Expressionismo

Laura Aidar

Expressionismo é o nome de uma vanguarda artística europeia do início do século XX.

Esse movimento artístico está entre os primeiros representantes das vanguardas históricas e talvez, o primeiro a focar em aspectos subjetivos, valorizando a expressão emocional do ser humano.

Origem do Expressionismo

Devemos destacar que o Expressionismo não possui uma localização geográfica definida e sua duração é imprecisa.

Entretanto, o consenso é de que tenha surgido na Alemanha em meados de 1905. Nesse ano se deu a criação do grupo Die Brücke (A Ponte), pelos artistas Ernst Kirchner (1880-1938), Erich Heckel (1883-1970) e Karl Schmidt-Rottluff (1884-1976), entre outros. Por isso, essa corrente é também chamada de Expressionismo alemão.

grupo de artistas
Um grupo de artistas: Otto Muller, Kirchner, Hekel, Schmidt-Rottluf (1926), de Kirchner. À direita, detalhe

A primeira vez que o termo surgiu foi em 1911, na revista Der Sturm (A Tempestade). O periódico alemão era o veículo de comunicação mais importante do movimento.

Outro grupo com grandes tendências expressionistas foi o Der Blaue Reiter (O cavaleiro azul), formado em 1911 por Franz Marc (1880-1916) e Wassily Kandinsky (1866-1944).

Edvard Munch é considerado o precursor do Expressionismo, tendo influenciado essa corrente artística com suas obras impactantes e cheias de carga emocional.

Sua obra mais importante é O Grito (1893). Ela representa uma das telas mais emblemáticas do movimento expressionista.

o grito
A tela O Grito (1893) de Edvard Munch. À direita, detalhe da obra

Outro artista essencial para o surgimento da vertente foi o holandês Vincent Van Gogh, integrante do pós-impressionismo.

Ele foi um homem que viveu intensamente a arte e transmitia em suas obras os sentimentos de maneira dramática e sem preocupar-se tanto com os efeitos técnicos da iluminação em suas composições. Uma de suas grandes obras é A Noite Estrelada (1889).

O Expressionismo constituiu-se como um campo multidisciplinar e interdisciplinar ao entrecruzar os saberes de várias áreas do universo das artes.

Este movimento cativou os círculos artísticos e intelectuais alemães durante as duas primeiras décadas do século XX.

Surgiu como uma reação ao positivismo do movimento impressionista, que visava exibir obras com um caráter mais técnico acerca das percepções e estudos de luzes e cores, sem dar importância à subjetividade e complexidade humanas.

Características do Expressionismo

Com uma visão trágica do ser humano, muito por conta do contexto histórico da Primeira Guerra Mundial, o Expressionismo, como o próprio nome sugere, busca ser uma expressão dos sentimentos e das emoções.

Assim, os artistas exageram e distorcem os temas em seu processo de catarse, revelando, sobretudo, o lado pessimista da vida.

Esta escola utilizou a arte enquanto forma de refletir a angústia existencialista do indivíduo alienado, fruto da sociedade moderna, industrializada.

Dessa forma, podemos destacar como importantes características desse movimento:

  • contraste e intensidade cromática;
  • valorização do universo psicológico, sobretudo de sentimentos densos, como a angústia e solidão;
  • dinamismo e vigor;
  • técnica abrupta e "violenta" na pintura, com grossas camadas de tinta;
  • valorização de temas sombrios, trágicos.

Estilo Expressionista

Já que compreende a deformidade do mundo real, o Expressionismo encontrou uma forma subjetiva para representar a natureza e o ser humano.

A proposta do movimento despreza a perspectiva e a luz, pois o que importa mais para esses artistas é a maneira como se sente o mundo.

É frequente a temática da miséria, solidão e loucura, pois é um reflexo do espírito da época. Por outro lado, o Expressionismo defendia a liberdade individual por meio da subjetividade e do irracionalismo.

Os temas abordados foram por vezes considerados depravados e subversivos, e buscavam conduzir o espectador à introspecção.

É interessante notar como no Expressionismo a objetividade da imagem se opõe ao subjetivismo da expressão.

Ou seja, o caráter objetivo é afastado da obra por meio da linha e da cor usadas de maneira emotiva, em formas retorcidas e agressivas.

Expressionismo no Brasil

expressionismo no Brasil
À direita, A boba (1915-16), Anita Malfatti. À esquerda, Retirantes (1944), de Portinari

No Brasil, Cândido Portinari (1903-1962) destacou-se no estilo expressionista. O artista representou intensamente em suas obras as mazelas do povo nordestino.

Além dele, Anita Malfatti (1889-1964), que na Alemanha teve contato com artistas do Expressionismo, também foi fortemente influenciada por essa corrente.

Outros nomes que beberam da fonte foram Oswaldo Goeldi (1895-1961), Lasar Segall (1891-1957) e, posteriormente, Flávio de Carvalho (1899-1973) e Iberê Camargo (1914-1994).

Principais artistas do Expressionismo

Selecionamos alguns dos principais representantes da arte expressionista e do pós-impressionismo (que foram os grandes inspiradores e precursores do Expressionismo). Veja:

  • Marc Chagall (1887-1985)
  • Paul Klee (1879-1940)
  • Wassily Kandinsky (1866-1944)
  • Amedeo Modigliani (1884-1920)
  • Egon Schiele (1890-1918)
  • Edvard Munch (1863-1944)
  • José Orozco (1883-1949)
  • Constant Permeke (1886-1952)
  • Cândido Portinari (1903-1962)
  • Anita Malfatti (1889-1964)
  • Diego Rivera (1886-1957)
  • Georges Rouault (1871-1958)
  • Chaim Soutine (1893-1943)
  • David Siqueiros (1896-1974)
  • Vincent Van Gogh (1853-1890)

Arte Expressionista

Com dito anteriormente, o Expressionismo foi um estilo artístico utilizado por diversas categorias da arte, expresso na arquitetura, escultura, pintura, literatura e música.

Arquitetura Expressionista

arquitetura expressionista
Vista exterior e interior da Torre Einstein Potsdam (1921), de Erich Mendelsohn

A arquitetura expressionista empreendeu o uso de novos materiais. Com isso, ampliou as possibilidades de fabricação em larga escala de materiais de construção como o tijolo, o aço ou o vidro.

Escultura Expressionista

escultura expressionista
Mãe com os filhos (1927 - 1937), da artista Käthe Kollwitz

A escultura expressionista variou muito segundo cada artista, os quais tiveram em comum apenas a temática da distorção das formas.

Pintura Expressionista

pintura expressionista
Mulher reclinada com meias verdes (1917), de Egon Schiele

A pintura expressionista deu grande ênfase nas cores como forma de criar efeito de dinamismo e o sentimentalismo fruto de suas emoções e sentimentos mais profundos.

Literatura Expressionista

literatura expressionista Kasimir Edschmid
Kasimir Edschmid (1890-1966) foi um escritor expressionista alemão

Na literatura expressionista, a guerra, a cidade, o medo, a loucura, o amor e a perda da identidade serão uma forma de retratar em palavras a sociedade burguesa da sua época.

Além do militarismo, a alienação do indivíduo e a repressão familiar, moral e religiosa.

Música Expressionista

música expressionista
Arnold Schoenberg (1874-1951) foi um compositor austríaco expressionista

A música expressionista primava pela separação da música de qualquer fenômeno externo. Refletia o seu estado anímico do compositor, alheio das regras e convenções acadêmicas.

Cinema Expressionista

o gabinete do dr caligari
O gabinete do Dr. Caligari (1920), de Robert Wiene, é um ícone do cinema expressionista alemão

No cinema, as produções traziam um universo pessimista e dramático. Com cenários fantasmagóricos, atuações e caracterizações exageradas, os filmes desse período enfatizavam conflitos psicológicos das personagens.

Deixou-se de realizar esse tipo de cinema com o surgimento do nazismo na Alemanha, que partir de então apenas teve produções de propaganda do governo e entretenimento.

Para saber sobre outras vertentes da arte, leia:

Confira também essa seleção de questões que separamos para você testar seus conhecimentos: Exercícios sobre Vanguardas Europeias.

Quiz da História da Arte

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, pesquisadora e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007 e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design, localizada em São Paulo, em 2010.