Exercícios sobre Ecologia

Lana Magalhães

A ecologia é a área da Biologia que estuda a interação entre os seres vivos e o ambiente em que vivem.

Teste os seus conhecimentos com 15 exercícios comentados de Ecologia dos principais vestibulares.

1. (UFC) A erva-de-passarinho e algumas bromélias são plantas que fazem fotossíntese e vivem sobre outras. No entanto, a erva-de-passarinho retira água e sais minerais da planta hospedeira enquanto as bromélias apenas se apoiam sobre ela. As relações da erva-de-passarinho e das bromélias com as plantas hospedeiras são, respectivamente, exemplos de:

a) parasitismo e epifitismo.
b) epifitismo e holoparasitismo.
c) epifitismo e predatismo.
d) parasitismo e protocooperação.
e) inquilinismo e epifitismo

Alternativa a) parasitismo e epifitismo.

Comentário: O parasitismo é a relação ecológica em que uma espécie vive sobre a outra e dela retira o seu alimento. No caso da erva-de-passarinho, ela é considerada uma hemi-parasita, ou seja, ela usa os recursos do seu hospedeiro, mas é capaz de realizar fotossíntese. Já as bromélias, apenas usam os seus hospedeiros como suporte, sem retirar deles nenhum recurso.

2. (ITA) A dinâmica do ciclo do carbono é muito variável, quer no espaço quer no tempo. As emissões de carbono ocorrem devido às ações dos seres vivos ou devido a outros fenômenos, como uma erupção vulcânica
que, por exemplo, provoca um aumento temporário de carbono na atmosfera. O sequestro (absorção) do carbono da atmosfera (CO2) é feito principalmente pelos seres clorofilados que, no processo de fotossíntese, sintetizam a molécula da glicose(C6H12O6). Para manter armazenado, por longo prazo, o carbono que foi retirado da atmosfera, é aconselhável:

a) controlar as atividades vulcânicas
b) transformar as florestas em zonas agrícolas
c) instalar hortas em grande parte das residências
d) impedir o desflorestamento e estimular o reflorestamento
e) diminuir a biodiversidade, facilitando os cálculos sobre as atividades respiratórias

Alternativa d) impedir o desflorestamentos e estimular e reflorestamento

Comentário: Uma das formas de armazenar o carbono em longo prazo é a redução de emissões, o que pode ser feito a partir do reflorestamento e também evitando novos desmatamentos.

3. (Fuvest) A maior parte do nitrogênio que compõe as moléculas orgânicas ingressa nos ecossistemas pela ação de:

a) algas marinhas
b) animais
c) bactérias
d) fungos
e) plantas terrestres

Alternativa c) bactérias

Comentário: No ciclo do nitrogênio observamos a importante ação das bactérias nitrificantes. A nitrificação é um processo químico-biológico em que o nitrito do solo sofre a ação de bactérias quimiossintetizantes nitrificantes, e ocorre a conversão da amônia em nitrato.

4. (PUC) As cianobactérias podem ser consideradas seres vivos auto-suficientes porque são capazes de:

a) fixar tanto N2 quanto CO2 sob a forma de matéria orgânica
b) absorver cálcio e nitrogênio diretamente das rochas
c) fixar o H2 atmosférico sob a forma de matéria orgânica
d) degradar qualquer tipo de matéria inorgânica ou orgânica
e) disponibilizar o fósforo para outros seres vivos

Alternativa a) fixar tanto N2 quanto CO2 sob a forma de matéria orgânica

Comentário: As cianobactérias foram os seres produtores mais primitivos, responsáveis pelo acúmulo inicial de gás oxigênio na atmosfera. Elas também são fixadoras de N e contribuem para fertilidade do solo e da água.

5. (Vunesp) Considere as três cadeias alimentares a seguir.

(I) vegetação → insetos → anfíbios → cobras → fungos.
(II) vegetação → coelho → gavião.
(III) fitoplâncton → zooplâncton → peixes → tubarão.
A maior quantidade de energia disponível para os níveis tróficos mais elevados estará:

a) apenas na cadeia (I)
b) apenas nas cadeias (I) e (III)
c) apenas na cadeia (II)
d) apenas nas cadeias (I) e (II)
e) nas cadeias (I), (II) e (III)

Alternativa c) apenas na cadeia (II)

Comentário: Os níveis tróficos representam a ordem em que a energia flui numa determinada cadeia alimentar.

Parte da energia produzida é consumida em cada nível trófico (até 90% da energia produzida), donde, quanto maior a proximidade entre os consumidores e o organismo que inicia a cadeia alimentar, maior a disponibilidade de energia.

Logo, a cadeia II é a que apresenta mais energia para os níveis tróficos mais elevados, pois é a que possui menor quantidade de elementos, ocorrendo menos perda de energia e consequentemente maior disponibilização de energia para os níveis tróficos superiores.

6. (UnB) Qual a afirmativa correta:

a) O local do ecossistema onde vive uma determinada espécie é denominado de hábitat
b) Populações são conjuntos de indivíduos geneticamente iguais
c) Clone é um grupo de indivíduos da mesma espécie que vivem no mesmo hábitat
d) Ecossistema é a palavra empregada para indicar o conjunto de populações de um ambiente
e) Comunidade é a palavra que indica o conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que habitam uma região

Alternativa a) O local do ecossistema onde vive uma determinada espécie é denominado de habitat

Comentário: O habitat designa o local em que uma determinada espécie habita.

Considerando as demais alternativas, temos:

b) População se refere ao conjunto de indivíduos, os quais não necessariamente geneticamente iguais.
c) O termo clone é usado para se referir a indivíduos geneticamente iguais.
d) O ecossistema é o conjunto dos organismos vivos e seus ambientes físicos e químicos.
e) Comunidade representa o conjunto das populações que vivem numa mesma região, no qual vivem em determinado local, com condições ambientais específicas e interagindo entre si.

7. (UERJ) Ibama recebe alerta sobre o risco de um desastre ecológico em áreas de queimada

“Empregados da fazenda Felicidade, em Mato Grosso, observam gado morto pelo incêndio que destrói pastagem
e matas no estado e não para de avançar.”

(O Globo, 30/08/2010).

Na descrição acima, podemos encontrar um consumidor primário da cadeia alimentar de pastagem. Esse consumidor tem como representante:

a) o gado
b) a mata
c) o capim
d) o homem

Alternativa a) o gado

Comentário: O consumidor primário em uma cadeia alimentar é aquele que se alimenta dos seres produtores. Portanto, entre as opções indicadas têm-se o gado.

8. (UFSC) A pirâmide de números abaixo representada diz respeito à estrutura trófica de um determinado ecossistema:

Pirâmide de energia

Assinale a sequência correta de organismos que corresponde à sequência crescente de algarismos romanos da pirâmide:

a) gramíneas, sapos, gafanhotos, gaviões, cobras.
b) gaviões, cobras, sapos, gafanhotos, gramíneas.
c) gaviões, gafanhotos, gramíneas, sapos, cobras.
d) gramíneas, gafanhotos, sapos, cobras, gaviões.
e) gramíneas, gafanhotos, gaviões, cobras, sapos.

Alternativa d) gramíneas, gafanhotos, sapos, cobras, gaviões.

Comentário: A pirâmide representa o fluxo de energia e matéria entre os níveis tróficos, no decorrer da cadeia alimentar. Em sua base encontramos os produtores, seguidos dos herbívoros e carnívoros.
Sendo assim, temos as gramíneas (seres produtores), gafanhotos (herbívoros), sapos, cobras e gaviões (consumidores).

9. (USP) Num ecossistema, um fungo, uma coruja e um coelho podem desempenhar os papéis, respectivamente, de:

a) decompositor, consumidor de 2ª ordem e consumidor de 1ª ordem
b) produtor, consumidor de 1ª ordem e consumidor de 2ª ordem
c) consumidor de 1ª ordem, consumidor de 2ª ordem e consumidor de 1ª ordem
d) consumidor de 2ª ordem, consumidor de 3ª ordem e consumidor de 1ª ordem
e) decompositor, consumidor de 1ª ordem e decompositor

Alternativa a) decompositor, consumidor de 2ª ordem e consumidor de 1ª ordem.

Comentário: O fungo é um ser decompositor, pois realiza a decomposição da matéria orgânica. A coruja é um consumidor de 2ª ordem ou secundário, já que é carnívora e alimenta-se de consumidores primários. O coelho é um consumidor de 1ª ordem ou primário, é herbívoro e alimenta-se dos seres produtores.

10. (UERN) Uma característica inerente às teias alimentares é:

a) o aumento da energia na passagem de um nível trófico para outro;
b) a transferência cíclica de energia ao longo das cadeias alimentares;
c) um mesmo organismo pode ocupar mais de um nível trófico;
d) quanto mais elevado o nível trófico, maior o número de organismos que os ocupam;
e) o ciclo da matéria é desvinculado da ação de decompositores.

Alternativa c) um mesmo organismo pode ocupar mais de um nível trófico.

Comentário: Um mesmo organismo pode ocupar mais de um nível trófico, por exemplo, alguns animais onívoros podem participar de mais do que um nível trófico ao mesmo tempo, como é o caso do ser humano.

Considerando as demais respostas sugeridas, temos as seguintes afirmações:

a) O aumento de energia diminui conforme a passagem entre os níveis tróficos.
b) A teia alimentar consiste na interligação entre várias cadeias alimentares, em que o fluxo de energia diminui com a passagem entre os níveis tróficos.
d) quanto mais elevado o nível trófico, menor a quantidade de organismos que o ocupam.
e) a ação dos seres decompositores é fundamental para o ciclo da matéria, eles transformam a matéria orgânica em inorgânica, que será utilizada pelos produtores, recomeçando o ciclo.

11. (Enem) Considerando a riqueza dos recursos hídricos brasileiros, uma grave crise de água em nosso país
poderia ser motivada por:

a) reduzida área de solos agricultáveis
b) ausência de reservas de águas subterrâneas
c) escassez de rios e de grandes bacias hidrográficas
d) falta de tecnologia para retirar o sal da água do mar
e) degradação dos mananciais e desperdício no consumo

Alternativa e) degradação dos mananciais e desperdício no consumo.

Comentário: Sabemos que no Brasil temos grande quantidade de rios, bacias hidrográficas e águas subterrâneas. Porém, em alguns aspectos a gestão dos recursos hídricos é problemática. Com isso, é comum a degradação de mananciais e o desperdício no consumo, situações que podem levar a uma grave crise hídrica no país.

12. (Unifor-CE) Considere a teia alimentar abaixo:

Cadeia alimentar

Nessa teia, o organismo que ocupa maior número de níveis tróficos é:

a) o sapo
b) o gavião
c) a cobra
d) o sabiá
e) a aranha

Alternativa b) o gavião

Comentário: O gavião é um consumidor terciário e alimenta-se dos consumidores secundários, logo é o que possui o maior número de níveis tróficos.

13. (PUC) Qual o tipo de interação interespecífica existente entre o gado bovino e os microrganismos que
vivem em seu aparelho digestório?

a) Parasitismo
b) Inquilinismo
c) Comensalismo
d) Mutualismo
e) Herbivoria

Alternativa d) Mutualismo.

Comentário: No mutualismo ambos se beneficiam da associação que é tão profunda que se torna essencial a sua sobrevivência. No caso do gado bovino e microrganismos, a relação é fundamental para a existência das espécies.

14. (UEMG-2006) Líquens são associações entre dois organismos. São tão específicas que recebem uma classificação própria como se fossem uma espécie única. A seguir, está representado um líquen do gênero Coccocarpia, em sua estrutura microscópica.

Líquen

Sobre os líquens e os componentes representados na figura acima, está CORRETO afirmar que:

a) crescem somente em solos ricos em nutrientes.
b) as estruturas 2 representam organismos autótrofos.
c) são altamente tolerantes à poluição atmosférica.
d) são organismos pioneiros nas sucessões ecológicas.

Alternativa d) são organismos pioneiros nas sucessões ecológicas.

Comentário: Os líquens são organismos formados por associação interespecífica entre algas e fungos. As algas são seres autotróficos e responsáveis pela realização da fotossíntese, o que fornece substâncias orgânicas para os fungos. Em processos de sucessão ecológica, os líquens são os primeiros organismos a surgirem.

15. (UniFor) Considere a frase: "O fungo Penicillium notatum produz penicilina, que impede a multiplicação de certas bactérias". Ela exemplifica um caso de:

a) predatismo
b) competição
c) mutualismo
d) amensalismo
e) comensalismo

Alternativa d) amensalismo

Comentário: O amensalismo é um tipo de relação ecológica em que uma espécie evita o desenvolvimento de outra.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.