Stalinismo na URSS


O Stalinismo na URSS foi um regime totalitário de caráter comunista desencadeado na Rússia, que durou de 1927 a 1953, sob a figura do ditador antifascista Josef Stalin.

Stalinismo na URSSIlustração de Stalin

Esse período de terror e repressão ficou conhecido como “Era Stalin” e surgiu na Europa pouco antes do regime nazista na Alemanha, embora o nazismo (1933-1945) fosse de caráter anticomunista.

Outros regimes totalitários na Europa que tiveram destaque foram o Fascismo Italiano, o Salazarismo Português e o Franquismo Espanhol.

Saiba mais sobre o conceito de Comunismo.

Causas e Consequências: Resumo

Após a derrubada do czarismo na Revolução Russa de 1917, liderado sob a figura do marxista Lênin, começa a disputa pelo poder na URSS.

Além disso, a Rússia encontrava-se diante de diversos problemas sociais e econômicos com as diversas derrotas obtidas durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Vale lembrar que, A URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas ou simplesmente União Soviética), era um estado de base socialista que se desenvolveu de 1922 a 1991 na Rússia.

Assim, com a morte de Lênin em 1924, Leon Trótski (líder do exército vermelho) e Stalin (Chefe do Partido Comunista) possuíam divergências políticas e ambos lutavam pelo poder da URSS.

No entanto, Trotski foi afastado do governo e do Partido Comunista e expulso da URSS sendo assassinado no México em 1940, a mando de Stalin.

Assim, Stalin tomou o poder e governou a URSS sob um regime totalitário de esquerda que durou até sua morte, 1953.

Enquanto Stalin defendia que o socialismo deveria ser desenvolvido somente na Rússia, Trotski defendia que a revolução socialista deveria ser espalhada pelo mundo.

Pautado no nacionalismo, unipartidarismo (partido único, o Partido Comunista), centralização política e na ditadura democrática, o stalinismo soviético foi um período de militarização do país e de censura dos meios de comunicação.

Com isso, Stalin transformou a União Soviética numa potência militar, donde grande parte da população russa viveu uma época permeada pela falta de liberdade de expressão o que resultou na morte, deportação e exílio de milhões pessoas.

Diante do panorama que a Rússia se encontrava após a primeira grande guerra, Stalin focou sobretudo, no desenvolvimento econômico e industrial do país, contribuindo para o avanço da economia russa ao criar os "planos quinquenais".

No entanto, muitos camponeses e agricultores estavam insatisfeitos com a coletivização da agricultura soviética, o que gerou diversos problemas como a fome e a miséria.

De tal modo,o regime stalinista se apropriou de terras cultiváveis e distribuiu aos sovkhozes (fazendas do Estado) e kolkhozes (fazendas cooperativas). Aqueles que resistiram foram mortos ou deportados para Sibéria ou Ásia.

Além disso, Stalin propôs uma grande expansão territorial na URSS conquistando diversos territórios e derrotando a Alemanha nazista, na segunda guerra mundial (1939-1945).

Stalinismo e Guerra fria

Com o fim da segunda guerra mundial e anexação de vários territórios pela URSS Polônia, Checoslováquia, Bulgária, Hungria, Romênia e Alemanha, Stalin encontrou outro grande desafio, os Estados Unidos da América.

A Guerra Fria foi, portanto, uma grande disputa entre as maiores potências do mundo na época que lutavam pela liderança mundial.

De um lado, estava a URSS, líder do socialismo e de outro, os Estados Unidos, líder do capitalismo.

Essa disputa pelo poder teve fim somente em 1989, com a Queda do Muro de Berlim, que unificou a Alemanha (Ocidental e Oriental).

Leia também:

URSS
Fim da URSS

Macartismo e Stalinismo

O Macartismo (ou Macarthismo) e o Stalinismo se aproximam na medida em que ambos estavam pautados na repreesão e perseguição política a fim de combater o capitalismo (na URSS) e o socialismo (nos Estados Unidos).

Assim sendo, no contexto da Guerra Fria o senador Joseph McCarthy propõe uma campanha de perseguição aos comunistas nos Estados Unidos.

Por sua vez, Josef Stálin durante seu período no poder, perseguiu, matou e prendeu inúmeras pessoas que estavam contra seus ideais.