Urbanização


A Urbanização é um fenômeno que está ligado ao crescimento populacional e territorial das cidades.

Ele é fruto do crescimento vegetativo natural das próprias cidades, somado aos fluxos migratórios, notoriamente vindos do campo. Portanto, a urbanização está intrinsecamente ligada à migração das populações rurais, no que se convencionou denominar êxodo rural.

Assistimos hoje em dia a hegemonia da cidade sobre o campo, com o processo de urbanização crescente. Estudos apontam que dois terços da população mundial devem viver em cidades até 2050.

Vale notar aqui a relação de “simbiose” entre a cidade e o campo. Enquanto o campo produz segundo a lógica do capitalismo ditados pelas cidades, essas, por sua vez, dependem integralmente do campo para sobreviver.

Isso engloba as facilidades que a infraestrutura das áreas urbanas oferece, como água, esgoto, gás, eletricidade, transporte, educação, saúde, etc.

Esses fatores atrativos das cidades também são fortalecidos pelos fatores repulsivos, como os desastres naturais. Esses problemas expulsam as pessoas do campo e outras regiões ermas e não urbanizadas.

História da Urbanização

A urbanização é um fenômeno que existe desde o período neolítico, quando cidades surgiram a mais de seis mil anos.

Elas foram chamadas civilizações hidráulicas e nasceram pelos leitos dos rios Tigres, Eufrates, Nilo e Indo, nas regiões do Egito, China, Índia, sem falar da urbanização na Grécia e em Roma.

Durante a Idade Média o processo de urbanização se inverteu e tivemos o êxodo urbano. Contudo, o renascimento urbano dos séculos XI, XII e XIII marcou o retorno da vida urbana.

Nos séculos XVI novos territórios foram descobertos e novas cidades foram fundadas. Muitas prosperaram e cresceram, especialmente aquelas de colônias de povoamento. No século XVIII, com a Revolução Industrial, a urbanização voltou a crescer exponencialmente, o que acontece até os dias de hoje.

Entre o século XIX e XX o mundo urbanizado passou a ser uma realidade e será uma hegemonia ainda no século XXI.

Leia também:

Urbanização e Planejamento Urbano

Nova York
Nova York nos Estados Unidos é uma megacidade com forte urbanização

Atualmente não é raro encontrarmos cidades que cresceram tanto que acabaram por se fundir a outras, no processo que chamamos de "conurbação".

Estas regiões metropolitanas podem abrigar milhões de pessoas, onde o planejamento urbano se torna essencial. Isso porque ele que determina a natureza dos processos de urbanização, sendo responsável direto pelo nível de qualidade de vida nas cidades.

Problemas da Urbanização

A natureza da urbanização nos países desenvolvidos caracterizou-se pelo desenvolvimento lento e bem estruturado, sobretudo na Europa, Estados Unidos e Japão. Nesses locais, o planejamento meticuloso garantiu um bom desenvolvimento urbano.

Já nos países pobres a urbanização é impetuosa, resultando na formação de favelas. Nesse contexto, impera o desemprego ou subemprego, aumento das desigualdades, violência urbana, etc.

Favela da Rocinha
A favela da Rocinha no Rio de Janeiro é a maior do país

Entenda mais sobre cada um dos problemas da urbanização:

Urbanização Brasileira

Ao contrário da colonização espanhola na América, que primou pela construção de cidades bem estruturadas, no Brasil, a urbanização foi tardia, rápida e desordenada.

A princípio, as cidades brasileiras se estabeleceram no litoral e somente as que possuíam grandes portos se destacaram nos processos de urbanização.

Durante o século XVIII, a mineração na região da Minas Gerais fomentou a urbanização naquele território. Contudo, foi somente em 1930 com a intensificação da industrialização brasileira, que a urbanização vigorou de fato.

Nesta época, o sudeste do país, já possuía forte infraestrutura e o maior número de indústrias do Brasil, o que atraiu muitos imigrantes. Por sua vez, o centro-oeste conheceu o fenômeno da urbanização com a construção de Brasília, em 1960.

Saiba mais: