Orientação Sexual

Juliana Diana

Orientação sexual é um termo que está relacionado com as diferentes formas de atração afetiva e sexual de cada um.

Esse conceito veio substituir o de “opção sexual” visto que as pessoas não escolhem sua orientação, ou seja, elas desenvolvem sua sexualidade ao longo da vida. Nesse sentido, uma pessoa não opta por ser heterossexual ou homossexual.

Tipos

Dependendo da atração sexual e afetiva, a orientação sexual é classificada em três tipos:

  • Heterossexual ou heteroafetivo: quando uma pessoa se atrai por um gênero diferente do seu.
  • Homossexual ou homoafetivo: quando a atração ocorre entre pessoas do mesmo gênero. Nessa categoria estão as lésbicas (atração e relacionamento entre mulheres) e os gays (afetividade e atração entre homens).
  • Bissexual ou biafetivo: quando a pessoa se sente atraída por ambos os gêneros: feminino e masculino.

Obs: Para além dessa categorização, há ainda os assexuados, ou seja, aqueles que não possuem interesse e nem se sentem atraídos por nenhum dos gêneros.

Identidade de Gênero

Identidade de gênero

O gênero é um termo que corresponde ao sexo biológico do indivíduo o qual é classificado de duas maneiras: feminino e masculino. Já os intergêneros não se identificam com nenhum dos gêneros.

A identidade de gênero é um conceito que está relacionado com o sentimento que alguém possui sobre si mesmo, independentemente de sua anatomia.

Nesse caso, há pessoas que nascem com um gênero biológico específico e não se identificam com ele. Como exemplo, temos os transgêneros ou transexuais. Geralmente, esses indivíduos se submetem a cirurgias para modificar o sexo.

Diferente deles, estão os travestis, que possuem também uma identificação com o gênero oposto ao do nascimento, porém não se submetem a cirurgias de mudança de sexo.

Para os travestis, há uma alteração dos papéis de gêneros, ou seja, uma mudança no comportamento que a pessoa desempenha na sociedade.

Curiosidade

A Sigla “LGBT” representa o movimento de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Ela foi substituída pela “GLS” que excluíam os bissexuais, os travestis e os transexuais.

Orientação Sexual nas Escolas

O tema da orientação sexual começou a ser contemplado pela inserção do tema transversal no currículo escolar desde 1997.

Esse tema faz parte dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s):

Ao tratar do tema Orientação Sexual, busca-se considerar a sexualidade como algo inerente à vida e à saúde, que se expressa no ser humano, do nascimento até a morte. Relaciona-se com o direito ao prazer e ao exercício da sexualidade com responsabilidade. Engloba as relações de gênero, o respeito a si mesmo e ao outro e à diversidade de crenças, valores e expressões culturais existentes numa sociedade democrática e pluralista. Inclui a importância da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis/Aids e da gravidez indesejada na adolescência, entre outras questões polêmicas. Pretende contribuir para a superação de tabus e preconceitos ainda arraigados no contexto sociocultural brasileiro.” (PCN, Orientação Sexual)

O objetivo principal é de conscientizar os jovens sobre os temas relacionados com a sexualidade. Destacam-se a relação com o corpo, os gêneros, a identidade sexual e as doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN's) sobre Orientação Sexual, o objetivo desse tema fica claro no trecho:

A finalidade do trabalho de Orientação Sexual é contribuir para que os alunos possam desenvolver e exercer sua sexualidade com prazer e responsabilidade. Esse tema vinculasse ao exercício da cidadania na medida em que propõe o desenvolvimento do respeito a si e ao outro e contribui para garantir direitos básicos a todos, como a saúde, a informação e o conhecimento, elementos fundamentais para a formação de cidadãos responsáveis e conscientes de suas capacidades.”

Essa proposta veio de encontro com os problemas de discriminação e violência que muitas pessoas têm sofrido, por exemplo, a homofobia. Esse é o preconceito de algumas pessoas em relação aos homossexuais.

Ilustração orientação sexual

Ilustração com resumo dos conceitos de identidade de gênero, orientação sexual e sexo biológico

Você sabia?

Até 1990 a homossexualidade era considerada uma doença. Nesse ano, ela foi retirada da lista de patologias pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Anteriormente, o termo para fazer referência ao desejo entre pessoas do mesmo sexo, tinha como prefixo o indicativo de doença –ismo (homossexualismo). Hoje, ele é considerado impróprio e em seu lugar ficou o -dade (homossexualidade).

Leia também:

Juliana Diana
Juliana Diana
Licenciada em Ciências Biológicas pelas Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) em 2007. Pós-graduada em Informática na Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 2010. Doutora em Gestão do Conhecimento pela UFSC em 2019.