Transição do Feudalismo para o Capitalismo

Juliana Bezerra

A transição de feudalismo para o capitalismo ocorreu no século XV na Europa. Esse momento marcou o fim da Idade Média e o início da Idade Moderna.

O que foi o Feudalismo?

Lembre-se que o feudalismo foi um modelo econômico, político, social e cultural baseada na posse da terra (feudos) que vigorou na Europa Ocidental a partir do século V. A sociedade feudal era estamental marcada pela imobilidade social.

Nesse período, a Igreja Católica era uma instituição muito poderosa que regia a vida das pessoas. Com o passar do tempo, ela foi perdendo seus fiéis, sobretudo pelas novas descobertas que foram ocorrendo no campo da ciência.

O que é Capitalismo?

O capitalismo é um sistema econômico baseado na posse de terra e de bens. Ele surge no século XV, com a crise do feudalismo e segue até os dias atuais.

Claro que o capitalismo que surge nesse momento, é bem diferente do qual temos hoje em dia. Para elucidar, veja abaixo as três fases que passou o capitalismo:

  • Capitalismo Comercial ou Mercantil (pré-capitalismo) – do século XV ao XVIII
  • Capitalismo Industrial ou Industrialismo – séculos XVIII e XIX
  • Capitalismo Financeiro ou Monopolista –século XX e XXI

Resumo

Diversas mudanças nos campos social, cultural, econômico, político foram marcando uma nova fase na Europa. Elas resultaram na crise do sistema feudal que esteve baseado numa economia agrária e de subsistência, dando início ao pré-capitalismo ou “capitalismo comercial”.

Essa primeira fase do capitalismo vigorou do século XV ao XVIII e foi determinada pelo sistema mercantilista, por isso, é também chamada de "Capitalismo Mercantil". Ele visava o acúmulo de riquezas e de capital, e ainda, a comercialização de bens com vistas a aumentar o lucro.

Muitos fatores contribuíram para essa transição, por exemplo, o surgimento de uma nova classe social, a burguesia. Os burgueses foram contribuindo para o aumento e aceleração da economia mercantil através do surgimento da moeda.

Sendo assim, o escambo que antes era praticado no sistema feudal, foi perdendo lugar para um novo modelo econômico baseado no comércio.

Nessa fase, o Renascimento, movimento artístico e cultural que teve início na Itália, foi inserindo uma nova visão do lugar do homem no mundo. Ele esteve vinculado ao humanismo, que por sua vez, estava inspirado no antropocentrismo (homem no centro do mundo).

Além disso, o cientificismo a partir de diversas descobertas e invenções, foi primordial para que a Igreja enfraquecesse seu poder, que no sistema feudal era indiscutível, e que aos poucos, foi perdendo muitos fiéis.

Um exemplo significativo foi o sistema heliocêntrico (Sol no centro do universo), proposto por Copérnico, em detrimento do sistema geocêntrico (Terra no centro do Universo), disseminado pela Igreja.

Nessa fase, o crescimento das cidades fortaleceu ainda mais o comércio (Renascimento comercial e urbano), donde as feiras livres se tornaram essenciais para que terminasse definitivamente o sistema feudal do medievo.

As grandes navegações demostraram essa nova postura do homem moderno, com a exploração de novas terras no continente americano, resultando ainda mais na expansão do comércio.

Para entender melhor sobre o sistema feudal, leia:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.