Impressionismo

Daniela Diana

O Impressionismo foi uma tendência artística francesa com ênfase na pintura que ocorreu no momento da chamada "Belle Époque" (1871-1914).

O termo "Impressionismo" é fruto da crítica a uma obra de Claude Monet, "Impressão, nascer do sol", de 1872.

Características

Esta arte concorria com a produção artística acadêmica. Por isso, o público apreciava as obras fora dos circuitos tradicionais, como nos "Salons", locais de realização de mostras coletivas dos pintores impressionistas.

Os pintores deste movimento pintavam ao ar livre. A intenção era capturar as tonalidades que os objetos refletiam segundo a iluminação solar em determinados momentos do dia.

Por outro lado, o impressionismo foi um divisor de águas para a pintura. Seus artistas não se prendiam aos ensinamentos do realismo acadêmico.

No entanto, foram influenciados pelas correntes positivistas da segunda metade do século XIX, as quais primavam pela precisão e o realismo.

Vale citar que as orientações estéticas impressionistas estão presentes nas produções gráficas, na propaganda e noutras formas de comunicação de massa. Até os dias atuais elas seguem influenciando novas estéticas.

Saiba mais sobre o contexto histórico da Belle Époque.

Pintura Impressionista

Os pintores impressionistas buscaram reproduzir as sombras de modo luminoso e colorido. O ponto de partida era a composição de efeitos visuais para a fixação do instante, tal qual a impressão visual que nos causam.

Portanto, o preto jamais é usado em obras impressionista plena. De modo semelhante, a presença dos contrastes e de transparências luminosas auxiliam no desvanecimento da forma, percebida agora em contornos.

Os impressionistas aboliram as temáticas históricas e mitológicas, bem como as religiosas, buscando momentos cotidianos fugazes.

ImpressionismoExemplo de Pintura Impressionista

Ademais, procuravam uma expressão artística que estivesse focada nas impressões da realidade em detrimento da razão e da emoção.

Como perceberam a fonte das cores nos raios solares, buscaram captar a mudança no ângulo dos mesmos e na implicação disso na alteração de cores.

Isso porque a luz para os impressionistas construía a forma, captava a mesma paisagem nos diversos momentos do dia e nas várias estações do ano.

Música Impressionista

A Música Impressionista é caracterizada por sugestão e atmosferas melódicas sensuais e etéreas, que buscam retratar imagens, especialmente paisagens naturais.

Na música, podemos citar Claude Debussy (1862-1918), Maurice Ravel (1875-1937), entre outros.

Literatura Impressionista

A Literatura Impressionista focou na descrição de impressões e aspectos psicológicos das personagens. Assim, se acrescenta detalhes para constituir as impressões sensoriais de um incidente ou cena.

Destacaram-se os escritores Marcel Proust (1871-1922), Graça Aranha (1868-1931), Raul Pompeia (1863-1985).

Impressionismo e Fotografia

A pesquisa fotográfica permitiu aos pintores se libertarem da função figurativa da imagem.

Assim, passaram a experimentar novas técnicas, graças aos efeitos ópticos descobertos sobre a composição de cores e a formação de imagens na retina do observador.

Isso permitiu a exploração de novos parâmetros estéticos, dando ênfase na luz e no movimento.

A primeira exposição foi organizada em 1874 no ateliê do fotógrafo Maurice Nadar para expor as obras experimentais de jovens pintores.

Que tal ler sobre a História da Fotografia?

Principais Artistas do Impressionismo

No grupo original dos artistas impressionistas estavam:

  • Claude Monet (1840-1926)
  • Édouard Manet (1832-1883)
  • Auguste Renoir (1841-1919)
  • Alfred Sisley (1839-1899)
  • Edgar Degas (1834-1917)
  • Camille Pissarro (1830-1903)

Impressionismo no Brasil

Após se consagrar no exterior, o Impressionismo chega ao Brasil. Nesse momento, o nacionalismo está a constituir uma “Escola Brasileira de Artes", daí não ter surtido muito impacto a princípio.

No Brasil, o representante mais expressivo foi Washington Maguetas, destacando-se também o pintor Eliseo Visconti (1866-1944).

Também notamos tendências impressionistas nos trabalhos de Almeida Júnior (1850-1899), Anita Malfatti (1889-1964), Georgina de Albuquerque (1885-1962) e João Timóteo da Costa (1879-1932).

Impressionismo e Pós-Impressionismo

O Pós-Impressionismo é uma tendência artística que surgiu em finais do século XIX.

Ainda que tenha se inspirado no Impressionismo, a arte pós-impressionista revela preocupação com a subjetividade humana.

Ou seja, as obras desse período expressam as emoções e sentimentos. Por outro lado, a arte impressionista é marcada pelo aspecto “superficial” de reprodução da realidade, deixando de lado a subjetividade.

Na arte pós-impressionista merecem destaque os artistas: Cézanne, Gauguin, Van Gogh, Seurat e Toulouse-Lautrec.

Leia também: Arte Moderna.

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.