Sandro Botticelli

Daniela Diana

Sandro Botticelli (1445-1510) foi um pintor renascentista e desenhista italiano.

É considerado um dos pintores mais reconhecidos e aclamados da Itália e chegou ser convidado para participar das obras da Capela Sistina, em Roma.

Botticelli é autor de importantes obras como: A Primavera, O Nascimento de Vênus e a Adoração dos Magos.

Biografia

Alessandro di Mariano Vanni Filipepi nasceu em Florença em 1.º de março de 1445. Caçula de cinco filhos, foi apelidado por um irmão mais velho de Sandro Botticelli, que significa "pequeno barril de vinho".

Sandro Botticelli

Reconhecido pela sagacidade e rapidez, Sandro era filho de um curtidor. Recebeu treinamento para ourives, mas atuou muito cedo no estúdio do pintor renascentista florentino Fra Filippo Lippi (1406-1469), em Florença, de quem foi discípulo.

O estilo de Lippi, um dos mais importantes pintores da época, é evidenciado na maior parte da obra de Botticelli.

Por meio de Lippi, Botticelli apreendeu a técnica da perspectiva linear e o uso de cores pálidas e ressonantes muito usadas nas obras do renascentista.

Também sofreu influência de Antonio Pollaiuolo (1433-1498) e Andrea del Verrocchio (1435-1488) em 1460.

Inquieto e rápido, Botticelli abriu a própria oficina quando tinha somente 25 anos. Ali, ele aplicou o neoplatonismo – de influência platônica – reunindo ideias pagãs em figuras pertencentes ao cristianismo.

Contava com muitos aprendizes que completavam seu trabalho e, assim, teve a capacidade de produzir em grande escala.

A tristeza e melancolia eram a marca de seu trabalho. Em muitas de suas pinturas, a figura feminina é retratada de maneira imponente.

As obras seduziram a importante e influente família Médici, de quem recebeu financiamento e grandes somas de dinheiro.

Por meio dos Médici foi convidado pelo Papado para participar da pintura da Capela Sistina. Realizou o trabalho juntamente com artistas como Pietro Perugino (1446-1523), Domenico Ghirlandaio (1449-1494) e, depois, Michelangelo (1475-1560).

Sete retratos papais e três áreas foram pintadas pelas mãos de Botticelli. Foi vítima de perseguição por parte da Igreja e teve muitas pinturas consideradas ímpias queimadas em fogueiras.

O mesmo destino teve o amigo que o influenciou na velhice, o monge Girolamo Savonarola (1452-1498). Ele foi queimado na fogueira por seu discurso impetuoso tratando sobre a ira de Deus.

Morte

Sandro Botticelli morreu dia 17 de maio de 1510 em sua cidade natal. O artista morreu pobre e atropelado pela popularidade de seus contemporâneos como Michelangelo, Rafael Sanzio e Leonardo Da Vinci.

Deixou inacabada as pinturas que retrataram a “Divina Comédia”, de Dante Alighieri. Porém, sua obra foi redescoberta e hoje ele é considerado um dos principais expoentes do Renascimento.

Saiba mais sobre o Renascimento italiano:

Principais obras e características

A Primavera (1481-1482)

A primavera

A Primavera ou Alegoria da Primavera é considerada a maior pintura mitológica do Renascimento. Segundo historiadores, a obra foi encomendada a Botticelli pela família Médici para dar de presente a uma noiva.

É uma pintura de caráter humanístico e a maioria dos historiadores de arte consideram que o tema central reflete o amor e o casamento. Além disso, ele aborda temas como a sensualidade e fertilidade.

Botticelli concluiu o quadro em 1482, usando a técnica têmpera em uma tela de dimensões de 203 x 314 cm. A pintura está exposta no Galleria degli Uffizi, em Florença.

O Nascimento da Vênus (1484-1486)

O nascimento de Vênus

O Nascimento de Vênus é considerada uma das obras mais preciosas do Renascimento.

No quadro de incrível delicadeza, a deusa Vênus (conhecida como Afrodite na mitologia grega) emerge do mar sobre uma concha. Esse evento esteve alinhado com o mito o qual explica o seu nascimento.

Botticelli retratou em sua casca sendo empurrada para a costa de ventos produzidos pelo deus do vento em meio a uma chuva de rosas.

E, como a deusa Vênus está prestes a pisar na terra, uma ninfa estende a mão para cobri-la com um manto.

O nu da Vênus é uma marca do Renascimento em Botticelli, uma vez que até este tempo, mulheres nuas quase nunca haviam sido retratadas.

A pose de Vênus é uma alusão à Vênus de Médici, uma escultura em mármore estudada por Botticelli. Obra da antiguidade clássica, ela pertencia à coleção de Leandro de Médici.

O pintor florentino tentou demonstrar movimento em toda a cena, nos cachos dos cabelos da deusa, nas folhas das árvores, no vento e nas ondas.

Botticelli preparou os pigmentos com pouca gordura e usou uma técnica nova para a época, espalhando uma camada de ovo sobre o trabalho.

A obra foi finalizada em 1486, retratada em uma tela de 172,5 centímetros de altura por 278,5 de comprimento com o uso da técnica têmpera. Ela também está em exposição no Galleria degli Uffizi, em Florença.

Adoração dos Magos (1485-1486)

Adoração dos Magos

A obra Adoração dos Magos foi uma encomenda peculiar da família Médici. Na pintura, Botticelli reproduz vários integrantes da família, além de amigos e ele próprio.

A cena mostra os Médici representados como os Reis Magos que visitaram Jesus logo após seu nascimento.

Um dos reis toca o pé da criança ao colo de Maria. Diferente da bucólica cena descrita na Bíblia, a pintura de Botticelli retrata um grupo maior de visitantes.

Segundo historiadores, esta seria a solução para encaixar todos os integrantes dos Médici e amigos na visita a Jesus.

Em exposição na Galleria degli Uffizi, em Florença, as dimensões da obra é de 111 x 134 centímetros, refletindo a técnica óleo sobre tela.

Capela Sistina

Ao lado dos maiores pintores do renascimento Botticelli produziu diversos afrescos para a Capela Sistina, no Vaticano. Os principais temas estavam pautados nas cenas do velho e do novo testamento. Esse trabalho foi produzido entre os anos de 1481 e 1482.

Além dos retratos de 24 papas desenhados por ele, Ghirlandaio e Fra Diamante, Botticelli pintou alguns afrescos:

A Punição de Korah, Dathan e Abiram

A punição de Korah, Dathan e Abiram

Tentação de Cristo e a Purificação do Leproso

Tentação de Cristo e a purificação do leproso

Cenas da Vida de Moisés

Cenas da vida de Moisés

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.