Osama bin Laden

Juliana Bezerra

Osama bin Laden (1957-2011) foi um engenheiro e terrorista saudita, responsável pelos atentados de 11 de Setembro de 2001, nos Estados Unidos.

Nascido numa família rica e partidária de uma interpretação radical do islamismo, Osama bin Laden promoveu atentados que mataram milhares de inocentes.

Depois de dez anos de buscas, soldados americanos o encontram e ele é morto no dia 2 de maio de 2011.

Osama bin Laden
Osama bin Laden

As Torres Gêmeas e bin Laden

Dentro da lógica de combater aqueles que eram considerados inimigos do Islã, Osama bin Laden começa a planejar e financiar um ataque de grande magnitude aos Estados Unidos.

Ao invés de atentados com carros bombas ou o assassinato de algum político, dessa vez as aeronaves seriam usadas como armas. Por isso, pilotos foram treinados em escolas de aviação americanas a fim de estarem aptos a controlar os aviões. Tudo isso seria feito com o dinheiro e executado por membros da organização Al-Qaeda, liderada por Osama bin Laden.

Os alvos escolhidos representavam o poder financeiro, militar e político americano. Em 11 de setembro de 2001, quatro aviões são sequestrados nos Estados Unidos e desviados de sua rota.

Dois deles tomam rumo às Torres Gêmeas, em Nova York, e completam sua missão chocando-se contra os edifícios.

Outro avião ruma ao Pentágono, quartel-general das Forças Armadas, e derruba um dos prédios.

A quarta aeronave deveria causar danos ao Capitólio, em Washington, mas os passageiros se rebelaram e conseguiram impedir o atentado.

Ataque World Trade Center
O segundo avião se aproxima da segunda torre, enquanto uma arde em chamas

Morte de Osama bin Laden

Após os ataques de 11 de Setembro de 2001, os Estados Unidos lançam uma grande ofensiva para encontrar aquele que foi o mentor dos ataques: Osama bin Laden. Porém, dez anos se passariam até chegar este dia.

Por conta desta demora, havia um rumor de que Osama bin Laden estaria morto ou mesmo escondido em algum país do Ocidente. Estas notícias sempre eram desmentidas por membros da Al-Qaeda em comunicados à imprensa.

Osama bin Laden, estava refugiado numa casa no Paquistão, na cidade de Abbottabad. Ali viveria com duas esposas, vários filhos e netos. Acostumado a uma vida simples, passava seus dias escrevendo memorandos aos seus subordinados, ensinando as crianças e assistindo vídeos com reportagens sobre o ataque de 11 de Setembro.

Morte de Osama
Residência no Paquistão onde Osama bin Laden se escondeu com sua família

Depois de intensas investigações, que incluíram torturas, os serviços de inteligência americana conseguem localizar a residência de Osama bin Laden. Na madrugada de 1º de maio de 2011, forças especiais do Exército americano invadem a casa e matam o terrorista mais procurado do mundo.

Sua morte foi anunciada no mesmo dia pelo presidente americano Barack Obama.

Vida de Osama bin Laden

A história de Osama bin Laden começa quando o seu pai, Mohammed bin Laden, decide mudar-se do Iêmen para a Arábia Saudita, na década de 40.

Naquele momento, o reino da Arábia Saudita era somente um grande deserto, mas com vontade e dinheiro para se modernizar. Com os lucros do petróleo, havia capital suficiente para investimentos e começa a era de grandes construções.

O pai de Osama Bin Laden se torna amigo da família real saudita e consegue vários contratos para realizar obras como estradas, edifícios públicos e até mesmo a expansão da mesquita de Meca.

Rapidamente, sua empresa, o Grupo Saudi Binladin, transforma-se na construtora mais importante da Arábia Saudita. Isso permite a Mohammed bin Laden ter várias esposas (quatro de cada vez) que lhe darão 54 filhos.

Osama foi o 17º filho de 25 filhos homens, nascido em 10 de março de 1957. Sua mãe era síria e considerada a mais “ocidentalizada” das esposas do empresário. O menino cresceu num ambiente extremamente religioso, pois o pai era seguidor de um islamismo estrito e exigia muito dos filhos homens.

O pai de Osama morreu quando ele tinha 11 anos, num acidente de avião. Mais tarde, com vinte anos, herdou 30 milhões de dólares, sua parte na herança.

Estudou engenharia e administração de empresas na Arábia Saudita, com o intuito de se preparar para assumir o negócio familiar. Alguns apontam que foi ali que teria acontecido sua radicalização, outros afirmam que já na escola ele teria tido um professor que teria inculcado ideias radicais.

Na Universidade, Osama assistiria debates teológicos sobre a jihad, mundo ocidental x mundo islâmico, mas também sobre a corrupção moral dos príncipes sauditas que adotavam um estilo de vida considerado por alguns como não muçulmano.

A "jihad" é traduzida comumente nas línguas ocidentais como a "guerra santa". No entanto, como todo conceito teológico, várias interpretações podem ser feitas. Para alguns, se trataria de um combate pessoal entre o ser humano e tudo aquilo que o afasta da religião.

Contudo, para outros, trata-se de uma luta contra inimigos externos e concretos que devem perecer fisicamente.

Personalidade

Osama é descrito pelos seus próximos como uma pessoa tímida, cortês e simples. Muito preocupado com seu entorno familiar, com os valores do Islã e extremamente religioso.

Embora alguns de seus irmãos tenham adotado o estilo de vida ocidental, Osama bin Laden nunca o fez. É bem possível que ele jamais tenha estado em algum país do Ocidente e suas viagens se limitariam aos países muçulmanos como Síria, Afeganistão ou Egito.

Guerras e Atentados Terroristas

Osama bin Laden acreditava que era possível construir um grande império muçulmano e isto seria alcançado através da destruição dos inimigos do Islã.

Por esta razão, se envolve em vários conflitos armados e promove atentados terroristas que provocaram mortes e incontáveis perdas materiais.

Guerra do Afeganistão

soldados descansando
Osama bin Laden entre seus soldados durante uma pausa na Guerra do Afeganistão, em 1989

Quando os soviéticos invadem o Afeganistão, Osama bin Laden julga que isso seja uma intervenção dos "infiéis" num país islâmico. Por isso, Osama bin Laden pega em armas e financia vários grupos radicais para combater os soldados soviéticos.

Os Estados Unidos vão ao socorro dos afegãos para preservar seus interesses na região. Diversos grupos de milicianos afegãos, dentre eles o patrocinado por Osama, recebem treinamento militar da CIA.

Desta maneira, afirmar que Bin Laden era um "agente da CIA" é um pouco exagerado, pois muitos afegãos receberam o mesmo treinamento.

De todos os modos, por sua atuação na Guerra do Afeganistão, Osama bin Laden se torna conhecido entre aqueles que desejam usar a violência para eliminar os chamados "inimigos do Islã".

Aproveitando a vitória contra os soviéticos, no final dos anos 80, ele reúne esses guerrilheiros e funda sua própria organização, Al-Qaeda, que significa, "a base" em árabe.

Guerra do Golfo

A Guerra do Golfo foi um conflito entre as forças de coalizão ocidentais, lideradas pelos Estados Unidos, contra o Iraque de Saddam Hussein. O objetivo era liberar o Kuwait que havia sido invadido e também impedir que as tropas iraquianas não tomassem os poços de petróleo sauditas.

Amigo da família real da Arábia Saudita, Osama bin Laden exige que o rei use somente tropas muçulmanas para combater o inimigo. O rei não aceita, pois mantém relações comerciais e políticas muito fortes com os americanos.

Desta forma, Osama bin Laden se converte num adversário da família real saudita e é expulso do país por conta de suas críticas. Vai para o Sudão, onde contata com outros islamistas radicais dispostos a morrer e a matar em nome do Islã.

Atentados Terroristas

Durante duas décadas, Osama bin Laden planejaria e patrocinaria vários atentados terroristas contra os Estados Unidos.

O primeiro atentando, com um carro-bomba, foi realizado contra embaixadas americanas localizadas em Nairóbi (Quênia) e Dar es-Salaam (Tanzânia), em 7 de agosto de 1988.

Seguiria outra ação terrorista em 12 de outubro de 2000, quando uma lancha carregada de explosivos se chocou contra o destróier americano "USS Cole", em Adem, Iêmen.

Em 11 de Setembro de 2001, Al-Qaeda ataca os Estados Unidos de maneira inédita.

Nos anos seguintes, organizações simpatizantes ou que se consideravam filiais da Al-Qaeda vão realizar atentados terroristas de grande envergadura.

Entre eles estão a explosão de uma discoteca em Bali, na Indonésia, em 2002; ou a detonação de quatro trens em Madrid, em 11 de março de 2004.

Curiosidades

  • Osama bin Laden era sunita e seguia corrente wahabita do islamismo. Como sunita, isso significava que tinha os xiitas como inimigos e, como wahabita, postulava que um país islâmico deveria ser governado estritamente pela sharia, a lei islâmica.
  • É sabido que Osama bin Laden teve cinco esposas e calcula-se que 20 a 26 filhos.

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.