Favelização no Brasil


A Favelização no Brasil é um processo muito comum que ocorre, tal qual nos países em desenvolvimento, devido ao acelerado crescimento (desordenado) associado aos problemas de planejamento e má gestão dos espaços urbanos, o que resulta na segregação urbana enquanto um reflexo da exclusão social, causadora de problemas como clandestinidade, marginalidade, violência e insalubridade.

Início da Favelização no Brasil

As primeiras favelas brasileiras surgiram no século XIX, após a abolição da escravatura, de forma que os escravos foram segregados da população branca, os quais permaneceram em zonas de risco, ou seja, próximos aos morros, córregos, etc. Contudo, o termo "favela" surge no contexto da Guerra de Canudos (1896 a 1897), para se referir ao “Arraial de Belo Monte”, que existia no “Morro da Favela”.

Todavia, a maioria das favelas brasileiras é fruto do processo de Industrialização do século XX, sobretudo do processo de Modernização dos Latifúndios na época da Ditadura Militar. Com isso, o êxodo rural (saída do campo para as cidades) foi uma alternativa encontrada pelos trabalhadores camponeses, os quais foram expulsos do campo em detrimento do progresso revelado pelas máquinas agrícolas, o que levou ao crescimento desordenado das favelas nos grandes centros e nas médias cidades. Não obstante, com o passar do tempo, a favelização no Brasil adquiriu grandes proporções refletidos nas estatísticas como o aumento da miséria, do desemprego, da violência e dos contrastes sociais.

De acordo com pesquisas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-2010), o Brasil apresenta 6.329 favelas em todo o país, sendo que 6% da população vive em moradias irregulares, processo comum nos grandes centros (maiores capitais) como São Paulo, Rio de Janeiro, Belém, Salvador, Recife e São Luís. Merece destaque a “Favela da Rocinha” posto que é a maior favela do Brasil, situada na zona sul do Rio de Janeiro com aproximadamente 70 mil habitantes.

Para saber mais: Desigualdade Social no Brasil.

Processo de Favelização

A favelização é, antes de tudo, um processo. Por sua vez, o resultado da ação de “favelizar” corresponde ao aumento do número de moradias precárias (barracos) em uma determinada região, formando um conjunto habitacional conhecido como "favela". Ela surge em áreas de ocupação irregular (públicas ou privadas) e formam núcleos populacionais densamente povoados.

Aspectos da Favelização

A favelização atinge com maior força as grandes cidades; contudo, também é comum nas cidades do interior, onde não há ajuda Federal e os problemas ocasionados pelo crescimento das favelas podem ser ainda piores.

Sabemos que as casas, também chamadas de “barracos”, são construídas de forma improvisada e sem planejamento e vão se amontoando de forma nitidamente desorganizada. Isso dificulta a criação de políticas públicas para instalação da infraestrutura necessária, como água encanada, luz e esgoto, ou ações que garantem saúde e educação (construção de creches, postos de saúde e escolas) para a população carente.

Por sua vez, o abandono do Estado, cria espaço para ações criminosas, responsável pelos altos índices de violência e criminalidade. Contudo, apesar do desamparo, as comunidades favelizadas acabam por desenvolver uma cultura própria, com suas regras e mecanismos de regulamentação competentes.

Para saber mais: Desigualdade Social.

Principais Causas da Favelização

A favelização é um problema socioeconômico causado pela estagnação econômica, pelo desemprego, pela falta de planejamento urbano, por desastres naturais e pelas guerras.

Ao contrário do que se pensa, a favelização não decorre do excesso populacional, mas do crescimento desordenado das cidades (Macrocefalia Urbana), as quais não são capazes de absorver a população e fornecer-lhe abrigo e renda.

Assim, ao migrarem em busca melhores condições de vida, os habitantes de uma região (geralmente pequenas e médias cidades) não encontram meios de subsistência no espaço urbano e acabam tendo de habitar os territórios que rodeiam a cidade, posto que fiquem mais próximos aos locais de trabalho. Isto ocorre por que aqueles meios de subsistência (principalmente alimentação e moradia) são muito mais caros nos centros urbanos do que em suas periferias.

Portanto, a favelização está ligada diretamente aos aspectos que tangem a urbanização e a industrialização, uma vez que elas são os principais causadores do êxodo rural, o qual tem sido cada vez mais rápido em direção às áreas urbanas.

Para saber mais: Industrialização e Industrialização no Brasil

Ações de Combate à Favelização

As principais medidas de combate a favelização envolvem o planejamento urbano, ações sociais, criação de escolas, geração de empregos, integração urbana das comunidades faveladas e remoção nos casos extremos, bem como o estabelecimento de infra-estruturas habitacionais e de transporte público.

Curiosidades

  • 44% da população latino americana vive em favelas ou subúrbios com infra-estrutura precária.
  • 33% da população dos países em desenvolvimento vive em favelas.
  • 11% da população de São Paulo vivem em favelas, enquanto 22% da população do Rio de Janeiro habitam tais moradias.
  • Segundo o censo do IBGE (2010) a cidade com maior número de pessoas que vivem em favelas no Brasil é o Rio de Janeiro com 1.393.314 habitantes.

Leia mais: