Violência Urbana

Juliana Bezerra

A violência urbana é caracterizada pela desobediência à lei, vandalismo aos bens públicos e atentado à vida no âmbito das cidades.

Esse tipo de violência origina-se na infraestrutura precária, exclusão socioeconômica, desemprego ou oferta de emprego de baixa qualidade.

Causas da Violência Urbana

Cada zona urbana tem sua especificidade histórica e geográfica.

No entanto, podemos destacar alguns pontos comuns que favorecem o aumento da violência como a desigualdade social, a invisibilidade, o tráfico de drogas e as diferenças entre a periferia e o centro.

Pobreza ou Desigualdade Social?

morador de rua
A população de moradores de rua é uma realidade de todos os grandes centros como a cidade de Nova York

Há uma confusão ideológica que destaca a pobreza como a causa principal da violência urbana. Se isso fosse correto, cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, teriam índices menores de violência que Maceió (AL) ou Natal (RN).

O que gera a violência urbana é a desigualdade social a que estão submetidos os cidadãos das urbes em países em subdesenvolvimento.

Combinados com a infraestrutura deficitária do equipamento público, os elevados índices de violência refletem o descumprimento da garantia de direitos.

Invisibilidade

Outro fato que contribui para os altos índices de violência está na invisibilidade dos moradores da cidade. Ao contrário da zona rural, as pessoas numa urbe estão próximas fisicamente, porém distantes em termos de relações sociais.

Nas zonas urbanas há pouco espaço para a solidariedade e a criação de elos entre os indivíduos e assim, o sentimento de invisibilidade é mais acentuado.

Isso gera uma sensação de revolta que muitas vezes é externalizada através da violência contra outros indivíduos e o patrimônio público e privado.

Leia mais sobre:

Periferia x Centro

Nas grandes cidades há uma distinção palpável entre os distintos bairros que a compõem.

A diferença entre os bairros centrais, mais bem aparelhados, com opções de ócio e trabalho, e a periferia é gritante, pois estas não possuem a mesma infraestrutura.

Desta maneira, os habitantes de certas zonas tornam-se estigmatizados dificultando sua inserção social.

Tráfico de Drogas

A compra e venda de entorpecentes eleva os índices de violência nas urbes de todo o planeta.

Os narcotraficantes dividem a cidade de acordo com seus interesses e muitas vezes as autoridades são coniventes com esses contraventores.

Para garantir o território, os traficantes de drogas costumam lançar mão de assassinatos, ameaças físicas e toques de recolher, dentre outras práticas ilegais.

Violência Urbana no Brasil

A violência urbana no Brasil deriva da desigualdade social e econômica.

Se tomarmos apenas como exemplo os homicídios, a violência urbana no Brasil atinge principalmente pessoas negras e os jovens.

Números da Violência urbana no Brasil
Fonte: Atlas da violência/Ipea. Infográfico: Sarah Azoubel

Origem da Violência Urbana no Brasil

Herdeira de um modelo escravista e autoritário, a sociedade brasileira formou-se através da desigualdade racial e econômica.

Mesmo com a abolição da escravatura, os negros escravizados não tiveram oportunidade de se qualificar e continuaram a exercer as funções mais pesadas e mal remuneradas. Os governos republicanos só aumentaram esta segregação entre classes e raças.

As sucessivas crises econômicas, as acentuadas diferenças de classe e a falta de investimento em infraestrutura básica estão entre os fatores que resultam nos elevados índices de violência nas cidades brasileiras.

Desde os anos 80, observa-se o crescimento da delinquência nas urbes do Brasil em decorrência do crescimento desordenado das cidades.

Foi registrado um aumento de crimes contra o patrimônio, roubos, extorsão mediante sequestro, homicídios dolosos (quando o causador tinha a intenção de matar), tráfico de drogas e aperfeiçoamento do crime organizado.

Para piorar o cenário, os criminosos atuam mesmo quando estão presos, pois o sistema carcerário no Brasil não cumpre seu papel de ressocialização.

Violência Doméstica no Brasil

A violência doméstica é a realidade de seis entre dez mulheres no Brasil, de acordo com dados de 2017, do Instituto Avon.

Violência Doméstica no Brasil

A principal causa desse tipo de violência é o machismo, na avaliação de 46% dos brasileiros, segundo estudos do Núcleo de Estudos da Violência da USP (Universidade de São Paulo).

A ilusão de que a violência é um problema doméstico e que estes devem ser resolvidos na vida privada está entre os motivos que impedem a denúncia de agressores.

A dependência financeira da mulher em relação ao marido também limita a atuação da Justiça a quem agride.

No Brasil, a luta contra a violência doméstica ganhou um novo contorno com a aprovação da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340 de 7 de agosto de 2006). Esta permitiu que as mulheres ganhassem mais proteção e os crimes fossem punidos com mais rigor.

Leia ainda sobre este assunto:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.