Seres Vivos e Seres Não Vivos

Lana Magalhães

Os seres vivos e os seres não vivos compõe, no geral, a natureza. Assim, tudo o que nos rodeia é denominado “seres” seja uma pedra ou um animal.

Principais características e diferenças

Existem diferenças entre as características dos seres vivos e dos seres não vivos. O fator mais marcante é a “vida”, ou seja, enquanto uns a tem, outros não.

Os seres vivos, organizados em níveis de classificação, são aqueles que nascem, crescem, se reproduzem e morrem.

Eles são formados por uma (unicelulares) ou mais células (pluricelulares), necessitam de alimento para sobreviverem, reagem à estímulos, respiram e possuem metabolismo.

Todas essas características os distinguem dos seres não vivos.

Os seres vivos representam uma grande classe de elementos que compõem a natureza e que necessitam dos seres não vivos para viverem, como por exemplo, a planta, um ser vivo do reino vegetal, necessita de seres não vivos, como a água, a temperatura, o sol, o solo para se desenvolver.

Outro exemplo recai sobre o filo peixes, uma vez que estes seres vivos, pertencentes ao reino animal de respiração branquial, só conseguem respirarem na água e, por isso, mais uma vez temos a relação de interdependência entre os seres vivos e não vivos.

Mesmo se pensarmos no ser humano, basta lembrar que o ar que respiramos ou a água que bebemos, faz parte da categoria dos seres não vivos, pertencentes ao reino mineral.

Exemplos de Seres Vivos

Leia também:

Exemplos de Seres Não Vivos

Curiosidade

Embora o vírus seja acelular (não é formados por células), ele está incluído na lista dos seres vivos.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.