Soluções Químicas

Lana Magalhães

As soluções químicas são misturas homogêneas formadas por duas ou mais substâncias.

Os componentes de uma solução são denominados de soluto e solvente:

  • Soluto: representa a substância dissolvida
  • Solvente: é a substância que dissolve.

Geralmente, o soluto de uma solução está presente em menor quantidade que o solvente.

Um exemplo de solução é a mistura de água com açúcar, sendo a água o solvente e o açúcar, o soluto.

A água é considerada o solvente universal, devido ao fato de dissolver uma grande quantidade de substâncias.

Exemplos de soluções químicas
As soluções químicas estão presentes em nosso cotidiano

Classificação

Como vimos, uma solução consiste de duas partes: o soluto e o solvente.

Solução química

Porém, esses dois componentes podem apresentar diferentes quantidades e características. Como resultado, existem diversos tipos de soluções, cada um deles baseia-se em uma determinada condição.

De acordo com a quantidade de soluto que possuem, as soluções químicas podem ser:

  • Soluções Saturadas: solução com a quantidade máxima de soluto para ser totalmente dissolvido pelo solvente. Se mais solvente for acrescentado pode-se acumular, sendo esse excesso chamado de corpo de fundo.
  • Soluções Insaturadas: também chamada de não-saturada, esse tipo de solução contém menor quantidade de soluto.
  • Soluções Supersaturadas: são soluções instáveis, nas quais a quantidade de soluto excede a capacidade de solubilidade do solvente.

Solução saturada e insaturada

As soluções também podem ser classificadas de acordo com o seu estado físico:

  • Soluções Sólidas: formadas por solutos e solventes em estado sólido. Exemplo: a união de cobre e níquel, que forma uma liga metálica.
  • Soluções Líquidas: formadas por solventes em estado líquido e solutos que podem estar em estado sólido, líquido ou gasoso. Exemplo: sal dissolvido em água.
  • Soluções Gasosas: formadas por solutos e solventes em estado gasoso. Exemplo: ar atmosférico.

Além disso, segundo a natureza do soluto, as soluções químicas são classificadas em:

  • Soluções Moleculares: quando as partículas dispersas na solução são moléculas, por exemplo, o açúcar (molécula C12H22O11).
  • Soluções Iônicas: quando as partículas dispersas na solução são íons, por exemplo, o sal comum (íons Na+ e Cl-).

Saiba mais sobre Soluto e Solvente.

Coeficiente de solubilidade

A solubilidade é a propriedade física das substâncias de se dissolverem, ou não, em um determinado líquido.

O coeficiente de solubilidade representa a capacidade máxima do soluto que se dissolve em uma determinada quantidade de solvente. Isso conforme as condições de temperatura e pressão.

Conforme a solubilidade, as soluções podem ser:

  • Soluções diluídas: a quantidade de soluto é menor em relação ao solvente.
  • Soluções concentradas: a quantidade de soluto é maior que a de solvente.

Quando temos uma solução concentrada, podemos notar que o soluto não se dissolve completamente no solvente, o que leva a presença de um corpo de fundo.

Para calcular o coeficiente de solubilidade é utilizada a seguinte fórmula:

Cs = 100 . m1/m2

Onde:

Cs: coeficiente de solubilidade
m1: massa do soluto
m2: massa do solvente

Saiba também sobre Produto de solubilidade.

Concentração das Soluções

O conceito de concentração (C) está intimamente relacionado com a quantidade de soluto e de solvente presente em uma solução química.

Sendo assim, a concentração das soluções indica a quantidade, em gramas, de soluto existente em um litro de solução.

Para se calcular a concentração utiliza-se a seguinte fórmula:

C = m/V

Onde:

C: concentração
m: massa do soluto
V: volume da solução

No Sistema Internacional (SI), a concentração é dada em gramas por litro (g/L), a massa em gramas (g) e o volume em litros (L).

Fique Atento!

Não devemos confundir o conceito de concentração (C) com o de densidade (d) da solução:

  • Concentração: C = massa do soluto / volume da solução (g/L)
  • Densidade: d = massa da solução / volume da solução (g/mL)

Diluição das Soluções

A diluição das soluções corresponde a adicionar mais solvente em uma solução.

Como resultado, passamos de uma solução mais concentrada para uma solução mais diluída.

Importante ressaltar que a mudança ocorre no volume da solução e não na massa do soluto.

Podemos concluir que a medida que o volume aumenta, a concentração diminui. Em outras palavras, o volume e a concentração de uma solução são inversamente proporcionais.

Saiba mais, leia também:

Exercícios

1. (Mackenzie-SP) Um exemplo típico de solução supersaturada é:

a) água mineral natural.
b) soro caseiro.
c) refrigerante em recipiente fechado.
d) álcool 46 °GL.
e) vinagre.

Alternativa c) refrigerante em recipiente fechado.

2. (UFMG) Para limpar um tecido sujo de graxa, recomenda-se usar:

a) gasolina.
b) vinagre.
c) etanol.
d) água.

Alternativa a) gasolina

3. (UFRGS-RS) Um determinado sal apresenta solubilidade em água igual a 135 g/L, a 25 °C. Dissolvendo-se, completamente, 150 g desse sal em um litro de água a 40 °, e resfriando-se lentamente o sistema até 25 °C, obtém-se um sistema homogêneo cuja solução será:

a) diluída.
b) concentrada.
c) insaturada.
d) saturada.
e) supersaturada.

Alternativa e) supersaturada.

4. (U. Anhembi Morumbi-SP) Se dissolvermos totalmente uma certa quantidade de sal em solvente e por qualquer perturbação uma parte do sal se depositar, qual a solução que teremos no final?

a) saturada com corpo de fundo.
b) supersaturada com corpo de fundo.
c) insaturada.
d) supersaturada sem corpo de fundo.
e) saturada sem corpo de fundo.

Alternativa a) saturada com corpo de fundo.

5. (Unitau-SP) Na carbonatação de um refrigerante, as condições em que se deve dissolver o gás carbônico na bebida são:

a) pressão e temperatura quaisquer.
b) pressão e temperatura elevadas.
c) pressão e temperatura baixas.
d) baixa pressão elevada temperatura.
e) alta pressão e baixa temperatura.

Alternativa e) alta pressão e baixa temperatura.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.