Parnasianismo em Portugal

Daniela Diana
Escrito por Daniela Diana
Professora licenciada em Letras

O parnasianismo em Portugal foi um movimento literário restrito baseado no parnasianismo francês e no lema “arte pela arte”. O poeta João Penha (1838-1919) é considerado o introdutor do movimento no país.

Além dele, outros escritores portugueses que se destacaram com a produção de uma poética parnasiana foram: Gonçalves Crespo (1846-1883), António Feijó (1859 - 1917) e Cesário Verde (1855-1886)

A origem do Parnasianismo

Vale lembrar que o parnasianismo foi um movimento literário, especialmente poético, com origens no século XIX, na França.

Oposto aos ideais românticos, ele surge numa época de profundas transformações da sociedade europeia com o avanço tecnológico, descobertas científicas e a revolução industrial inglesa.

Os poetas parnasianos franceses que mais se destacaram foram: Théophile Gautier (1811-1872), Leconte de Lisle (1818-1894), Théodore de Banville (1823-1891) e José Maria de Heredia (1842-1905).

As principais características do Parnasianismo

  • Linguagem objetiva e impessoal
  • Descrição visual
  • Estilo ornado e culto
  • Preocupação com a estética
  • Perfeição formal
  • Metrificação e versificação
  • Preciosismo (palavras e rimas raras)
  • Espírito científico
  • Temas da realidade cotidiana
  • Valorização dos temas clássicos
  • Preferência pelas formas poéticas fixas (soneto)

Principais autores e obras parnasianas

1. João Penha (1838-1919)

Precursor do movimento parnasiano em Portugal, o poeta João Penha foi formado em Direito na Universidade de Coimbra, local onde se juntou a outros escritores.

Foi fundador e diretor do jornal literário “A Folha”, veículo essencial para divulgação das poesias parnasianas que vigorou entre 1868 e 1873. De sua obra destacam-se: Rimas (1882), Novas Rimas (1905) e Últimas Rimas (1919).

2. Gonçalves Crespo (1846-1883)

Embora tenha nascido no Rio de Janeiro, Crespo era filho de pai português, e foi considerado um dos mais importantes poetas parnasianos em Portugal. Com 10 anos passou a viver na capital portuguesa, Lisboa.

Estudou Direito em Coimbra e passou a se dedicar a Literatura, sendo um colaborar do jornal literário fundado por João da Penha “A Folha”. De sua obra destaca-se: Miniaturas (1870), Nocturnos (1882) e Obras Completas (1887).

3. António Feijó (1859-1917)

Nascido no interior do norte de Portugal, Ponte de Lima, Feijó foi um importante poeta parnasiano. Além de poeta, foi diplomata, exercendo diversos cargos no Brasil e em países da Europa.

Formou-se em Direito na Universidade de Coimbra e influenciado pelos ideais dos colegas literatos, dirigiu a "Revista Científica e Literária". De sua obra poética destacam-se: Transfigurações (1862), Líricas e Bucólicas (1884) e Ilha dos Amores (1897).

4. Cesário Verde (1855-1886)

Nascido em Lisboa, Cesário Verde escreveu poesias com tendências parnasianas, realistas e modernistas. Inicia sua carreira literária publicando alguns poemas no “Diário de Notícias de Lisboa”.

Teve uma vida curta, morrendo de tuberculose aos 31 anos. De sua obra poética merece destaque o livro de poesia “Nós” (1884) e a compilação póstuma de seus poemas “O Livro de Cesário Verde”.

Para complementar sua pesquisa, veja também os textos:

Atualizado em
Daniela Diana
Escrito por Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.