mg por dose. Sabendo que cada gota contém 5 mg de analgésico, quantas gotas deverão ser ministradas a um paciente de 70 kg?

Resposta correta: 40 gotas.

Dados da questão:

  • Dose de analgésico recomendada: 3 mg/kg
  • Quantidade de analgésico em gota: 5 mg de analgésico
  • peso do paciente: 70 kg

1º passo: Calcular a quantidade de analgésico de acordo com o peso do paciente.

tabela linha com célula com 3 espaço mg fim da célula menos célula com 1 espaço kg fim da célula linha com reto m menos célula com 70 espaço kg fim da célula linha com blank blank blank linha com reto m igual a célula com numerador 3 espaço mg espaço. espaço 70 espaço kg sobre denominador 1 espaço kg fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 210 espaço mg fim da célula fim da tabela

A quantidade calculada ultrapassa a dose máxima. Sendo assim, deve ser ministrado 200 mg, que corresponde ao limite permitido.

2º passo: Calcular a quantidade de analgésico em gota.

tabela linha com célula com 5 espaço mg fim da célula menos célula com 1 espaço gota fim da célula linha com célula com 200 espaço mg fim da célula menos reto V linha com blank blank blank linha com reto V igual a célula com numerador 200 espaço mg espaço. espaço 1 espaço gota sobre denominador 5 espaço mg fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 40 espaço gotas fim da célula fim da tabela

8. (Enem) Determinada estação trata cerca de 30 000 litros de água por segundo. Para evitar riscos de fluorose, a concentração máxima de fluoretos nessa água não deve exceder a cerca de 1,5 miligrama por litro de água. A quantidade máxima dessa espécie química que pode ser utilizada com segurança, no volume de água tratada em uma hora, nessa estação, é:

a) 1,5 kg
b) 4,5 kg
c) 96 kg
d) 124 kg
e) 162 kg

Alternativa correta: e) 162 kg.

Dados da questão:

  • Água tratada: 30000 L/s
  • Concentração de fluoretos: 1,5 mg/L

1º passo: Transformar hora em minutos.

tabela linha com Hora blank Minutos blank Segundos linha com célula com 1 reto h fim da célula célula com seta para a direita com reto x espaço 60 sobrescrito fim da célula célula com 60 espaço min fim da célula célula com seta para a direita com reto x espaço 60 sobrescrito fim da célula célula com 3600 espaço reto s fim da célula fim da tabela

2º passo: Calcular massa de fluoretos em 30000 L/s.

tabela linha com célula com 1 vírgula 5 espaço mg fim da célula menos célula com 1 espaço reto L fim da célula linha com célula com espaço reto m com 1 subscrito fim da célula menos célula com 30000 espaço reto L fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com reto m com 1 subscrito fim da célula igual a célula com numerador 1 vírgula 5 espaço mg espaço. espaço 30000 espaço horizontal risco reto L sobre denominador 1 espaço horizontal risco reto L fim da fração fim da célula linha com célula com reto m com 1 subscrito fim da célula igual a célula com 45000 espaço mg fim da célula fim da tabela

3º passo: Calcular a massa para o tempo de 1 h (3600 s).

tabela linha com célula com 45000 espaço mg fim da célula menos célula com 1 espaço reto s fim da célula linha com célula com espaço reto m com 2 subscrito fim da célula menos célula com 3600 espaço reto s fim da célula linha com blank blank blank linha com célula com espaço reto m com 2 subscrito fim da célula igual a célula com numerador 45000 espaço mg espaço. espaço 3600 espaço horizontal risco reto s sobre denominador 1 espaço horizontal risco reto s fim da fração fim da célula linha com célula com espaço reto m com 2 subscrito fim da célula igual a célula com 162000000 espaço mg fim da célula fim da tabela

4º passo: Transformar a unidade de massa de mg para kg.

tabela linha com Miligrama blank Grama blank Quilo linha com célula com 162000000 espaço mg fim da célula célula com seta para a direita com dividido por espaço 1000 sobrescrito fim da célula célula com 162000 espaço reto g fim da célula célula com seta para a direita com dividido por espaço 1000 sobrescrito fim da célula célula com 162 espaço kg fim da célula fim da tabela

9. (UFRN) Uma das potencialidades econômicas do Rio Grande do Norte é a produção de sal marinho. O cloreto de sódio é obtido a partir da água do mar nas salinas construídas nas proximidades do litoral. De modo geral, a água do mar percorre diversos tanques de cristalização até uma concentração determinada. Suponha que, numa das etapas do processo, um técnico retirou 3 amostras de 500 mL de um tanque de cristalização, realizou a evaporação com cada amostra e anotou a massa de sal resultante na tabela a seguir:

Amostra Volume da amostra (mL) Massa de sal (g)
1 500 22
2 500 20
3 500 24

A concentração média das amostras será de:

a) 48 g/L
b) 44 g/L
c) 42 g/L
d) 40 g/L

Alternativa correta: b) 44 g/L.

1º passo: Transformar a unidade do volume de mL para L.

tabela linha com célula com 1000 espaço mL fim da célula menos célula com 1 espaço reto L fim da célula linha com célula com 500 espaço mL fim da célula menos reto V linha com blank blank blank linha com reto V igual a célula com numerador 500 espaço horizontal risco mL espaço. espaço 1 espaço reto L sobre denominador 1000 espaço horizontal risco mL fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 0 vírgula 5 espaço reto L fim da célula fim da tabela

2º passo: Aplicar a fórmula de concentração comum reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito para cada uma das amostras.

1 2 3
reto C com 1 subscrito espaço igual a numerador 22 espaço reto g sobre denominador 0 vírgula 5 espaço reto L fim da fração reto C com 1 subscrito espaço igual a 44 espaço reto g dividido por reto L reto C com 2 subscrito espaço igual a numerador 20 espaço reto g sobre denominador 0 vírgula 5 espaço reto L fim da fração reto C com 2 subscrito espaço igual a 40 espaço reto g dividido por reto L reto C com 3 subscrito espaço igual a numerador 24 espaço reto g sobre denominador 0 vírgula 5 espaço reto L fim da fração reto C com 3 subscrito espaço igual a 48 espaço reto g dividido por reto L

3º passo: Calcular a concentração média.

reto C com reto m subscrito espaço igual a espaço numerador reto C com 1 subscrito espaço mais espaço reto C com 2 subscrito espaço mais espaço reto C com 3 subscrito sobre denominador 3 fim da fração reto C com reto m subscrito espaço igual a espaço numerador 44 espaço reto g dividido por reto L mais espaço 40 espaço reto g dividido por reto L espaço mais espaço 48 espaço reto g dividido por reto L sobre denominador 3 fim da fração reto C com reto m subscrito espaço igual a 44 espaço reto g dividido por reto L

10. (Fuvest) Considere duas latas do mesmo refrigerante, uma na versão “diet” e outra na versão comum. Ambas contêm o mesmo volume de líquido (300 mL) e têm a mesma massa quando vazias. A composição do refrigerante é a mesma em ambas, exceto por uma diferença: a versão comum contém certa quantidade de açúcar, enquanto a versão “diet” não contém açúcar (apenas massa desprezível de um adoçante artificial). Pesando-se duas latas fechadas do refrigerante, foram obtidos os seguintes resultados:

Amostra Massa (g)
Lata com refrigerante comum 331,2 g
Lata com refrigerante “diet” 316,2 g

Por esses dados, pode-se concluir que a concentração, em g/L, de açúcar no refrigerante comum é de, aproximadamente:

a) 0,020
b) 0,050
c) 1,1
d) 20
e) 50

Alternativa correta: e) 50.

1º passo: Calcular a massa de açúcar.

Como a única diferença entre os refrigerantes é a massa de açúcar, já que ele está presente apenas na versão comum, podemos encontrá-la subtraindo as massas dadas de cada amostra.

reto M com açúcar subscrito espaço igual a reto M com reto R espaço comum subscrito fim do subscrito espaço menos espaço reto M com reto R espaço diet subscrito fim do subscrito reto M com açúcar subscrito espaço igual a 331 vírgula 2 espaço reto g espaço menos espaço 316 vírgula 2 espaço reto g reto M com açúcar subscrito espaço igual a 15 espaço reto g

2º passo: Transformar a unidade do volume de mL para L.

tabela linha com célula com 1000 espaço mL fim da célula menos célula com 1 espaço reto L fim da célula linha com célula com 300 espaço mL fim da célula menos reto V linha com blank blank blank linha com reto V igual a célula com numerador 300 espaço horizontal risco mL espaço. espaço 1 espaço reto L sobre denominador 1000 espaço horizontal risco mL fim da fração fim da célula linha com reto V igual a célula com 0 vírgula 3 espaço reto L fim da célula fim da tabela

3º passo: Calcular a concentração de açúcar.

reto C espaço igual a reto m com parêntese esquerdo reto g parêntese direito subscrito fim do subscrito sobre reto V com parêntese esquerdo reto L parêntese direito subscrito fim do subscrito espaço reto C espaço igual a numerador 15 espaço reto g sobre denominador 0 vírgula 3 espaço reto L fim da fração espaço reto C espaço igual a 50 espaço reto g dividido por reto L

Para adquirir mais conhecimento sobre as soluções químicas, veja também esses textos:

Carolina Batista
Carolina Batista
Técnica em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (2011) e Bacharelada em Química Tecnológica e Industrial pela Universidade Federal de Alagoas (2018).