Linha Internacional de Data

A Linha Internacional de Data (LID) ou linha internacional de mudança de data é um traço imaginário na superfície situado no lado aposto ao meridiano de Greenwich – no meridiano 180º – e que determina a mudança de data. A convenção do meridiano oposto ao de Greenwich – 12 horas depois – como marco para o início do dia ocorreu em 1884, em uma conferência que reuniu representantes de todo o mundo.

A última mudança para ajuste de localidades ocorreu em 2011 para acomodações cartográficas em Samoa e Tokelau. Essa linha segue a rota do Sol, nascendo a Leste (ganha um dia) e pondo-se a Oeste (perde um dia).

Pelo estabelecimento da Linha Internacional de Data, o dia nasce primeiro na cidade russa de Uelem, na Sibéria, próximo ao Estreito de Bering. Do lado oposto estão as Ilhas Chathan, da Nova Zelândia, onde o início do dia ocorre 14 horas depois.

Saiba mais: Meridiano de Greenwich

LID e as Grandes Navegações

Foi por meio das expedições de Fernão de Magalhães, que circundou o planeta em viagens de navios, que aconteceram as primeiras observações em relação à Linha Internacional de Data. Dentro dos navios, marinheiros estavam certos dos dias por conta das marcações nos diários de bordo, mas quando aportavam, percebiam que o dia era diferente.

Na época – Fernão de Magalhães viveu entre 1519 e 1522 – o Vaticano considerou a proibição da passagem pela LID por acreditar que as pessoas voltavam no tempo. Esse “fenômeno” imaginário foi explorado em livros de Júlio Verne e Umberto Eco.

As Mudanças da LID

Após a primeira convenção cartográfica para o estabelecimento da linha, em 1884, houve várias acomodações. Apesar de seguir na maior parte no meridiano 180º - também chamado de anti-meridiano – a Linha Internacional de data foi “desviada” em algumas localidades, deixando diferenças temporais de até 14 horas.

Seguindo do Oceano Pacífico, na porção norte, o primeiro desvio ocorre no Estreito de Bering. Em seguida, são desviadas as Ilhas Aleutas – mantendo a toda a Rússia e o Alasca. Quando chega ao sul do Oceano Pacífico, a LID é desviada para Leste e mantém as ilhas neozelandeses, incluindo também Fiji e Tonga.

Na porção central do Oceano Pacífico, a LID foi transferida em 1995 para ignorar Kiribati. A mudança ocorrida em 2011 teve como finalidade desembaraçar as atividades comerciais entre Austrália, Nova Zelândia e Ásia. Antes disso havia atraso de um dia nas transações.