Gênero Textual ATA

Daniela Diana

A ATA é um tipo de texto muito utilizado em assembleias, reuniões, encontros, conferências, dentre outros.

As atas são produzidas com o intuito principal de registrar toda a informação e os acontecimentos de uma reunião de pessoas.

Assim, alguém presente no encontro fica incumbido de redigir a ATA, geralmente um secretário, sendo um documento de comprovação e que reproduz resumidamente e com fidelidade, todas as discussões, deliberações e resoluções de um encontro de pessoas.

Em resumo, a ata representa um registro formal de um encontro que aponta as pessoas presentes, os assuntos debatidos e as questões abordadas e levantadas.

Por esse motivo, é um texto de caráter polifônico, ou seja, que reúne diversas vozes. Ela pode ser lida no final da reunião, para que todos os presentes tenham conhecimento do que foi redigido.

Trata-se de um texto de cunho oficial muito utilizado no meio acadêmico e por diversos órgãos institucionais, portanto, esteja atento às suas características e produção.

Principais Características da ATA

Estrutura: Como Produzir uma ATA?

Geralmente, as atas de reuniões possuem um livro próprio donde são registrados os encontros desde as decisões e resoluções dos assuntos abordados.

  • Título: nome da reunião e da Instituição, por exemplo, do congresso que está sendo realizado.
  • Data, Horário e Local: escritos por extenso, acrescenta-se no começo do texto, a data, a hora e o lugar em que o encontro ocorreu.
  • Participantes: os principais envolvidos no debate, por exemplo, o nome dos palestrares que comporão a mesa redonda de um congresso.
  • Discussão: representa o corpo do texto, ou seja, é mencionado os temas que foram abordados durante o encontro como apresentação, abertura do evento, participantes, questões levantadas por cada envolvido, dentre outros.
  • Conclusão: para terminar o texto é apontado as posteriores ações que serão desenvolvidas a partir do debate. Ou seja, é destacado as soluções, recomendações e resoluções.
  • Ressalvas: já que se trata de um texto formal, a ata não admite rasuras e por isso, ao final do texto é indicado, se necessário, algum esclarecimento sobre uma retificação que deverá ser feita no texto. Por exemplo: "em tempo, no segundo parágrafo, na segunda linha, onde se lê Amilton, leia-se Hamilton".
  • Assinatura: depois de lida, a ata que geralmente está num livro, é por fim assinada pela autoridade máxima da Instituição.

Curiosidade: Você sabia?

Da mesma forma que a data, o horário e o local são escritos por extenso, as atas não admitem abreviações e tudo deve ser escrito por extenso para evitar confusões.

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.