Vida e obra de Renoir

Laura Aidar

Renoir foi um artista francês muito importante do final do século XIX. Teve grande destaque na pintura e, junto com outros artistas, deu continuidade a uma nova maneira de pincelar, que ficou conhecida como impressionismo.

Apreciava a beleza da vida e levou otimismo, harmonia e tranquilidade para suas telas ao pintar muitas cenas ao ar livre. Chegou a dizer, certa vez:

Para mim, um quadro deve ser algo amável, alegre e belo, sim, belo. Já existem muitas coisas desagradáveis na vida. Pra que inventarmos mais?

Biografia de Renoir

Foto de Renoir (1910) e autorretrato
Fotografia de Renoir e autorretrato, ambos datados de 1910

Pierre-Auguste Renoir nasceu em 1841 em Limoges, na França. Quando tinha quatro anos, mudou-se para Paris com os pais e os seis irmãos. Sua mãe, Marguerite Merlet, era costureira e seu pai, Léonard Renoir, alfaiate.

No colégio, destacou-se por sua facilidade para o canto e habilidade ao desenhar.

Para ajudar a família financeiramente, aos treze anos inicia como aprendiz em um ateliê de pintura em porcelana na oficina dos Levy. Lá permaneceu até os dezessete anos. Depois, dedicou-se ainda a pintar tecidos e leques.

Em 1861, Renoir conhece Charles Gleyre, que viria a ser seu mestre na pintura no ano seguinte. É quando também ingressa na Escola de Belas Artes de Paris.

Nessa época tornou-se amigo de Claude Monet (1840-1926), Alfred Sisley (1839-1899) e Frédéric Bazille (1841-1870), que também viriam a ser importantes pintores.

Juntos, eles exploraram as cores e luminosidades em tardes de pintura ao ar livre no bosque de Fontainebleau.

Suas inspirações na arte eram Eugéne Delacroix (1798-1863) e Édouard Manet (1832-1883), que já causavam alvoroço na cena artística.

Em 1864, conhece Lise Tréhot, uma das primeiras modelos do pintor e posteriormente sua amante.

A obra Lise com sombrinha (1867) foi uma das telas produzidas quando o artista ainda estava concluindo os estudos na Escola de Belas Artes. Assim, como o quadro A estalagem de "Mère" Anthony (1866).

primeiras telas Renoir
À esquerda, Lise com sombrinha (1867). À direita, A estalagem de "Mère" Anthony (1866)

Em 1869, Renoir e Monet consolidam seus estilos de pintura, mais fluidos, com personagens pinceladas em esboços e valorizando a luz solar. Essa forma de pintar ficou conhecida mais tarde como impressionismo.

Com o início da Guerra Franco-Prussiana, Renoir foi convocado a servir o exército. Lá, ficou doente e não chegou a participar de combates. Entretanto, ficou demasiado perturbado pelo desaparecimento de seu amigo Bazille, morto aos 29 anos.

Em 1871, com a Comuna de Paris, o artista decide se isentar da cena política, não assumindo um posicionamento e "flutuar na maré dos acontecimentos".

Renoir e outros artistas independentes criam em 1873 um projeto de exposições. A inauguração se deu em abril de 1874, contando com mais de 30 participantes, entre pintores, escultores e gravadores.

Foi nessa exposição que a tela Impressão, nascer do sol, de Monet, foi exibida, batizando o nome do movimento impressionista. Outras exposições do grupo ocorreram também em 1876, 1877 e 1879.

Casou-se em 1880 com a modelo Aline Charigot e teve três filhos com ela. Nesse período, já com 40 anos, o artista vai em busca de novos estímulos e inspirações e viaja para a Espanha, onde entra em contato com o trabalho de Diego Velásquez.

De 1883 a 1887, o pintor sofre uma crise criativa e apresenta alguns episódios depressivos. Mas logo adiante vive uma fase boa de reconhecimento profissional, chegando a ter uma de suas telas vendida para o Governo francês em 1892.

Renoir sofreu por bastante tempo com as dores causadas pelo reumatismo. A primeira crise grave foi em 1888, que o deixou com paralisia facial. A partir de então, a artrite o acompanhará até o fim de seus dias.

Tanto que, em 1897, o artista começou a apresentar dificuldades de mobilidade e em 1910 precisava amarrar os pincéis em sua mãos para continuar pintando. Nessa época, já era bastante reconhecido e ganha uma sala especial na Bienal de Veneza.

Nos últimos anos de vida permanece ativo, apesar da doença e das dores.

Começou a se aventurar na escultura, com o auxílio dos jovens artistas Richard Gieino e Louis Morel, que trabalhavam seguindo as instruções de Renoir.

Pintou um ramalhete de flores no dia de sua morte, em 3 de dezembro de 1919, em Cages-sur Mer, na França.

Principais obras de Renoir

A seguir, algumas das telas mais importantes de Pierre-Auguste Renoir, apresentadas em ordem cronológica, onde se pode ver o processo criativo e transformações na maneira de pintar do artista.

1. No Verão (1868)

No Verão, Renoir
No Verão, de Renoir. À direita, detalhe do rosto da modelo, com o olhar perdido num dia quente de verão
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 85 x 59 cm;
  • Localização: Galeria Nacional, em Berlim, Alemanha.

2. La Grenouillère (1869)

La Grenouillère (1869)
La Grenouillère, de Renoir. Jogo de reflexos em que o elemento humano e a natureza se misturam
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 66 x 81 cm;
  • Localização: Museu Nacional de Belas-Artes da Suécia.

3. A Parisiense (1874)

A parisiense, de Renoir
A parisiense, de Renoir é o retrato da famosa atriz Madame Henriot
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 160 x 160 cm;
  • Localização: Museu Nacional Cardiff, País de Gales.

4. Nu feminino à luz do sol (1875)

Nu feminino à luz do sol
Nu feminino à luz do sol, de Renoir. Detalhe das joias realistas em meio à natureza que envolve a cena
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 81 x 65 cm;
  • Localização: Museu de Orsay, Paris, França.

5. Le Moulin de la Galette (1876)

le  moulin de la galette
Le Moulin de la Galette, de Renoir, é uma das obras mais célebres do pintor
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 131 x 175 cm
  • Localização: Museu de Orsay, Paris, França.

6. Menina com regador (1876)

Menina com regador, Renoir
Menina com regador, de Renoir, retrata a inocência e singeleza da infância
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 100 x 73 cm
  • Localização: Galeria Nacional de Arte, Washington, EUA.

7. O almoço dos remadores (1880-81)

o almoço dos remadores
O almoço dos remadores, de Renoir, é um dos quadros mais importantes do impressionismo
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 130 x 173 cm
  • Localização: Galeria Nacional de Arte, Washington, EUA.

8. A tarde das meninas Wargemont (1884)

A tarde das meninas Wargemont
A tarde das meninas Wargemont, de Renoir. Período em que os contornos estavam mais firmes
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 130 x 170 cm;
  • Localização: Galeria Nacional, Berlim, Alemanha.

9. As grandes banhistas (1884-1887)

as grandes banhistas
As grandes banhistas, de Renoir. Da fase em que o pintor tinha como inspiração o artista Ingres
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 115 x 170 cm;
  • Localização: Museu de Arte da Filadélfia, EUA.

10. Gabrielle com uma rosa (1911)

Gabrielle com uma rosa
Gabrielle com uma rosa, de Renoir. A tela foi produzida quando o pintor já estava bastante debilitado
  • Técnica: óleo sobre tela;
  • Dimensão: 55 x 47 cm;
  • Localização:Museu de Orsay, Paris, França.

Curiosidades sobre Renoir

  1. Quando foi aluno de Charles Gleyre, o mestre o recriminou certa vez dizendo que o jovem pintava apenas por diversão, ao que Renoir prontamente respondeu: " Você pode estar seguro que eu não pintaria se não me divertisse."
  2. Renoir viveu e produziu sua obra na mesma época do advento da fotografia e essa nova linguagem influenciou fortemente o trabalho do pintor.
  3. O irmão de Renoir, Edmond Renoir, foi jornalista e fez muitas críticas positivas ao trabalho do irmão.
  4. Aos domingos, Renoir frequentava o famoso baile Moulin de la Galette com o intuito de encontrar modelos para suas pinturas.
  5. Sua esposa, Aline Charigot, foi retratada segurando um cachorrinho na tela O almoço dos remadores.
  6. Pierre Renoir, o primeiro filho do artista, tornou-se um ator famoso.
  7. O segundo filho, Jean Renoir, foi um célebre diretor de cinema.
  8. Claude Renoir, o filho mais novo, tinha como ofício a cerâmica.
  9. O nascimento de Claude serviu de estímulo para Renoir, já com 60 anos e bastante debilitado pela doença.
  10. Renoir declarou que não passou nem um dia sem pintar. Deixou um legado de mais de mil obras.
Laura Aidar
Laura Aidar
Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007. Formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design de São Paulo (2010).