Medidas de Volume

Rosimar Gouveia
Escrito por Rosimar Gouveia
Professora de Matemática e Física

A medida de volume no sistema internacional de unidades (SI) é o metro cúbico (m3). Sendo que 1 m3 corresponde ao espaço ocupado por um cubo de 1 m de aresta.

Neste caso, o volume é encontrado multiplicando-se o comprimento, a largura e a altura do cubo.

volume do cubo

Conversão de unidades

As unidades do sistema métrico decimal de volume são: quilômetro cúbico (km3), hectômetro cúbico (hm3), decâmetro cúbico (dam3), metro cúbico (m3), decímetro cúbico (dm3), centímetro cúbico (cm3) e milímetro cúbico (mm3).

As transformações entre os múltiplos e submúltiplos do m3 são feitas multiplicando-se ou dividindo-se por 1000.

Para transformar as unidades de volume, podemos utilizar a tabela abaixo:

tabela de conversão das unidades de volume

Exemplos

1) Quantos centímetros cúbicos há em uma caixa que apresenta a forma de um cubo e que as medidas do seu comprimento, largura e altura são iguais a 0,3 m?

Solução

Como a caixa possui o formato cúbico, para encontrar seu volume, basta multiplicar suas dimensões. Assim, o volume será igual a:

V = 0,3 . 0,3 . 0,3 = 0,027 m3

Para transformar esse valor de m3 para cm3, devemos observar na tabela que será necessário multiplicar por 1000 duas vezes (primeiro passando de m3 para dm3 e depois de dm3 para cm3). Assim, temos:

V = 0,027 . 1000 . 1000 = 27 000 cm3

2) Uma lata de tinta possui um volume de 24 dm3. Qual o volume desta lata em metros cúbicos?

Solução

Para transformar de dm3 para m3 é necessário, conforme vemos na tabela acima, dividir o valor por 1000. Assim, a lata possui:

V = 24 : 1000 = 0,024 m3

Saiba mais sobre Conversão de Unidades.

Medida de capacidade

As medidas de capacidade representam o volume interno dos recipientes. Desta forma, podemos muitas vezes conhecer o volume de um determinado corpo enchendo-o com um líquido de volume conhecido.

A unidade de medida padrão de capacidade é o litro, sendo ainda utilizados seus múltiplos (kl, hl e dal) e submúltiplos (dl,cl e ml).

Em algumas situações é necessário transformar a unidade de medida de capacidade para uma unidade de medida de volume ou vice versa. Nestes casos, podemos utilizar as seguintes relações:

  • 1 m3 = 1 000 L
  • 1 L = 1 dm3

Exemplo

A piscina, representada na imagem abaixo, possui as seguintes dimensões: 7 m de comprimento, 4 m de comprimento e 1,5 m de altura. Quantos litros de água serão necessários para que a esta piscina fique completamente cheia?

Piscina - medidas de capacidade

Solução

Primeiro, precisamos calcular o valor do volume desta piscina. Para isso, vamos multiplicar a área da base pela altura da piscina. Assim, temos:

V = 7 . 4 . 1,5 = 42 m3

Agora que conhecemos seu volume, podemos utilizar as relações para descobrir sua capacidade. Para isso, podemos fazer uma regra de três.

regra de três para transformar volume em capacidade

x = 42 . 1000 = 42 000

Portanto, a piscina ficará cheia quando estiver com 42 000 litros de água.

Outras unidades de volume

Além do metro cúbico e seus múltiplos, existem outras unidade de medidas de volume. Essas unidades são usadas principalmente em países de língua inglesa.

Polegada cúbica e pé cúbico são unidades usadas para volumes sólidos. Já a onça fluida, o pint, o quarto, o galão e o barril são unidades usadas para volumes líquidos.

Para saber mais, veja também:

Exercícios Resolvidos

1) Enem - 2017

Um empresa especializada em conservação de piscinas utiliza um produto para tratamento da água cujas especificações técnicas sugere que seja adicionado 1,5 mL desse produto para cada 1 000 L de água da piscina. Essa empresa foi contratada para cuidar de uma piscina de base retangular, de profundidade constante igual a 1,7 m, com largura e comprimento iguais a 3 m e 5 m, respectivamente. O nível da lâmina d’água dessa piscina é mantido a 50 cm da borda da piscina.

A quantidade desse produto, em mililitro, que deve ser adicionada a essa piscina de modo a atender às suas especificações técnicas é:

a) 11,25.
b) 27,00.
c) 28,80.
d) 32,25.
e) 49,50

Primeiro, precisamos conhecer o volume de água que existe na piscina, e para isso, vamos multiplicar suas dimensões.

Considerando que 50 cm da profundidade ficam sem água, a profundidade da piscina será igual a 1,2 m (1,7 - 0,5). Assim, seu volume será igual a:

V = 3 . 5 . 1,2 = 18 m3

Como 1 m3 é igual a 1000 litros, então a capacidade da piscina é de 18 000 litros. Podemos agora encontrar a quantidade necessária de produto que deverá ser adicionada aos 18 mil litros de água.

Fazendo uma regra de três com esses valores, encontramos a seguinte proporção:

numerador x sobre denominador 1 vírgula 5 fim da fração igual a numerador 18 espaço 000 sobre denominador 1 espaço 000 fim da fração x igual a 18.1 vírgula 5 x igual a 27 vírgula 00 espaço m l

Alternativa: b) 27,00

2) Enem - 2017 (PPL)

Em alguns países anglo-saxões, a unidade de volume utilizada para indicar o conteúdo de alguns recipientes é a onça fluida britânica. O volume de uma onça fluida britânica corresponde a 28,4130625 mL.

A título de simplificação, considere uma onça fluida britânica correspondendo a 28 mL.

Nessas condições, o volume de um recipiente com capacidade de 400 onças fluidas britânicas, em cm3, é igual a

a) 11 200.
b) 1 120.
c) 112.
d) 11,2.
e) 1,12.

Começaremos transformando 400 onças fluidas britânicas em mL. Usando uma regra de três, encontramos a seguinte proporção:

x sobre 28 igual a 400 sobre 1 x igual a 400.28 igual a 11200 espaço m L

Note que esse resultado está em mL e queremos encontrar o valor do volume em cm3. Para isso, primeiro vamos transformar o valor para litros. Assim:

11 200 mL =11,2 L.

Como sabemos que 1 L = 1 dm3, então temos 11,2 dm3. Precisamos agora transformar de dm3 para cm3. Para isso, basta multiplicar por 1 000. Assim, 11,2 dm3 = 11 200 cm3.

Alternativa: a) 11 200

Adquira mais conhecimento com os conteúdos:

Atualizado em
Rosimar Gouveia
Escrito por Rosimar Gouveia
Bacharel em Meteorologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1992, Licenciada em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2006 e Pós-Graduada em Ensino de Física pela Universidade Cruzeiro do Sul em 2011.