Mia Couto: poemas, obras e biografia

Márcia Fernandes

Mia Couto é um escritor moçambicano que foi considerado autor de um dos melhores livros africanos do século XX.

Conhecido em vários países do mundo, sua obra literária é composta por poemas, contos, crônicas e romances. Nela, além de incluir a sua crítica social e política, o autor dá mostras do quanto valoriza as suas tradições.

Os prêmios nacionais e internacionais recebidos são reconhecimento da riqueza do seu trabalho literário.

O escritor que dá voz à África conquistou o lugar de sócio correspondente da Academia Brasileira de Letras, onde ocupa a cadeira nº 5, cujo patrono é Dom Francisco de Sousa.

Poemas de Mia Couto

Saudade

Que saudade
tenho de nascer.
Nostalgia
de esperar por um nome
como quem volta
à casa que nunca ninguém habitou.
Não precisas da vida, poeta.
Assim falava a avó.
Deus vive por nós, sentenciava.
E regressava às orações.
A casa voltava
ao ventre do silêncio
e dava vontade de nascer.
Que saudade
tenho de Deus."

(Poema do livro Tradutor de Chuvas)

Idade

Mente o tempo:
a idade que tenho
só se mede por infinitos.

Pois eu não vivo por extenso.

Apenas fui a Vida
em relampejo do incenso.

Quando me acendi
foi nas abreviaturas do imenso."

(Poema do livro Vagas e Lumes)

Para ti

Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre

Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida."

(Poema do livro Raiz de Orvalho e outros Poemas)

O que escreveu Mia Couto?

Abaixo, a lista da bibliografia completa do autor:

Livros de contos

  • O Fio das Missangas, 2003
  • Na Berma de Nenhuma Estrada, 1999
  • Contos do Nascer da Terra,1997
  • Estórias Abensonhadas,1994
  • Cada Homem é uma Raça,1990
  • Vozes Anoitecidas,1987

Livros de crônicas

  • E se Obama fosse Africano? e Outras Interinvenções, 2009
  • Pensatempos. Textos de Opinião, 2005
  • O País do Queixa Andar, 2003
  • Cronicando, 1991

Livros infantis

  • O Menino no Sapatinho, 2013
  • O Beijo da Palavrinha, 2006
  • A Chuva Pasmada, 2004
  • O Gato e o Escuro, 2008

Livros de poesias

  • Tradutor de Chuvas, 2011
  • Idades, Cidades, Divindades, 2007
  • Raiz de Orvalho e outros Poemas, 1999
  • Raiz de Orvalho, 1983

Romances

  • Vagas e Lumes, 2014
  • Jerusalém (no Brasil, o título do livro é Antes de Nascer o Mundo), 2009
  • Venenos de Deus, Remédios do Diabo, 2008
  • O Outro Pé da Sereia, 2006
  • Um Rio Chamado Tempo, uma Casa Chamada Terra, 2002
  • O Último Voo do Flamingo, 2000
  • Mar Me Quer, 2000
  • Vinte e Zinco, 1999
  • A Varanda do Frangipani, 1996
  • Terra Sonâmbula, 1992

Conheça Mia Couto: biografia do escritor

Conhecido como Mia Couto, seu nome completo é Antônio Emílo Leite Couto. Filho de portugueses, nasceu em Moçambique no dia 5 de julho de 1955.

Mia Couto se estreou nas letras com 14 anos, quando publicou poemas no Jornal da Beira, sua cidade natal.

Entrou em Medicina, mas abandonou o curso para se dedicar ao jornalismo. Exerceu a profissão de jornalista entre 1974 e 1985, período em que foi repórter e diretor da Agência de Informação de Moçambique (AIM), da revista semanal Tempo e do jornal Notícias.

Depois de abandonar a carreira de jornalista, formou-se em Biologia, especializando-se em Ecologia. Tornou-se professor na universidade em que se formou. Além de professor, é pesquisador, e em 1922 a preservação da reserva natural da Ilha de Inhaca esteve a seu cargo.

Mia Couto

Prêmios recebidos (do mais para o menos recente):

  • Prêmio Internacional Literatura Neustadt, da Universidade de Oklahomade, em 2014;
  • Prêmio Camões, em 2013;
  • Prêmio Eduardo Lourenço, em 2011;
  • Prêmio Passo Fundo Zaffari e Bourbon de Literatura, com o livro O Outro Pé da Sereia, em 2007;
  • Prêmio União Latina de Literaturas Românicas, em 2007;
  • Prêmio Mário António (Ficção) da Fundação Calouste Gulbenkian, com o livro O Último Voo do Flamingo, em 2001;
  • Prêmio Nacional de Ficção da Associação de Escritores Moçambicanos (AEMO), com o livro Terra Sonâmbula, em 1995;
  • Prêmio Vergílio Ferreira, da Universidade de Évora, em 1990;
  • Prêmio Anual de Jornalismo Areosa Pena (Moçambique) com o livro Cronicando, em 1989.

Leia também Terra Sonâmbula

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.