Objeto Direto e Indireto

Márcia Fernandes

Objeto direto e indireto são complementos verbais que completam o sentido dos verbos transitivos. Um desses complementos, o objeto indireto, é acompanhado obrigatoriamente por preposição, enquanto o objeto direto na maior parte das vezes não é acompanhado por preposição.

O que é objeto direto?

Objeto direto é o complemento que se liga ao verbo transitivo sem auxílio de preposição (leio livros, compro livros, vendo livros).

Objeto direto preposicionado

O objeto direto não precisa de preposição, mas em alguns casos, ele pode vir acompanhado de preposição - por questões estilísticas ou para evitar ambiguidades.

A diferença entre objeto direto e indireto é que a presença da preposição é obrigatória no objeto indireto; caso contrário, ele não faz sentido. O objeto direto não precisa da preposição, mas em alguns casos, ela pode ser usada.

Exemplos de objeto direto preposicionado:

Ao irmão a irmã perdoou.
Perdoar é um verbo transitivo direto, pois precisa de complemento sem exigência de preposição. No entanto, na oração “O irmão a irmã perdoou” não deixa claro quem perdoou quem, o que não acontece com a presença da preposição na oração (Ao irmão a irmã perdoou.), em que é possível perceber que a irmã perdoou o irmão.

Cumpri com o que tinha prometido.
Cumprir é um verbo transitivo direto, pois precisa de complemento sem exigência de preposição. O que cumpri? Cumpri o que tinha prometido.

Neste caso, a presença da preposição “com” serve apenas para dar mais ênfase à mensagem que comunica o cumprimento de uma promessa.

O que é objeto indireto?

Objeto indireto é o complemento que se liga ao verbo transitivo através de preposição obrigatória (acredito em você, vou à escola, preciso de água)

Pronomes oblíquos com a função de objetos diretos e indiretos

Os pronomes oblíquos podem desempenhar a função de complementos verbais da seguinte forma:

  • Objeto direto: o, a, os, as.
  • Objeto indireto: lhe, lhes.
  • Objeto direto ou objeto indireto: me, te, se, nos, vos.

Exemplos de pronome oblíquo com função de objeto direto:
Convidei-os para jantar (O pronome oblíquo “os” desempenha a função de objeto direto, porque ele poderia ser substituído por “os amigos”, por exemplo, que é um complemento sem auxílio de preposição - Convidei os amigos para jantar.).

Exemplos de pronome oblíquo com função de objeto indireto:
O livro interessava-lhe. (O pronome oblíquo “lhe” desempenha a função de objeto indireto, porque ele poderia ser substituído por “a ele”, que é um complemento que necessita de preposição - O livro interessa a ele.).

Exemplos de pronome oblíquo com função de objeto direto ou indireto:
Abraçou-lhe. (O pronome oblíquo “lhe” desempenha a função de objeto direto, porque ele poderia ser substituído por “o filho”, por exemplo, que é um complemento sem auxílio de preposição - Abraçou o filho.).

Entreguei-lhe o cartão. (O pronome oblíquo “lhe” desempenha a função de objeto indireto, porque ele poderia ser substituído por “à cliente”, que é um complemento que necessita de preposição - Entreguei o cartão à cliente.).

Exemplos de objeto direto e indireto

  1. João informou o incidente ao cliente. (“o incidente” é objeto direto, “ao cliente” é objeto indireto)
  2. Ana emprestou o livro ao colega. (“o livro” é objeto direto, “ao colega” é objeto indireto)
  3. O turista pagou as frutas ao vendedor. (“as frutas” é objeto direto, “ao vendedor” é objeto indireto)
  4. Maria terminou os deveres para a filha. (“os deveres” é objeto direto, "para a filha" é objeto indireto)
  5. Não recebeu a encomenda do fornecedor. (“a encomenda” é objeto direto, "do fornecedor" é objeto indireto)
  6. Devolveu o livro à biblioteca. (“o livro” é objeto direto, "à biblioteca" é objeto indireto)
  7. Prefiro doce a salgado. (“doce” é objeto direto, "a salgado" é objeto indireto)
  8. Ana comunicou o acidente aos ouvintes. (“o acidente” é objeto direto, “aos ouvintes” é objeto indireto)
  9. A mãe fazia as compras com a filha. (“as compras” é objeto direto, “com a filha” é objeto indireto)
  10. Ela revelou à polícia os detalhes. (“à polícia” é objeto indireto, “os detalhes” é objeto direto)

Exercícios de objeto direto e indireto

Classifique os complementos verbais das orações abaixo, conforme a legenda:

VTD - Verbo Transitivo Direto
VTI - Verbo Transitivo Indireto
VTDI - Verbo Transitivo Direto e Indireto

1. O menino faminto comeu o bolo.

VTD - Verbo Transitivo Direto
O menino faminto comeu o quê? O bolo (“o bolo” é objeto direto, pois completa o verbo sem auxílio de preposição).

2. Agradeci o convite aos noivos.

VTDI - Verbo Transitivo Direto e Indireto
Agradeci o quê? O convite (“o convite” é objeto direto, pois completa o verbo sem auxílio de preposição).
Agradeceu a quem? Aos noivos (“aos noivos” é objeto indireto, pois completa o verbo através da preposição “a”).

3. A noiva ama-o muito.

VTD - Verbo Transitivo Direto
Quem a noiva ama? Neste caso, o pronome oblíquo “o” desempenha a função de objeto direto, porque ele poderia ser substituído por “noivo”, por exemplo (A noiva ama muito o noivo).

4. Gosto de doces.

VTI - Verbo Transitivo Indireto
Gosto de quê? De doces (“de doces” é objeto indireto, pois completa o verbo através da preposição “de”).

5. Aos filhos o pai aconselha.

VTD - Verbo Transitivo Direto
Aconselhar é um verbo transitivo direto, pois precisa de complemento sem exigência de preposição. No entanto, na oração “Os filhos o pai aconselha” não deixa claro quem aconselha quem, o que não acontece com a presença da preposição na oração (Aos filhos o pai aconselha.), em que é possível perceber que o pai aconselha os filhos.

6. Contei as novidades às visitas.

VTDI - Verbo Transitivo Direto e Indireto
Contei o quê? As novidades (“as novidades” é objeto direto, pois completa o verbo sem auxílio de preposição).
Contei a quem? Às visitas (“às visitas” é objeto indireto, pois completa o verbo através da preposição “a”).

7. Duvidei dele.

VTI - Verbo Transitivo Indireto
Duvidei de quem? Dele (“dele” é objeto indireto, pois completa o verbo através da preposição “de” - de + ele = dele).

8. Não acredito em ti.

VTI - Verbo Transitivo Indireto
Não acredito em quem? Em ti (“em ti” é objeto indireto, pois completa o verbo através da preposição “em”).

9. As mensagens, li-as todas.

VTD - Verbo Transitivo Direto
O que li? As mensagens (“as mensagens” é objeto direto, pois completa o verbo sem auxílio de preposição).

Ao mesmo tempo, o pronome oblíquo “as” desempenha a função de objeto direto. Neste caso, o pronome foi utilizado para reforçar que as mensagens foram lidas (“li-as todas” ou “li as mensagens todas”). Pelo fato de ter a intenção de destacar o objeto, ele é chamado de objeto pleonástico; e como ele se refere a um objeto direto, o chamamos de objeto direto pleonástico.

10. Necessita de carinho.

VTI - Verbo Transitivo Indireto
Necessita de quê? De carinho (“de carinho” é objeto indireto, pois completa o verbo através da preposição “de”).

11. Ele deu-te um tapa?

VTDI - Verbo Transitivo Direto e Indireto
O que ele deu? Um tapa (“um tapa” é objeto direto, pois completa o verbo sem auxílio de preposição).
Em quem ele deu um tapa? Neste caso, o pronome oblíquo “te” desempenha a função de objeto indireto, porque ele poderia ser substituído por “em ti”, por exemplo (Ele deu um tapa em ti?).

12. Emprestei para Maria todos os meus livros.

VTDI - Verbo Transitivo Direto e Indireto
Emprestei o quê? Todos os meus livros (“todos os meus livros” é objeto direto, pois completa o verbo sem auxílio de preposição).
Emprestei todos os meus livros a quem? Para Maria (“para Maria” é objeto indireto, pois completa o verbo através da preposição “para”).

Não tenha mais dúvidas! Leia também:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.