Cubismo


O Cubismo foi um vanguarda artística europeia surgida no século XX na França que abrangeu as artes plásticas e a literatura.

Marcado pelos uso de formas geométricas, ele rompeu com os modelos estéticos que só valorizavam a perfeição das formas.

Esse movimento pode ser considerado o primeiro a se caracterizar pela incorporação do imaginário urbano industrial em suas obras.

Origem

O marco para o surgimento do cubismo foi em 1907, com a tela "Les Demoiselles d'Avignon" (As damas d'Avignon), do pintor espanhol Pablo Picasso.

Les Demoiselles d'Avignon, Picasso

Les Demoiselles d'Avignon (1907) de Pablo Picasso

Essa obra apresenta influências visíveis das esculturas africanas e das pinturas do pós-impressionista francês Paul Cézanne.

Ao lado de Picasso, o pintor e escultor francês Georges Braque foi fundador do movimento cubista.

Cubismo no Brasil

No Brasil, somente após a Semana de Arte Moderna de 1922 é que o movimento cubista irá ganhar força.

Ainda que os artistas brasileiros não se entregaram as características exclusivamente cubistas, podemos destacas as telas da artista plástica de Tarsila do Amaral. Nelas, notamos a influência cubista pelo uso das formas geométricas.

São Paulo, Tarsila do Amaral

São Paulo (1924) de Tarsila do Amaral

Ainda nas artes plásticas, vale ressaltar os trabalhos de outros artistas brasileiros: Anita Malfatti, Rego Monteiro e Di Cavalcanti.

Já a literatura cubista no Brasil teve como destaque as obras dos escritores: Oswald de Andrade, Raul Boop e Érico Veríssimo. Note que a literatura cubista teve como foco a "destruição da sintaxe", pondo fim a linearidade.

Principais Características

Com o cubismo teremos um tratamento geométrico das formas da natureza.

Assim, elas passam a ser representadas pelos objetos em todos os seus ângulos no mesmo plano, constituindo uma figura em três dimensões

Predominam as linhas retas, modeladas basicamente por cubos e cilindros, dada a geometrização das formas e volumes.

Essa técnica que renúncia à perspectiva, assim como ao "claro-escuro", causa uma sensação de pintura escultórica.

No plano conceitual, o cubismo pode ser considerado como uma arte que privilegia o exercício mental como maneira de expressão das ideias.

Ao romper com a perspectiva consagrada das linhas de contorno, a natureza passa a ser retratada simplificadamente.

Isso permite maior abstração sobre os atributos estéticos da obra, ao mesmo tempo em que recusa a ideia de arte enquanto pura imitação da natureza.

Vale citar que este estilo abandona distinções entre forma e fundo ou qualquer noção de profundidade. As naturezas mortas urbanas e os retratos são temas recursivos no cubismo.

Cubismo e Ciência

No início do século XX houve uma admirável convergência de saberes e interesses de vários campos do conhecimento.

Nesse momento, a arte irá se colocar, especialmente com o cubismo, em sintonia com investigações científicas de ponta que ocorriam na física e na geometria.

Quando o cubismo rompeu com séculos de prioridade do uso da perspectiva na representação pictórica, acabou por conduzir às noções geométricas de hiperpoliedros e multidimensionalidade.

Isso permitiu aos artistas cubistas a formulação de um conceito espacial até então inédito, a saber, a "quarta dimensão". Nela, as propriedades espaço-temporais estão em afinidade com a "Teoria da Relatividade" (1905) de Einstein.

Fases do Cubismo

O cubismo é dividido em três fases:

Fase Cezannista ou Cezaniana (1907 a 1909):

Também chamada de fase pré-analítica, o nome já indica que esse período foi caracterizado pela influência dos trabalhos do artista plástico francês Paul Cézanne.

Autorretrato, Pablo Picasso

Autorretrato (1907) de Pablo Picasso

Fase Analítica ou Hermética (1909 a 1912)

A fase analítica caracterizou-se pela cor moderada e registro dos elementos pictóricos e seus elementos em planos sucessivos e superpostos.

Violino e Castiçal, George Braque

Violino e Castiçal (1910) de Georges Braque

Fase do Cubismo Sintético (1911)

O cubismo sintético caracterizou-se pelas cores mais fortes e um retorno ao figurativo, na medida em que buscou tornar as figuras reconhecíveis.

Passa a empreender o método de "colagem", fixando objetos reais na tela para extrapolar os limites das sensações visuais que a pintura insinua.

Homem no café, Juan Gris

Homem no Café (1914) de Juan Gris

Principais Pintores Cubistas

Os maiores representantes da pintura cubista foram:

Principais Escritores Cubistas

Os principais escritores com influência do cubismo foram:

Principais Escultores Cubistas

Os maiores representantes da escultura cubista foram:

  • Raymond Duchamp-Villon (1873-1918)
  • Constantin Brancusi (1876-1957)

Leia mais:

Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.