O que é Redação?

A redação tem bastante peso nas provas que dão acesso à Universidade. Para escrever uma boa redação, é fundamental ler e praticar.

Além disso, é importante estar atento ao planejamento, estrutura do texto, ao uso correto da língua e às regras essenciais da coerência e da coesão.

As redações podem ser dissertativas, descritivas ou narrativas. Cada tipo de texto requer um cuidado especial.

Tipos de Texto

1. Dissertação

A dissertação é um texto argumentativo em que o escritor disserta sobre determinado assunto, porém sempre com um teor opinativo.

O texto dissertativo é pautado na exposição de ideias, argumentos e ponto de vista do locutor. Apresenta uma estrutura básica dividida em três partes: introdução (tese), desenvolvimento (antítese) e a conclusão (nova tese).

2. Descrição

A descrição é um texto baseado na exposição/relato de objetos, pessoas, lugares, acontecimentos. Por isso, a descrição está pautada na narração minuciosa na qual o locutor oferece uma impressão sobre algo.

A descrição pode ser objetiva (descrição direta, simples, concreta) ou subjetiva (quando há emoção presente).

3. Narração

A característica mais marcante da narração é que neste tipo de texto o locutor conta ou narra um fato, uma história.

Por este motivo, os elementos básicos de uma narração são: enredo, tempo, espaço e personagens.

Ela é feita por meio de um narrador, o qual pode ser narrador personagem (1ª pessoa), narrador observador (3ª pessoa) ou narrador onisciente (1ª e 3ª pessoa).

Não obstante, o narrador personagem participa da história enquanto o narrador observador não participa da história. Já o narrador onisciente conta a história em 3ª pessoa e pode intervir na narrativa por meia da 1ª pessoa.

Leia:

Coerência

A coerência é uma característica muito importante do texto e está intimamente relacionada à significação do tecido textual.

Por isso, devemos levar em consideração os três princípios básicos para que um texto seja coerente:

  • Princípio da Não Contradição (ideias que se contradizem);
  • Princípio da Não Tautologia (repetição excessiva de palavras ou ideias);
  • Princípio da Relevância (textos que não se relacionam).

É a relação lógica entre as ideias de um texto, fazendo com que umas complementem as outras e não se contradigam. Com isso, forma um "todo" significativo, que é o texto.

Coesão

Do verbo coerir, ou seja, unir, ligar, a coesão do texto está pautada na utilização correta dos conectivos.

Muito importante lembrar que um texto não é um emaranhado de frases e, por este motivo, a coesão é uma característica fundamental para tornar o texto coesivo. Ela é a conexão harmoniosa entre as partes do texto, do parágrafo e da frase.

São muitos os conectivos de um texto e sua utilização dependerá da ideia a ser transmitida.

Há conectivos de prioridade, tempo, semelhança, condição, adição, dúvida, ênfase, surpresa, esclarecimento, lugar, conclusão, finalidade, causa e consequência, explicação, oposição ou ideias alternativas.

Estes elementos coesivos estabelecem a conexão entre os termos. São eles: