Tipos de Frutos

Lana Magalhães

O fruto é a estrutura carnosa das plantas angiospermas que se desenvolve a partir do ovário, após a fecundação.

Ele corresponde ao ovário desenvolvido da flor e com sementes maduras.

As funções do fruto são:

  • Proteção da semente em desenvolvimento;
  • Em alguns casos, auxilia na dispersão da semente;
  • Promove a propagação e perpetuação da espécie.

Os frutos atuam como um envoltório protetor das sementes.

Entretanto, nem todos os tipos de frutos têm sementes. A estes damos o nome de frutos partenocárpicos, pois são produzidos por partenocarpia, processo no qual não ocorre fecundação. Um exemplo de fruto partenocárpico é a banana.

Partes do Fruto

O fruto é constituído por duas partes fundamentais: o fruto propriamente dito, também chamado de pericarpo e a semente. Todas as partes do fruto derivam da flor.

Tipos de Frutos

O pericarpo é originado da parede do ovário e apresenta três camadas:

  • Epicarpo: parte externa do fruto, conhecido também como casca.
  • Mesocarpo: parte intermediária e mais desenvolvida. Geralmente, é comestível.
  • Endocarpo: é a parte que reveste a cavidade do fruto. Por ser muito fina, pode ser de difícil identificação e separação.

Classificação dos Frutos

Os frutos são classificados através de suas variadas características:

Desenvolvimento do ovário

Quanto ao desenvolvimento do ovário, os frutos são classificados em simples, agregados e múltiplos.

Frutos Simples

Os frutos simples são originários de um só ovário e de uma única flor. Exemplos: tomate e cereja.

Os frutos simples podem ser do tipo seco ou carnoso.

Frutos Secos

Os frutos secos são os que possuem pericarpo pobre em água. As substâncias nutritivas concentram-se na semente.

Os frutos secos classificam-se conforme a abertura do pericarpo, nos seguintes tipos:

  • Frutos deiscentes: são os que o pericarpo se abre durante o amadurecimento. Exemplo: castanha.
  • Frutos indeiscentes: são os que o pericarpo não se abre naturalmente. Exemplo: girassol.

Frutos Carnosos

Os frutos carnosos possuem pericarpo rico em água e substâncias nutritivas.

Os frutos carnosos podem ainda ser classificados em:

  • Baga: frutos com várias sementes facilmente separadas do fruto. Exemplo: goiaba, mamão e melão.
  • Drupa: frutos com semente envolvida por um endocarpo duro, também chamado de caroço. Exemplo: azeitona, abacate e ameixa.

Frutos Agregados

São chamados frutos agregados são os que se originam de uma flor com muitos ovários separados. Também são denominados de frutos apocárpicos.

Exemplo: magnólia.

Frutos Múltiplos ou Infrutescência

Os frutos múltiplos desenvolvem-se de inflorescências, nas quais os muitos ovários fundem-se e formam uma estrutura única.

Exemplos: Figo, abacaxi e amora.

Número de Sementes

  • Frutos Monospérmicos: são os que apresentam uma única semente. Exemplo: abacate.
  • Frutos Polispérmicos: são os que possuem mais de uma semente. Exemplo: laranja.

Crescimento do fruto

Os frutos crescem somente nas plantas angiospermas, que são os vegetais desenvolvidos.

Eles surgem após a polinização e fecundação da oosfera. Estimulados por hormônios vegetais liberados pelo embrião contido na semente, o ovário sofre hipertrofia e converte-se em fruto.

Quando amadurecem, os frutos assumem cores, aromas e sabores que chamam a atenção dos animais. É a estratégia da natureza para usar os animais como dispersores das sementes.

Após ingerir o fruto, os animais soltam as sementes longe da planta, permitindo que cresça em outros locais.

Saiba mais sobre o Reino Vegetal.

Fruto, fruta e pseudofruto

Os termos fruto, fruta e pseudofruto possuem significados diferentes:

  • Fruto: é o resultado do desenvolvimento do ovário da flor.
  • Fruta: termo popular empregado para frutos e pseudofrutos comestíveis e de sabor adocicado.
  • Pseudofruto: qualquer estrutura que se assemelhe a um fruto, mas que não seja formada pelo amadurecimento do ovário e sim de outras estruturas da flor como o pedicelo e receptáculo.

Complemente sua pesquisa. Consulte:

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.