Montesquieu


Montesquieu foi um dos mais importantes filósofos e pensadores do iluminismo francês, ao lado de Voltaire e Rousseau. Considerado um dos criadores da “Filosofia da História”, sendo sua maior contribuição teórica, a separação dos poderes estatais, sistematizados em três tipos: executivo, legislativo e judiciário.

Biografia

Filho de Marie Françoise de Pesnel, de origem inglesa e Jacques Secondat, de descendência francesa, Charles-Louis de Secondat, nasceu em Bordeaux, França, no dia 18 de Janeiro de 1689. Pertencente à uma família aristocrática, Charles ficou conhecido como Barão de La Brède e principalmente, por Montesquieu. Teve uma boa educação e com apenas 16 anos ingressou na Universidade de Bordeaux, no curso de Direito.

Em 1714, com a morte do pai, tornou-se Conselheiro do Parlamento da cidade de Bordeaux, sob responsabilidade de seu tio, o Barão de Montesquieu. Entretanto, com a morte de seu tio, herdou uma boa herança, sendo nomeado Barão de Montesquieu, no qual, passa da posição de conselheiro, para assumir a presidência do Parlamento de Bordeaux. Em 1715, casou-se com a abastada protestante Jeanne de Lartigue, com quem teve dois filhos.

Em Paris, estudou na Academia Francesa donde fazia parte dos grandes círculos intelectuais da cidade. Viajou pela Europa expandindo seus conhecimentos e acrescentando à sua formação intelectual, segundo ele: “Quando vou a um país, não examino se há boas leis, mas se as que lá existem são executadas, pois boas leis há por toda a parte”. Em Londres, iniciou-se na maçonaria e, em 1729, foi eleito membro da "Royal Society". Por fim, aos 66 anos, faleceu em Paris, dia 10 de Fevereiro de 1755, vítima de uma febre.

Principais Ideias

Foi um crítico do absolutismo e do catolicismo, defensor da democracia, sendo sua obra mais destacada “O Espirito das Leis”, publicada em publicação em 1748, um tratado de teoria política, no qual aponta para a divisão dos três poderes (executivo, legislativo e judiciário).

Ademais, criticou as autoridades políticas e religiosas, atitude muito comum no pensamento iluminista da época. Vale destacar que o Iluminismo foi um movimento cultural e intelectual europeu do século XVIII. Atualmente, essa obra é referência mundial para cientistas sociais e advogados.

Para saber mais:

Principais Obras

Proficiente leitor e escritor, divulgou suas ideias por meio de muitas obras, das quais se destacam:

  • Cartas Persas (1721)
  • Considerações sobre as Causas da Grandeza dos Romanos e de sua Decadência (1734)
  • O Espírito das Leis (1748)

Frases

  • O estudo foi para mim o remédio soberano contra os desgostos da vida, não havendo nenhum desgosto de que uma hora de leitura me não tenha consolado.”
  • As conquistas são fáceis de fazer, porque as fazemos com todas as nossas forças; são difíceis de conservar, porque as defendemos só com uma parte das nossas forças.”
  • Se quiséssemos ser apenas felizes, isso não seria difícil. Mas como queremos ficar mais felizes do que os outros, é difícil, porque achamos os outros mais felizes do que realmente são.”
  • As viagens dão uma grande abertura à mente: saímos do círculo de preconceitos do próprio país e não nos sentimos dispostos a assumir aqueles dos estrangeiros.”
  • A corrupção dos governantes quase sempre começa com a corrupção dos seus princípios.”
  • Sempre vimos boas leis, que fizeram com que uma pequena república crescesse, transformarem-se depois num peso para ela, depois de grande.”
  • É preciso saber o valor do dinheiro: os pródigos não o sabem e os avaros ainda menos.”

Curiosidade

  • Montesquieu também contribuiu para a concepção da célebre Enciclopédia (Dictionnaire Raisonné des Sciences, des Arts et des Métiers), juntamente com Denis Diderot (1713-1784) e Jean le Rond D'Alembert (1717-1783).

Quiz de personalidades que fizeram história