Salvador Allende

Juliana Bezerra

Salvador Allende Gossens foi um médico, político e presidente do Chile de 1970 a 1973.

Foi o primeiro socialista a ser eleito presidente no mundo e isto gerou inquietação no governo dos Estados Unidos e de forças conservadoras do Chile.

Seu governo acabou com um golpe de Estado em 1973 quando Allende preferiu se suicidar a ter que se entregar.

Biografia

Salvador Allende nasce em 26 de junho de 1908 em Valparaíso, proveniente de uma família de classe média alta e de médicos renomados.

Em 1926 vai para a capital Santiago para estudar medicina na Universidade do Chile. Ali, se torna dirigente estudantil e opositor da ditadura de Carlos Ibañez (1927-1931).

Após sua formatura, trabalha como médico legista e realiza mais de 1500 autópsias. Allende declararia mais tarde que ali conheceu de perto a miséria chilena e os males pelos quais morria o povo.

Em 1933 ajuda a fundar o Partido Socialista do Chile, no qual militaria toda sua vida.

Em 1937 concorre e ganha as eleições para deputado. Com apenas 30 anos, em 1939, é nomeado Ministro da Saúde do presidente Pedro Aguirre Cerda (1938-1944).

Escreve um livro intitulado La Realidad Médico-Social Chilena alertando sobre o problema da mortalidade infantil no Chile e a precária situação do sistema de saúde do país.

Em 1940 se casa com Hortênsia Bussi, apelidada La Tencha, com quem teria três filhas. Uma delas, Isabel Allende Bussi, seguiria os passos do pai e seria deputada e senadora.

Foi candidato presidencial em quatro ocasiões: 1952, 1958, 1964 e 1970. Neste último ano foi eleito por uma coligação de esquerda, a Unidade Popular.

Assim foi o primeiro presidente socialista a chegar ao poder democraticamente, sem recorrer às armas como havia ocorrido com a Revolução Cubana. Queria implantar a via socialista chilena “com sabor de empanada e vinho tinto”.

Com o temor que novos governos socialistas pudessem aparecer na América Latina, o governo dos Estados Unidos, se alia à direita chilena e às Forças Armadas.

Com esta aliança, planejam derrubar este governo democraticamente eleito e o fazem em 11 de setembro de 1973.

O presidente cumpriu a promessa de não renunciar e acabou se matando dentro do Palácio de La Moneda quando este era atacado pelo Exército.

Saiba mais sobre Socialismo.

Salvador Allende

Salvador Allende desfila pelas ruas de Santiago no dia de sua posse.

Governo de Salvador Allende

Allende ganhou as eleições com 36,6% dos votos. Mesmo assim, o resultado teve que ser ratificado no Parlamento onde governaria com a minoria. Desde o momento da posse, os EUA planejam intervir e inclusive consideram realizar um golpe de Estado.

Um dos primeiros atos de Allende foi nacionalizar o cobre, principal produto de exportação do Chile. Igualmente, estabeleceu que todas as crianças teriam direito a meio litro de leito diariamente.

Na política externa, o Chile passou a ter relações diplomáticas com todos os países do mundo, inclusive os de orientação socialista. Impulsou a reforma agrária, mas enfrentou grandes resistências.

Buscava-se a estatização do setor financeiro e dos seguros, comércio exterior e setores considerados estratégicos como a energia, telecomunicações e os transportes.

A década de 60 foi de pobreza e agitação política no Chile. Os partidos de esquerda sentiam-se animados com as experiências de Fidel Castro, em Cuba; e da URSS. Enquanto isso, os políticos de direita e conservadores procuravam manter sua posição dentro da sociedade.

Ao contrário dos demais países latino-americanos, as Forças Armadas chilenas pouco se envolviam na política. Os golpes ocorridos eram feitos por civis onde os militares tinham uma participação limitada.

Em 1970, General Scheneider, chefe do Estado-maior chileno, tinha convicções profundamente democráticas sendo assassinado quatro dias antes do pleno do Parlamento dar posse a Salvador Allende.

Após a morte do General Scheneider, assume o comando o General Carlos Prats, que também mantém a linha do sucessor em respeitar a Constituição chilena.

No plano interno, os distintos grupos que compunham a Unidade Popular, defendem seus pontos de vista sobre um governo socialista: o MIR (Movimento Izquierda Revolucionaria).

Esse queria a luta armada e criticava o pouco que Allende fazia para acabar com a sociedade burguesa.

Por outra parte, havia os pessimistas que achavam não ser possível implantar o socialismo num governo burguês.

Os EUA, governados pelo republicano Richard Nixon (1969-1974), bloqueiam exportações de peças de reposição e maquinarias para o Chile.

Além disso, negam-lhe créditos e ainda patrocinam o jornal El Mercúrio que faz uma série de reportagens condenando as reformas políticas de Salvador Allende.

Leia mais sobre a Guerra Fria.

Golpe Militar e Morte

Salvador Allende La Moneda

Bombardeio no Palácio de La Moneda, 11 de setembro de 1973.

No final de 1972, uma greve de caminhoneiros e protestos da classe média paralisa o país. Começa boicote por parte de produtores e comerciantes chilenos que se estenderá ao largo de 1973 e deixará a população sem produtos básicos como leite ou carne. Naturalmente, florece um mercado negro onde os ricos podem comprar esses alimentos.

Após uma tentativa de golpe contra Allende, em junho de 1973, o General Prats renuncia ao posto de comandante em chefe e indica o General Augusto Pinochet para substituí-lo dado seu caráter profissional e apolítico.

Apoiado pela direita, a burguesia e os americanos, o General Pinochet lidera, então, um ataque a capital onde o palácio presidencial é sitiado.

Allende nega-se a sair e recusa todos o oferecimentos de asilo que são feitos por nações estrangeiras. Quando os militares invadem o lugar resolve acabar com sua vida matando-se com um tiro.

Dias depois, Pinochet instalaria a ditadura militar no Chile que duraria até 1990.

Leia: Maiores Ditadores da História

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.