Filosofia Política


Filosofia política é uma vertente da filosofia cujo objetivo é estudar as questões que envolvem a convivência do ser humano e dos grupos humanos.

Também estuda questões fundamentais a respeito do Estado, do governo, da justiça, da liberdade e do pluralismo.

A filosofia política busca responder a perguntas como: "o que é um governo?"; "por que os governos são necessários?"; "como é possível haver um governo legítimo?; "como o governo pode assegurar os direitos e liberdades?; e, ainda, "quando e como um governo deve ser legitimamente derrubado".

Definição de Filosofia Política

A filosofia política ocidental surgiu na Grécia antiga e a palavra política é de origem grega (pólis) e significa cidade. Assim, a política era a reflexão a cerca da convivência dentro desta organização social. Importante lembrar que as cidades-estado gregas eram independentes entre si.

Tais cidades contemplavam as mais variada formas de organização política como a aristocracia, democracia, monarquia, oligarquia e, até, a tirania.

À medida que as cidades foram crescendo, o termo política pode ser aplicado a todas as questões que a convivência com seres humanos, desde aqueles que habitam aldeias, como os que estão fixados em estados-nacionais.

Existem, ainda, diferentes estudos que recebem o nome de política. São eles:

  1. A doutrina do direito moral;
  2. A teoria do Estado;
  3. O estudo dos comportamentos;
  4. A arte e a ciência do governo.

Aristóteles

Entre as obras mais influentes da filosofia política está a "Política", de Aristóteles.

O pensamento de Aristóteles aponta que a natureza humana é a justificativa para o homem viver em grupo e esta é uma das características principais a tornar o ser humano num homem. Na obra "Política", Aristóteles aponta que o "homem é um animal político".

A teologia cristã apropriou-se do pensamento de Aristóteles e o tornou "mais cristão" durante o domínio da Igreja Católica.

Essa corrente é percebida nas obras de Santo Agostinho, que enfatiza o Estado como instrumento de aplicação da moral; e São Tomás de Aquino, cuja filosofia escolástica domina o pensamento europeu por muitos séculos.

Maquiavel

O rompimento do entendimento europeu sobre a filosofia política passa a mudar a partir da obra de Nicolau Maquiavel (1469 - 1527). Em "O Príncipe" e "Os Discursos", o filósofo pondera que o bem e o mal são apenas meios de chegar ao fim.

Maquiavel desvincula a política da moral, ética e religião cristã. O objetivo é estudar a política pela política e afastando outras áreas de suas conclusões.

Iluminismo

O Iluminismo impõe uma nova ordem do pensamento e a Europa passa a vier uma espécie de era do ouro da filosofia política, com trabalhos de John Locke (1632 -1704) e, posteriormente, Voltaire (1694-1778) e Jean Jacques Rousseau (1712-1778).

Rosseau

Jean-Jacques Rousseau está entre os autores de destaque dessa época. Sua obra, "O Contrato Social", publicada em 1762, é uma das mais influentes obras de filosofia política.

Nela, Rousseau argumenta que os seres humanos fazem uma espécie de contrato com o poder. Em troca de deixarem a liberdade - o estado natural - alguém superior se encarregará de fazer leis e fiscalizá-las. Somente desta maneira, os seres humanos poderão viver em paz e prosperar.

Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.