O Nascimento de Vênus

Daniela Diana

O Nascimento de Vênus (Nascita di Venere, em italiano) é uma obra do artista renascentista Sandro Botticelli (1445-1510).

Produzida entre 1484 e 1486, trata-se de uma das pinturas mais emblemáticas do Renascimento italiano.

Na época, ela foi encomendada por um rico banqueiro e político italiano: Lorenzo di Pierfrancesco. A ideia dele era decorar sua casa com belas pinturas.

Atualmente, a obra está exposta na Galleria degli Uffizi, em Florença, na Itália. Segue sendo uma das mais famosas do mundo e com inúmeras reproduções.

Ao lado de A Alegoria da Primavera, O Nascimento de Vênus é uma das obras mais destacadas do pintor florentino.

Principais Características

O Nascimento de Vênus

Caracterizada como uma obra neoplatônica, Botticelli utilizou a técnica da têmpera sobre madeira. As dimensões do quadro são de 172,5 cm por 278,5 cm.

Inspirada na mitologia romana, Vênus aparece nua no centro da pintura sobre uma grande concha, que por sua vez, está repousada sobre a água do mar. Observe que Vênus está banhada de luz exaltando a pureza da alma da deusa.

Mediante traços bem delineados e finamente requintados podemos notar a busca pela beleza clássica e ideal.

O trabalho de Sandro reúne aspectos da beleza perfeita e divina da deusa. Aqui ela se torna símbolo da pureza e da renovação. Embora ela esteja nua, o erotismo é deixado de lado, para dar lugar a uma figura pudica.

No rosto dela notamos ternura e certa serenidade. Seus longos cabelos de cor alaranjada são segurados por sua mão esquerda que deslizam sobre seu corpo e terminam por cobrir suas partes íntimas. Já sua mão direita cobre os seios.

De seu lado esquerdo (direito na figura), temos a presença de uma mulher segurando um manto de estampa floral e que está prestes a cobrir a deusa. Ela representa a deusa Flora, relacionada com a primavera e de tudo o que floresce.

Do lado direito da Vênus (esquerdo da pintura) temos supostamente duas figuras voando e levemente cobertos por tecidos que demostram esses movimentos.

Inspirados também na mitologia romana estão o deus alado Zéfiro, personificação do vento do Oeste, segurando docemente a ninfa Clóris. Enquanto ele assopra com o intuito de empurrar a deusa para as margens das águas, diversas flores envolvem o casal.

A riqueza de detalhes, o uso das cores claras, a harmonia das formas, a delicadeza dos movimentos, a serenidade nos olhares e a alusão ao mito de Vênus são as principais características na obra de Botticelli.

Curiosidade

Na mitologia romana Vênus representa a Deusa do amor, da beleza e da fertilidade. Mulher de Vulcano, o Deus do Fogo, ela nasceu das ondas do mar na ilha de Chipre. Seu correlato na mitologia grega é a Deusa Afrodite.

Leia também:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.